Kalef João Francisco

Ex-diretor de futebol do São Paulo

por Felipe Alva

Kalef João Francisco Neto, o Seu Kalef , nasceu em Joinville no dia 27 de junho de 1942. Ele tem dois filhos que, segundo o próprio Kalef, tem o privilégio de serem são-paulinos.

Em 30 de agosto de 2018 foi eleito conselheiro vitalício do São Paulo Futebol Clube, junto de outros nove, em eleição composta por 45 nomes.

Foi jogador do Joinville E.C e diretor de futebol do São Paulo Futebol Clube nos anos 90. Seu Kalef, como é carinhosamente chamado pelos amigos, é formado em Administração de Empresas e Contabilidade.

Trabalhou a vida inteira no comércio de madeira.

Em 1962, saiu de Joinville e foi morar em Curitiba, onde ficou durante cinco anos. No ano de 1967, foi transferido para São Paulo pela empresa que trabalhava e, na capital paulista, mantém residência até hoje, no bairro Jardim Consórcio.

A carreira de Kalef nos campos de futebol foi bastante curta, durou apenas 2 anos, de 1958 a 1960. Em 1958 começou no Juvenil do Caxias (que anos mais tarde se tornaria o Joinville E.C). Foi vice-campeão catarinense em 1959, perdendo o título para o Paula Ramos, de Florianópolis. Teve que pendurar as chuteiras por causa de um problema na visão, em 1960. Tornou-se sócio do São Paulo em 1977, mesmo ano em que o Tricolor conquistou o primeiro Campeonato Brasileiro.

Quando José Eduardo Pimenta assumiu a presidência do São Paulo, em 1990, Kalef João Francisco foi nomeado diretor de futebol. Fez parte da gestão que modernizou time do Morumbi e o fez um dos mais vencedores do Brasil.

Kalef tentou contratar Ronaldo Fenômeno junto ao São Cristóvão-RJ, mas o presidente Pimenta considerou a transação cara na ocasião.

Histórias do Seu Kalef

"Não existe são-paulino doente, existe são-paulino inteligente". Essa é a frase que Kalef João Francisco dispara quando alguém ousa a dizer que "sofre" da doença pelo time do Morumbi. O ex-diretor de futebol do Tricolor no início dos anos 90 esbanja muita energia e um humor inconfundível.  De 1990 a 1994, tempo em que foi diretor, Kalef fez parte das conquistas de títulos importantes, dentre eles o bicampeonato da Libertadores e do Mundial.

Figura muito simpática, coleciona várias histórias, algumas impublicáveis. Mas há, também, os casos que podem ser contados. Um bastante curioso é que, em 1993, Kalef estava acertando a contratação de Juninho Pernambucano, junto ao Sport, mas o treinador do São Paulo, Telê Santana, recusou o jogador."Eu estava na casa da noiva dele (Juninho), daí o Telê recusou. Fiquei com uma cara de tacho", explicou o ex-dirigente são-paulino.

A quase contratação de Juninho para o São Paulo pouca gente ficou sabendo, mas a briga com Edmundo ganhou destaque na imprensa. São Paulo e Palmeiras jogavam pelo Campeonato Brasileiro de 1994. Edmundo, jogando pelo Verdão, deu uma entrada dura em Juninho Paulista. Do banco de reservas Tricolor, Kalef ficou revoltado e xingou o Animal, que respondeu apontado o dedo e devolvendo a "gentileza". Pelas imagens da televisão, dava a impressão que ele estava brigando com o técnico Telê Santana. "Todo mundo achou que ele foi xingar o Telê, mas estava brigando comigo", disse Kalef. "Eu gosto dele, foi um momento de nervosismo. Sou parecido com o Edmundo, falo o que penso", completou.

Realmente, Kalef diz o que pensa. Ele é um dos maiores críticos da presidência de Juvenal Juvêncio, e isso não é de hoje. De 1988 a 1990, Juvenal foi presidente do São Paulo, deixou o clube na divisão inferior do Campeonato Paulista e com os cofres vazios."Quando assumimos em 1990, não havia dinheiro nem para comprar papel higiênico", explicou.

O atual presidente Tricolor voltou ao poder em 2006. Conquistou o tricampeonato brasileiro e a antipatia dos adversários, pela postura arrogante. "Na minha época os dirigentes de todos os clubes tinham uma boa relação. Eu, por exemplo, conversava direto com o Gilberto Cipullo do Palmeiras, nós trocávamos algumas informações", comentou.

Então diretor de futebol do São Paulo em 1992, Kalef lembra de uma história de bastidores envolvendo as duas partidas decisivas da Libertadores daquele ano, contra a equipe argentina do Newell´s Old Boys.

"Quando jogamos contra o Newell´s, na Argentina, eles não nos deixaram treinar no campo deles. Então, no jogo de volta, eu disse que não poderia acender os refletores para o treino deles. O Bielsa ficou bravo. Eu disse que nosso eletricista morava em uma favela e não poderia acender as lâmpadas. O Bielsa queria buscá-lo na favela (risos). Então, eles fizeram apenas um aquecimento no gramado do Morumbi, às escuras mesmo", relatou Kalef.

Ouça a entrevista de Kalef João Francisco ao jornalista Ednilson Valia, redator e colunista do Portal Terceiro Tempo, em 10 de novembro de 2010:

No dia 02 de setembro de 2018, Kalef João Francisco participou do Domingo Esportivo Bandeirantes. Confira a íntegra da entrevista abaixo:

No dia 02 de dezembro de 2018, Kalef João Francisco participou do Domingo Esportivo Bandeirantes. Ouça a íntegra da entrevista:

No dia 24 de março de 2019, Kalef João Francisco participou do Domingo Esportivo Bandeirantes. Ouça a íntegra da entrevista:

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES