Olavo Barbosa

O Rei do Leite
por Tufano Silva

Orostrato Olavo Silva Barbosa, o Olavo Barbosa, pecuarista que durante anos foi o maior produtor de leite da América Latina, morreu em 29 de setembro de 2012, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Seu corpo foi enterrado em Guaxupé-MG, sua cidade natal.

Conhecido no Brasil como o "Rei do Leite", Olavo Barbosa fazia questão de ressaltar que o segredo de seu sucesso era acompanhar de perto todos os passos da produção e manter sempre contato direto com seus funcionários. Em mais de 70 anos trabalhando na área, o pecuarista foi responsável por algumas inovações no setor, como a implementação do leite tipo A de garrafa.

Olavo Barbosa ficou ainda mais conhecido no Brasil em 1996, quando serviu de inspiração para Benedito Ruy Barbosa escrever a novela "O Rei do Gado", um dos maiores sucessos da dramaturgia brasileira, que contava em seu elenco com atores como Antônio Fagundes, Patrícia Pillar, Glória Pires e Raul Cortez.
 
A trajetória do Rei do Gado e do Café. Por Ricardo Dias / Revista Midia
 
Os mundos do café e do leite se entristeceram com a notícia do falecimento, em 29 de setembro de 2012,  de um de seus empreendedores mais atuantes:
 
Olavo Barbosa, aos 89 anos. Para falar sobre ele  é preciso percorrer áreas diversas do megaempresário do café, do leite e do grande benemérito reconhecido pelas suas qualidades de benfeitor que deixou exemplos de caridade e de humildade na região da cidade de Guaxupé, no sul de Minas.  Foi um homem dedicado à família, às empresas, aos funcionários, aos clientes do exterior, aos pequenos produtores de café e a todos aqueles que o visitavam e o procuraram. Estava sempre de portas abertas  com seu carisma, simplicidade e pronto para  uma orientação, sugestão e atenção especial.  Ele era o maior produtor de leite do Brasil e contava um reconhecimento extraordinário também no segmento mundial do café.

A história

O café já era o esteio da família de seus pais Valeriano José da Silva e Suzana Barbosa da Silva, quando Orostrato Olavo Silva Barbosa nasceu em  20 de abril de 1923, em Guaxupé.  O casal teve seis filhos, todos trazendo nos nomes as mesmas iniciais:  Octávio, Orlando, Oscar, Oswaldo, Olavo e Osmar. Foi criado na Fazenda Cardosos e cursou o primário em Guaxupé, o ginasial no Internato em Campinas e, retornando à terra natal, tornou-se Técnico em Contabilidade. Casou-se em 1951  com Lenira Faria Silva Barbosa (falecida)  e tiveram os filhos:  Paulo Sérgio (falecido), Silvia Helena, Maria Cristina e Olavo. Mais tarde vieram os 7 netos e 9 bisnetos.

O café

Aos 17 anos, iniciou suas atividades no mercado de café em um pequeno Armazém em Guaxupé, como empregado na filial da Companhia Brasileira de Café do Grupo Moreira Salles. Era ajudante geral e atuava  na limpeza e preparação de cafezinhos para os clientes. Também foi conferente de  sacas de café, que eram catados manualmente por mulheres. Em 1943 passou um ano na matriz da empresa em Santos, trabalhando no setor de Classificação, onde aprendeu a provar e a classificar café, além de executar serviços gerais.  Entre 1944 e 1947 voltou a trabalhar na filial em Guaxupé  já como Classificador e Ajudante de Compras. Em 1947, passou a Gerente Interino até que em 1950 comprou o Armazém em que trabalhava,  com capacidade de armazenagem de 6 mil sacas. No ano seguinte,  Olavo Barbosa começou a comercializar seu próprio café.  Até 1958, paralelamente ao café,  trabalhou como representante de máquinas agrícolas e de terraplanagem das indústrias Caterpillar e John Deere. 

A  empresa "Olavo Barbosa & Cia. Ltda", sediada  em Guaxupé -  em sociedade com seu irmão Oscar Barbosa -  vendeu as primeiras motoniveladoras às Prefeituras de Guaxupé e cidades vizinhas.  A compra da primeira fazenda aconteceu em 1960, quando o empresário passou a cuidar simultaneamente do plantio e da comercialização de café, além da produção de leite.

Mas um dos grandes marcos da carreira aconteceu em 1970, quando fundou uma das empresas de maior credibilidade no mercado de café mundial: a Exportadora de Café Guaxupé Ltda.  Atualmente, está inserida entre as maiores exportadoras de café verde do Brasil, comercializando, entre os mercados interno e externo, cerca de 1 milhão de sacas de 60kg/ano.  Possui  filiais em Santos, e Manhuaçu.  Em 1976 foram inaugurados os Armazéns Gerais Sul Mineiro S/A, com a  capacidade de armazenar 700 mil sacas de café, sendo que o processo operacional, ligado ao armazenamento e logística da exportação de café, é feito com a mais alta tecnologia. 

Receber seus clientes do exterior era motivo de alegria e orgulho. Bandeiras hasteadas, atenção especial com reunião, visita às instalações, lanche, brinde e uma foto para finalizar a visita.  No decorrer dos anos, com um relacionamento amistoso e prazeroso,  vários clientes se tornaram amigos até os dias de hoje.  Sua fala mansa e ouvidos atentos foram sempre elogiados pelos clientes. Nas visitas às plantações de café, explicava cada detalhe desde o plantio da muda, ao crescimento do pé, a colheita e a secagem. Enfim,  todo o processo até a chegada aos armazéns quando então era preparado para o despacho ao seu destino final.

As fazendas da família foram umas das primeiras a receber certificado pelo Código Internacional de Conduta da UTZ Certified, que é garantia de sustentabilidade.  
Olavo Barbosa era reconhecidamente  sinônimo de qualidade, respeito ao cliente e, acima de tudo, honradez e comprometimento. Este é o legado deixado à família que continua a frente na diretoria, bem como a todos os colaboradores.   
 
O leite
 
Depois do sucesso no segmento café, Olavo investiu na produção de leite tipo "A". Essa história que privilegia a qualidade se iniciou  em 1960 quando o empresário começou a produzir leite na Fazenda São José, localizada em Tapiratiba, SP.  Nesta época, produzia 70 litros diários de leite tipo C e, em 1967, grande parte do leite "B" da região. Em 1970, o rebanho da Fazenda contava com mil animais em lactação. Mesmo assim, era preciso inovar e mudar os processos para continuar evoluindo.

Em 1980, depois de muita pesquisa nos Estados Unidos, México e Europa, a Fazenda São José adotou o sistema free stall (baias livres), originário da Califórnia. Quatro anos depois, começou a construção do complexo produtivo na Fazenda e, em 1987, entrou em operação o maior e mais avançado centro de produção de leite do Brasil: o Leite Tipo A Fazenda Bela Vista. Foi o primeiro a ser comercializado em garrafas plásticas, produzidas na própria fazenda.  Tornou-se, assim, o maior produtor de leite do país.  A produção de 65 mil litros diários extraídos de 2.430 vacas holandesas em lactação é distribuída   principalmente na Grande São Paulo, onde tem um entreposto, além de outras localidades como Santos, Ribeirão Preto, Franca e Guaxupé, dentre outras.  Olavo era tido por especialistas como um dos precursores do agronegócio leite no Brasil, tendo recebido premiações diversas como o troféu Balde Ouro, reconhecido como o "oscar"  brasileiro do leite. Em 2005, agregando valor ao Leite Fazenda, teve início o processo de fabricação de queijo parmesão, minas frescal, ricota, requeijão e iogurtes. Continua em fase de expansão, ampliando suas instalações, sempre em busca de qualidade e com o objetivo de lançar novos produtos.
 
(BOX)
 
As homenagens
 
Dentre as diversas homenagens recebidas por Olavo Barbosa na área do café, estão:
 
2009 - Título de Amigo do Centro de Comércio de  Café de Minas Gerais, recebido na 5ª Festa do Café, em Varginha
2004 - Membro da "Comissão de Ética e Conduta" do Cecafé - Conselho dos Exportadores de Café do Brasil - São Paulo.
2004 - Certificado de Parceria em Sustentabilidade e Responsabilidade Social - "Exportadora de Café Guaxupé Ltda." e o Cecafé - Conselho dos Exportadores de Café do Brasil - São Paulo.
2003 - Prêmio "Empreendedores do Café do Brasil" - Exportadora de Café Guaxupé Ltda., na comemoração de 275 anos de Café no Brasil - CECAFE - Conselho dos Exportadores de Café Verde do Brasil -  São Paulo (Teatro Municipal)
1995 - Homenagem do Grupo Amigos do Café - Dia Internacional do Café (Exportadora de Café Guaxupé Ltda.) - Centro do Comércio de Café de Minas Gerais - Varginha.
1986 - Prêmio "Minas Exporta" - Maior Exportadora de Produtos Agrícolas "Exportadora de Café Guaxupé Ltda." -   Centro de Estudos e Desenvolvimento da Exportação  "Fundação Dom Cabral" e CACEX-Carteira de Comércio Exterior do Banco do Brasil -  Belo Horizonte.
1980 - Prêmio Produtividade Rural - Produtor Modelo pelo Desempenho no Setor Agropecuário - Ministério da Agricultura - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA - Brasília, DF.
 
Veja abaixo texto encaminhado por Wagner Henrique Antenor ao Portal Terceiro Tempo:

Por Cairbar Alves de Souza - OLAVO BARBOSA E SUA VIDA SOCIAL I Vamos continuar focalizando as personagens do FORO PERMANENTE, hoje falando sobre uma das figuras famosas de Guaxupé, que, por unanimidade, representa a parte EMPRESARIAL – Sr. OLAVO BARBOSA, nascido OROSTRATO OLAVO SILVA BARBOSA. Por trás desse nome uma história de trabalho, perseverança, otimismo e muito café plantado. Filho de pequeno agricultor, em 1940 trabalhava na Cia. Brasileira de Café do grupo Moreira Salles. E em 1952 passou a trabalhar por conta própria, até fundar em 1970 a Exportadora de Café Guaxupé, por anos seguidos uma das maiores exportadoras de café do Brasil. A preferência pelo vôlei, a criação de cavalos manga-larga, a aversão à fama são pequenos detalhes de sua vida. De certa feita em uma solenidade ele afirmou: “Há realidades que não se explicam e que marcam a nossa vida de maneira profunda. Assim é o grande amor que tenho por Guaxupé. Aqui, aos pés do morro agudo, à sombra da catedral, com trabalho, com muito trabalho, venho passando os meus dias, sob as bênçãos de Nossa Senhora Aparecida. Quero bem a Guaxupé especialmente quando mostra a face do excepcional, do necessitado, do doente e do pobre. Aqui consolidei minhas empresas e foram erguidos os prédios que as abrigam. Aqui são pagos os impostos e oferecidos empregos”. Olavo nasceu em Guaxupé, no dia 23/04/23, filho de Valeriano José da Silva e de D. Suzana Barbosa. É viúvo de D. LENIRA FARIA BARBOSA que lhe deu quatro filhos: PAULO SÉRGIO, já falecido, SILVIA HELENA, CRISTINA e OLAVINHO. Dentre as muitas virtudes do Olavo, sobressai-se a do mais puro altruísmo. Inteiramente voltado para as causas sociais. Afora outros empreendimentos, Olavo conta que, de certa feita, vendo várias pessoas à frente do Clube Guaxupé em uma noite de carnaval, sentiu muita pena das pessoas que não conseguiam adentrar no Clube e veio-lhe a inspiração para fazer um clube, então nasceu o Clube Operário. Para se ter uma ideia, depois de pronto, ele resolveu reformá-lo, gastando somente na reforma cerca de um milhão de dólares, tendo muitos sócios e sendo bem frequentado. Construiu também o primeiro prédio em Guaxupé, de 12 andares, ao qual deu o nome de sua querida mãe, D. Suzana Barbosa. Reformou os Asilos de idosos de Tapiratiba/SP e o de Guaxupé, neste construiu várias casas para os velhinhos, a igreja, onde hoje se realizam os velórios, e deu uma granja de frangos para que ele pudesse se tornar autossuficiente. Construiu e mobiliou 24 apartamentos na Santa Casa local. Construiu e administra até hoje a melhor creche da cidade, sob o nome de Nossa Senhora da Aparecida. Doou um terreno para que fosse construído o prédio que abriga a APAE. Extremamente religioso, devoto de Nossa Senhora da Aparecida, construiu uma igreja na Fazenda São José. Se se passar pela estrada Guaxupé/Tapiratiba ver-se-á a igreja no cume do morro, no pôr-do-sol é magicamente linda. Como sua querida e inesquecível esposa LENIRA era devota de São José. No altar, de um lado a imagem de Nossa Senhora e do outro a de São José. Na política, foi o vereador mais jovem de Guaxupé, tendo sido eleito aos 24 anos de idade. Pormenor que muitos desconhecem é o de que OLAVO possui o Brevê, ou seja, é piloto de avião, tendo sido seu instrutor na mocidade o famoso Zé do Gaio. Um dia, OLAVO pilotou em avião de Guaxupé até Belo Horizonte e nas proximidades de Ouro Preto enfrentou uma tempestade violenta, conseguiu aterrissar. Dali em diante, o Brasil perdeu um piloto e ganhou um extraordinário empresário, mormente do agronegócio. Benedito Rui Barbosa pediu uma entrevista para o Olavo e veio a Guaxupé, em um sábado, quando eu tive o privilégio de recepcioná-lo juntamente com o Milton Neves. De manhã, ele visitou as dependências da exportadora e à tarde foi à Fazenda São José, onde se encontra a produção do Leite A Bela Vista. À tardinha, Olavo recebe-os no escritório do Leite, onde Benedito escreveu suas impressões no livro de ouro e, de repente, desatou a chorar, molhando sua camisa. Todos ficamos atônitos, sem saber o que fazer, e esperando que ele parasse de chorar. Foi quando ele pediu desculpas e disse que se encontrava demasiadamente emocionado, por nunca pensar que no Brasil pudesse ver uma iniciativa daquela grandeza. Daí nasceu uma amizade entre ele e Olavo, que propiciou a novela O REI DO GADO, nome inspirado pelo Olavo. A novela todos conhecem. Outro pormenor na vida do Olavo que não gosta de lembrar foi o fato de um presidente do INCRA ter desapropriado sua fazenda São Joaquim de cerca de 30.000 hectares em Pereira Barreto/SP. A desapropriação foi feita sem nunca o Presidente do INCRA tê-la visitado ou pelo menos a vistoriado. O tecnocrata “Caiu do cavalo”, pois, pensou que uma fazenda daquele tamanho não poderia ser bem administrada. Ledo engano, a Fazenda era toda dividida em piquetes com instalações modernas de um perfeito sistema de engorda de bois. À época, confinava-se ali cerca de 60.000 cabeças de bovinos ao ano e se constituía em um dos maiores confinamentos do Brasil, funcionando dia e noite sem interrupção. Possuia linda casa sede, escola, igreja, casas para empregados, almoxarifado completo. O então Presidente Sarney, tendo ouvido o amigo do Olavo: Aureliano Chaves e de posse da vistoria da Fazenda, revogou imediatamente a desapropriação. Um dos maiores amigos do Olavo era o saudoso Comandante Rolim, da TAM, que em uma entrevista à VEJA declarou: “Sou um homem feliz, pois, tenho vários amigos a quem prezo e, particularmente, sou amigo do Ribeiro – o Rei do Arroz; do Olacir de Moraes, o Rei da Soja e de Olavo Barbosa, o Rei do café e do leite”. O carro-chefe das empresas do Olavo sempre foi a Exportadora de Café, que juntamente com a COOXUPÉ, faturam cerca de 20% de todo o café do Brasil. Por vários e vários anos a Exportadora foi a primeira em exportação de café do Brasil e hoje continua sendo uma das maiores, graças à diretriz do Olavo e de sua competente equipe. Trabalhei na Exportadora nos anos de 1974 e 1992 a 1995, quando ganhei uma experiência impar em administração, com os exemplos e conselhos do maior empresário que Guaxupé possui OLAVO BARBOSA. A ele, os votos para que prossiga em sua digna, respeitada e exemplar vida com a ajuda de Deus e de Nossa Senhora da Aparecida.
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES