Montadora francesa forneceu motores para a equipe por 12 temporadas. Foto: Divulgação/Red Bull Racing

Montadora francesa forneceu motores para a equipe por 12 temporadas. Foto: Divulgação/Red Bull Racing

Em 2 de outubro do ano passado, com a temporada da Fórmula 1 em curso, a Honda anunciou sua retirada da categoria.

A Red Bull, impulsionada pelo propulsor da Honda, duelando palmo a palmo com a Mercedes pelo título de pilotos, acabou vencendo o campeonato com Max Verstappen.

O time austríaco até pensou que o caneco do holandês pudesse fazer com que os japoneses reconsiderassem a saída.

Ledo engano.

A decisão já estava tomada e, "sair por cima" talvez tenha sido mesmo a melhor solução para a fabricante nipônica.

Assim, a Red Bull precisaria garantir um fornecedor para 2022, e as opções no mercado eram escassas.

Na verdade, somente uma: a Renault.

Mercedes e Ferrari jamais pensariam em abastecer a rival.

E, no caso da Renault, ex-parceira da Red Bull, fornecedora de motores por 12 temporadas, nos quatro campeonatos consecutivos de Sebastian Vettel, a situação era diferente.

A relação ficou estremecida, porque a "cúpula" da Red Bull resolveu disparar contra a montadora francesa quando as vitórias começaram a rarear.

No popular, cuspiram no prato em que comeram.

Defenestraram uma fabricante de motores que contabiliza respeitabilíssimas 169 vitórias na Fórmula 1 e ocupa o quarto lugar neste ranking, atrás apenas de Ferrari, Mercedes e Ford-Cosworth.

A Red Bull é uma fabricante de energéticos e entrou na Fórmula 1 primeiro como patrocinadora (da Sauber) até um dia comprar a Jaguar (ex-Stewart) e se estabelecer como time forte da categoria.

Pegou uma estrutura (muito boa) pronta, mas sempre precisando de um fornecedor de motor, claro.

Primeiro a Cosworh, depois a Ferrari, em seguida a Renault e, por último, a Honda.

Fez uma aposta arriscada, montando uma fábrica para seguir com o motor Honda, com uma equipe de engenheiros que pudesse fazer o propulsor se manter bem e, ainda, ser atualizado.

Nas vezes em que uma montadora deixou a categoria e alguma outra empresa assumiu a encrenca, os resultados não se mantiveram tão bons, caos da própria Honda (quando os motores foram adotados pela Mugen) e da Renault (cujos motores passaram a ser desenvolvidos pela Mecachome e rebatizados de Play Life).

A Red Bull anda sofrendo neste começo de temporada com seu motor, que é um Honda, mas que passou a receber a alcunha de Red Bull Powertrains.

Pode ter sido uma infeliz coincidência, mas desconfio que não.

Construir um carro, com um projetista espetacular (caso de Adrian Newey) é difícil, mas é bem mais fácil do que lidar com um motor, ainda que ele esteja "pronto".

Desconfio que a Red Bull, tão capacitada em fazer carros muito bons, tenha dado um passo maior que a perna.

Esta aventura de "construtora de motor" provavelmente terá vida curta.

Ela já deve estar de olho na entrada do grupo Volkswagen na F1, via Audi e ou Porsche.

Mas neste momento de debandada oficial da Honda, deveria ter sido humilde, pedido desculpas à Renault e não ter embarcado nesta aventura.

Claro, seria preciso que os franceses aceitassem o arrependimento oportunista da fabricante de bebidas. 

COLUNAS ANTERIORES (CLIQUE E ACESSE)

Ferrari precisa aproveitar começo apagado das duas únicas rivais

Pré-temporada da Fórmula 1 será de verdades verdadeiras

O cheiro do Corcel

O Fusca azul

Hamilton ou Verstappen: Quem ganha e quem perde com o cancelamento do GP do Japão?

Dupla mais equilibrada deve fazer a Ferrari superar a McLaren

A exemplo da F1, futebol também poderia ter jogos mais curtos

Ou Ricciardo está em péssima fase ou Norris é um fenômeno

Carros bem e mal nascidos

433, Barão de Drumond

Cavalo arreado, mês das noivas, Mônaco e Indianápolis

O livro do Flavio Gomes

Dando a partida no carro dos sonhos

O 1º de abril, Lauda e o meu doce Colegial

Aston Marin, Somente Para Seus Olhos

Pré-temporada da Fórmula 1 será de verdades verdadeiras

Molho condimentado na F1 em 2021

Vettel e sua paixão bem resolvida

É possível dizer não à Ferrari?

Gelada com pitada de doçura

Vettel e os bombons

A menina Mercedes

Interlagos a pé, de carro e uma música do Gilberto Gil

O menino que chora

Piloto caranguejo

Um piloto fictício, um autódromo e muitos carros eternizados na música brasileira

Calma Mick Schumacher, a viagem é longa e sua hora vai chegar

O capacete e a salvadora blusa lilás

Nosso campo de futebol no Saint Moritz, em Mairiporã. Ou uma pista de rali? E o Pequeninos do Jockey

No `vestibulinho´de fachada da Ferrari, Mick Schumacher tem o `gabarito´da prova...

Quando ganhar sempre não é bom

A Ferrari, o vinho e o verde

Ferrari deveria se espelhar na fábrica de Willy Wonka

Beleza da Fórmula 1 também está na desigualdade

Mercedes tem seu Calcanhar de Aquiles

Velozes, mas com ternura. Um contraponto à astronáutica

O homem e a máquina

A grande chance para Verstappen ser campeão na F1

Pé frio, eu?

O cadeado de 1994 em Interlagos

Minuano, o carro de Porto Alegre

Fórmula 1/3 merece textos na minha Lettera 22

Monsieur Binoto

Ferrari reencontra cartilha do Comendador

Neblina na Serra

Revista Recreio, meu Copersucar de papel e o Ricardo Divila

Jacarepaguá, calor infernal e uma camisa preta

O próximo abraço

Quase toda F1 `deu de ombros´ao apartheid em 1985 

Corrida na areia

Verdades e mentiras

Safras e safras de sonhos

Ao sabor do vento

Criatividade em baixa?

E o Oscar da F1 vai para...

Deu pra ti, Alonso? 

Maranello em polvorosa?

Verstappen, Red Bull e o `tudo ou nada´

Vettel e as redes sociais

Com qual heterônimo Max Verstappen será campeão de F1? 

O cheiro da Fórmula 1

Ferrari, Hamilton e o beijo de Klimt

O Quixote Brambilla e seus carros Rocinantes

A música que Raikkonen sempre cantou para a F1

Bernie, pilotos e equipes. Os bastidores de Interlagos

Acampamento, sala de imprensa e viagem à Lua

Novo carro da F1 dará um `salto´de 22 anos. Para trás...


     

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O CANAL DO BELLA MACCCHINA NO YOUTUBE

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa