Serginho Chulapa

Ex-centroavante do São Paulo, Santos e Corinthians
Serginho é o maior artilheiro da história do São Paulo com 242 gols em 401 jogos (210 vitórias, 113 empates, 78 derrotas) e foi um dos maiores centroavantes do futebol brasileiro em todos os tempos.
 
Em março de 2015 Serginho foi anunciado como auxiliar técnico de Marcelo Fernades, no Santos Futebol Clube. 
 
O temperamento explosivo, porém, atrapalhou um pouco a carreira deste goleador, que chegou a ser suspenso por 14 meses por ter agredido com um chute na canela um bandeirinha.
 
Como treinador, Serginho voltou a demonstrar sua rebeldia ao agredir com uma cabeçada o jornalista Gilvan Ribeiro.
 
Mesmo assim, Serginho é uma pessoa carismática e é tratado como grande ídolo na cidade de Santos (SP), onde foi dono do bar "Barril 2000", próximo ao aquário.
 
Ainda sobre Serginho, o site Terceiro Tempo recebeu o e-mail abaixo no dia 27 de agosto de 2006.
 
"Não me lembro exatamente a data, mas foi aproximadamente em setembro de 2004. Eu e meu marido, Claudio (palmeirense) estávamos em um festival na quadra do "Cabeça" (Palmeirense) chamada "Gold Ball", na Vila Sabrina (zona Norte de SP). O Serginho (Chulapa) estava lá também assistindo aos jogos e nós começamos a conversar sobre futebol e eu comentei que meu pai e meu irmão eram fãs de carteirinha dele, que sempre torceram por ele, seja lá onde ele estivesse.
 
Ele disse para trazê-los ali para conversarem, mas meu irmão mora em Minas (Divinópolis) e meu pai, que sofrera um derrame, não andava mais. Ele (Serginho) simplesmente disse para seu amigo que ia comigo na casa do meu pai falar com ele, perguntou se dava pra ir a pé ou não. Na hora ficamos (eu e meu marido) sem ação, pois ele foi muito sincero e espontâneo em querer conversar com meu pai. Levamos ele lá e quando chegamos meu pai estava na cama e sozinho em casa (minha mãe tinha saído).
 
Eu entrei no quarto primeiro e disse pro meu pai que tinha uma pessoa que queria falar com ele. Meu pai virou-se e neste instante o Serginho entrou e meu pai, que não andava nem se mexia direito, quase se levantou da cama. Ele ficou tão emocionado que achei que teria outro derrame.
 
Eles conversaram muito e meu pai disse que aquela visita foi melhor que qualquer remédio. O Serginho pediu o nosso endereço para mandar uma camiseta do São Paulo (pois meu pai e meu irmão são são-paulinos), mas eu não achava nada para anotar e acabei anotando em um pedaço de papel tão pequeno que acho que ele perdeu.
 
Ele nos deu seu número de telefone para que nós o convidássemos para um churrasco. Ele conversou muito com meu pai, beijou várias vezes sua fronte e disse pra ele ter coragem e lutar contra sua enfermidade, pois nesta época ele estava muito depressivo.
 
Nós ficamos tão emocionados com esta atitude, que não pegamos autógrafo nem tiramos foto. Ninguém na minha rua o viu entrar ou sair de casa, nem minha mãe voltou de onde tinha ido...... Nós acabamos não tendo coragem de convidá-lo para o churrasco que prometemos e ele deve ter perdido o pequeno papel que anotei nosso endereço para ele mandar a camisa.
 
Logo depois disso ele se mudou para Santos quando assumiu a comissão técnica do Clube. Infelizmente meu pai morreu fez um ano (no dia 21 de agosto de 2005) mas nós não esquecemos o quanto ele fez bem para o meu pai naquele dia e meu irmão que mora em Minas se mordeu de inveja por não estar presente.
 
Um abraço a você e sua equipe e se você encontrar com o Serginho mande um grande beijo pra ele de nossa família."
Eloísa Helena Ramos Dias Shinohara

Abaixo, o vídeo da reportagem sobre a agressão do então técnico do Santos Serginho Chulapa contra o jornalista Gilvan Ribeiro, do Diário Popular, em 1994

Abaixo, lembranças de São Paulo 2 x 0 Corinthians, de 1975

No dia 16 de setembro de 2018, ao lado de Muricy Ramalho, Milton Cruz e do ex-atacante Borges, Serginho Chulapa participou do Domingo Esportivo Bandeirantes. Ouça a íntegra da entrevista:

ver mais notícias

Pelo Corinthians:

Em sua curta passagem por Parque São Jorge, disputou 38 jogos e marcou 14 gols.
Fonte: Almanaque do Timão de Celso Unzelte

Pela Seleção Brasileira:


O atacante disputou 22 partidas, sendo 17 vitórias, 3 empates e 2 derrotas. Marcou nove gols.
Fonte: Seleção Brasileira - 90 anos - 1914-2004, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf.


Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES