Vitor Belfort

Lutador de Judô e Jiu-Jitsu
por Túlio Nassif

Vitor Vieira Belfort, o Vitor Belfort, lutador brasileiro de MMA (Mixed Martial Arts), nasceu no dia 1 de abril de 1977, no Rio de Janeiro, mas reside em Las Vegas-EUA. É casado com a modelo Joana Prado e tem três filhos, Davi, Victoria e Kyara.

Berfort começou a treinar Judô muito cedo e isso fez com que as portas para o Jiu-Jitsu se abrissem. E foi com Carlson Gracie (seu primeiro mestre de Jiu-Jitsu), de quem recebeu sua faixa preta. Tornou-se o lutador mais jovem da história do Jiu-Jitsu brasileiro a receber a faixa preta desta arte marcial.

O atleta brasileiro iniciou no MMA americano (Vale-Tudo na época) aos 19 anos, em 1996, fazendo lutas memoráveis. Mais tarde, Belfort começou a competir no UFC (Ultimate Fighting Championship). Não foi diferente no UFC, Belfort venceu suas lutas de estreia e acabou conquistando o UFC 12 Heavyweight Tournament, onde entrou para história como o lutador mais jovem que venceu no UFC. Esse início arrasador, lhe rendeu o apelido de "The Phenom" (O Fenômeno).

Conheceu sua primeira derrota no MMA em 1997, ao sofrer nocaute técnico na luta contra o americano Randy Counture. Mas a derrota não o impediu de continuar a escrever sua bela história dentro dos ringues. Após um ano, Belfort enfrentou Wanderlei Silva (futuro campeão dos médios do Pride) e venceu a luta por nocaute em menos de um minuto.

Quando se mudou para o Japão, Belfort começou a lutar no Pride (evento de MMA realizado no Japão). E em sua primeira luta contra Kazushi Sakuraba, em 1999, ele quebrou a mão, devido a um golpe nos primeiros minutos da luta. Sakuraba venceu o lutador brasileiro por decisão unânime. Logo após essa luta, Belfort parou de treinar com Gracie e iniciou seus treinamentos com a Brazilian Top Team (centro de treinamento fundado em abril de 2000, que tem o objetivo de desenvolver e criar novas técnicas de treinamento para Jiu-Jitsu, Wrestling e MMA).

Depois disso, foram mais cinco lutas no Pride. Belfort enfrentou Gilbert Yvel, Daijiro Matsui, Bobby Southworth, Yoshiki Takahashi e Heath Herring. Venceu todas. Seu retorno ao UFC não foi muito bom, marcado por uma lesão dias antes da luta de sua reestreia e pela derrota sofrida para Chuck Liddell.

Posteriormente, veio a lutar contra Marvin Eastman, depois, contra Randy Couture em uma revanche onde valia o título dos meio-pesados do UFC. Esta última, foi uma luta que comoveu todos os fãs de Belfort. Na época, Priscila Belfort (irmã do lutador), desapareceu inexplicavelmente. Vitor venceu as duas lutas.

Foi campeão em duas categorias diferentes do UFC e o mais jovem campeão da história do UFC na categoria pesos pesados. Porém, em agosto de 2004, Couture venceu Belfort em um terceiro confronto entre os dois, recuperando o título dos meio-pesados do UFC.
Em 2005, Belfort quebrou o nariz de Tito Ortiz e quase o nocauteou, mas acabou perdendo a luta por decisão dividida. Esse fato ficou conhecido como uma das maiores "garfadas" da história do UFC.

Aventurou-se também no mundo do boxe, em 2006, quando venceu por nocaute técnico, no primeiro minuto de luta, o lutador Josemario Neves.

Sagrando-se campeão dos meio-pesados do Cage Rage Championships (evento de MMA do Reino Unido) por decisão unânime, ao derrotar James Zikic, em setembro de 2007.
Participou também no Affliction (principal torneio de MMA). Venceu as lutas contra Terry Martin e Matt Lindland.

Em julho de 2010, Vitor assinou contrato com o UFC. Sua primeira luta foi contra Rich Franklin, que acabou sendo nocauteado. Em declaração a imprensa, Dana White (presidente do UFC) afirmou que depois da vitória de Belfort sobre Franklin, haveria possibilidades de um combate contra Anderson Silva. Combate que, posteriormente, foi confirmado. Vitor foi nocauteado no início da luta com um forte chute.

Foi escolhido como um dos treinadores do The Ultimate Fighter: Brasil, o primeiro reality show do UFC realizado no Brasil, que contou também com Wanderlei Silva como treinador da outra equipe. No UFC 147, foi realizada a final do TUF e teria como evento principal a revanche entre os treinadores, porém Vitor lesionou-se dias antes do combate, sendo que Rich Frannklin foi selecionado para substituí-lo.

E sem dúvidas, o UFC 152 foi um grande desafio para o "The Phenom". Após recusa de três lutadores (Dan Henderson, Lyoto e Shogun) para encarar Jon Jones, Belfort aceitou mudar de categoria e enfrentar no dia 23 de setembro de 2012, em Toronto, no Canadá, o americano dono do cinturão. Contudo, ele sofreu uma finalização no quarto round. Assim, Jones conseguiu sua quarta defesa consecutiva do cinturão dos meio-pesados do UFC.

Assim como o UFC Rio fez enorme sucesso, o UFC São Paulo não fez por menos! E Belfort foi a estrela do evento, realizado no Ginásio do Ibirapuera, no dia 19 de janeiro de 2013. A luta foi contra o inglês Michael Bisping, que, após levar um chute certeiro no rosto, foi derrotado pelo brasileiro por nocaute técnico.
 
E no dia 23 de maio de 2015, após acertar uma forte sequência de golpes em Weidman, Belfort não resistiu ao amaericano que colocou a luta no solo e passou golpear o brasileiro até o árbitro Herb Dean interromper o combate e decretar a vitória do UFC 187.

Belfort não desistiu e retornou contra Dan Henderson no dia 7 de Novembro de 2015, pelo UFC Fight Night 77. O barsileiro venceu a luta por nocaute ainda no primeiro round.
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES