Red Bull está forte desde o começo da temporada. Foto: Red Bull Racing Honda

Red Bull está forte desde o começo da temporada. Foto: Red Bull Racing Honda

Com quase 1/4 das etapas do Mundial de Fórmula 1 já realizadas, é possível cravar, sem muito medo de erro, acerca das equipes que têm bons carros. 

Após uma pré-temporada tão enxuta em termos de testes, algumas melhorias só aconteceram, de fato, com o passar das duas ou três primeiras corridas.

Há uma máxima na Fórmula 1, de que "carro mal nascido" não tem santo que o faça melhorar...

É uma meia-verdade.

É possível progredir aqui e ali, mas também há um limite que impede saltos grandiosos.

Com algumas mudanças significativas engendradas pela FIA no assoalho, da temporada passada para esta na área das rodas traseiras, houve uma perda calculada em 5% no arrasto aerodinâmico.

Pode parecer pouco, mas pelo nível de excelência que vigora na categoria mais tecnológica do planeta em termos de esporte a motor, é um bocado...

Quem tinha um carro com traseira mais alta pôde se adequar melhor à mudança, e nesse quesito a Red Bull foi aquela que se deu bem.

A Mercedes, por sua vez, com um carro praticamente "plano", sem significativa diferença de altura entre dianteira e traseira, o tal rake baixo, precisou correr atrás do prejuízo, tão claramente evidenciado na minúscula pré-temporada.

Mas o time alemão trabalhou rápido e devolveu a Hamilton, seu piloto principal, para não dizer único, as condições de brigar com Verstappen, o piloto principal da Red Bull, para não dizer único...

Em contrapartida, na Aston Martin, ex-Racing Point, que em 2020 foi uma cópia quase fiel do carro da Mercedes, sem contar com o orçamento da prima rica, embora com o mesmo motor, as coisas não se resolveram tão rapidamente, e talvez nem se resolvam.

É possível que seja o tal caso do tal "carro mal nascido", que nunca conseguirá brigar por pódios, ao contrário do que fez na temporada passada, em que pese o sorrisão estampado no rosto de Vettel em Mônaco, quando terminou em um reconfortante quinto lugar...

A Alpine (ex-Renault) tentou dar o chamado "pulo do gato", e tudo indica que não fez escolhas acertadas.

Toda vez que ouço essa expressão "carro mal nascido" na Fórmula 1, lembro de um exemplo familiar, o primeiro Corcel que meu pai tirou zero quilômetro na Lemar, concessionária paulistana no bairro do Jabaquara.

O modelo, mais completo para a época, o LDO, sigla para o pomposo nome "Luxuosa Decoração Opcional", na cor Vermelho Jambo, popularmente conhecida como "Cor de Vinho", tinha um calcanhar de Aquiles dos infernos, as tais "cruzetas", hastes que ligavam a transmissão (dianteira) às rodas.

Meu pai, por mais cuidadoso que fosse, invariavelmente ficava "na mão", quando esterçava demais o volante e acelerava ao mesmo tempo, mesmo em baixa velocidade, manobrando o Corcel.

As cruzetas ficavam moídas...

Daí, somente o "Jacaré" para resolver.

"Jacaré" era o apelido do mecânico que tinha sua oficina na rua Maria Cândida, em frente à minha primeira escola, o "Afrânio Peixoto", na Vila Guilherme.

Na mesma Maria Cândida, na esquina com a rua Marili, havia uma loja de acessórios para carros, o "Popó", e meu pai deixava por lá alguns cruzeiros, com o propósito de tornar o bom Corcel ainda mais completo.

Toca-fitas TKR, amplificador Tojo, calhas para chuva nos vidros e encostos removíveis para cabeças, pois os bancos eram baixos.

No fundo, no fundo mesmo, útil de verdade seriam cruzetas mais resistentes. Mas elas não existiam...

A Ford, que outro dia resolveu debandar do Brasil, a exemplo das outras fabricantes de carros da época, simplesmente não se responsabilizava pelo defeito crônico.

A palavra recall ainda não fazia parte do nosso vocabulário de consumidores...

Ser dono de um carro zero quilômetro, que apresentava defeito tão tacanho, é a mesma coisa que ter dentes artificialmente brancos graças à modinha falsiê das lentes de contato odontológicas mas sofrendo de cáries.

Ou botox nas maçãs de um rosto que já dobrou o Cabo da Boa Espeança...

Uma artificialidade que beira o ridículo.

O tal problema das cruzetas do Corcel só foi resolvido anos depois.

O Corcel seguinte que meu pai comprou, também zero, em 77, outro LDO, mas na cor Areia Casablanca (que nome lindo!), já era "bem nascido", sem o amaldiçoado problema...

Desconfio, apenas desconfio, que a Aston Martin anda "maquiando" seu carro.

Uma "harmonização facial" para minimizar seus defeitos de nascimento.

Meu irmão mais novo e eu na garagem do sobrado da rua das Palmas, na Vila Guilherme. Estacionado em frente, o lindo Corcel LDO "Vermelho jambo". Certamente as cruzetas já haviam quebrado várias vezes... Um detalhe: meu pai gostava tanto da cor do seu carro, "vinho", que me deu um relógio com a mesma matiz...

******************************

COLUNAS ANTERIORES (CLIQUE E ACESSE)

433, Barão de Drumond

Cavalo arreado, mês das noivas, Mônaco e Indianápolis

O livro do Flavio Gomes

Dando a partida no carro dos sonhos

O 1º de abril, Lauda e o meu doce Colegial

Aston Marin, Somente Para Seus Olhos

Pré-temporada da Fórmula 1 será de verdades verdadeiras

Molho condimentado na F1 em 2021

Vettel e sua paixão bem resolvida

É possível dizer não à Ferrari?

Gelada com pitada de doçura

Vettel e os bombons

A menina Mercedes

Interlagos a pé, de carro e uma música do Gilberto Gil

O menino que chora

Piloto caranguejo

Um piloto fictício, um autódromo e muitos carros eternizados na música brasileira

Calma Mick Schumacher, a viagem é longa e sua hora vai chegar

O capacete e a salvadora blusa lilás

Nosso campo de futebol no Saint Moritz, em Mairiporã. Ou uma pista de rali? E o Pequeninos do Jockey

No `vestibulinho´de fachada da Ferrari, Mick Schumacher tem o `gabarito´da prova...

Quando ganhar sempre não é bom

A Ferrari, o vinho e o verde

Ferrari deveria se espelhar na fábrica de Willy Wonka

Beleza da Fórmula 1 também está na desigualdade

Mercedes tem seu Calcanhar de Aquiles

Velozes, mas com ternura. Um contraponto à astronáutica

O homem e a máquina

A grande chance para Verstappen ser campeão na F1

Pé frio, eu?

O cadeado de 1994 em Interlagos

Minuano, o carro de Porto Alegre

Fórmula 1/3 merece textos na minha Lettera 22

Monsieur Binoto

Ferrari reencontra cartilha do Comendador

Neblina na Serra

Revista Recreio, meu Copersucar de papel e o Ricardo Divila

Jacarepaguá, calor infernal e uma camisa preta

O próximo abraço

Quase toda F1 `deu de ombros´ao apartheid em 1985 

Corrida na areia

Verdades e mentiras

Safras e safras de sonhos

Ao sabor do vento

Criatividade em baixa?

E o Oscar da F1 vai para...

Deu pra ti, Alonso? 

Maranello em polvorosa?

Verstappen, Red Bull e o `tudo ou nada´

Vettel e as redes sociais

Com qual heterônimo Max Verstappen será campeão de F1? 

O cheiro da Fórmula 1

Ferrari, Hamilton e o beijo de Klimt

O Quixote Brambilla e seus carros Rocinantes

A música que Raikkonen sempre cantou para a F1

Bernie, pilotos e equipes. Os bastidores de Interlagos

Acampamento, sala de imprensa e viagem à Lua

Novo carro da F1 dará um `salto´de 22 anos. Para trás...


     

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O CANAL DO BELLA MACCCHINA NO YOUTUBE

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa