Paolo Rossi

Ex-atacante da seleção Italiana

por Diogo Miloni

Paolo Rossi,  "Il Bambino d´Oro", é um ex-atacante italiano que brilhou na Copa do Mundo de 1982, na Espanha, sendo artilheiro da competição e algoz da Seleção Brasileira. Em 2010 trabalhou como comentarista de futebol em um canal italiano e era embaixador das Nações Unidas.

É proprietário de um hotel na Itália, na Toscana, o Poggio Cennina. Clique aqui e conheça o hotel de propriedade de Paolo Rossi.

Natural da pequena cidade de Prato, na região norte do país, Paolo nasceu no dia 23 de setembro de 1953, e começou sua carreira no esporte aos 15 anos nas categorias de base do Juventus.

Na equipe de Turim, o ex-jogador não mostrou um bom desempenho e três anos mais tarde foi vendido ao Vicenza, que atuava na segunda divisão do Campeonato Italiano. Na Série B, Rossi conseguiu destaque e o título da competição, além de ser o artilheiro com 21 gols.

A série de boas exibições pesou e o atacante foi convocado para a Seleção Italiana, em 1977, um ano antes de sua primeira Copa do Mundo.

Em 1978, na Copa da Argentina, Paolo Rossi conseguiu um lugar na equipe principal e fez um mundial regular, levando seu país à quarta colocação.

Mas mesmo mostrando talento, o centroavante não foi bem aproveitado pelo Vicenza, e na temporada 1979/80, se transferiu para o Perugia, que havia conquistado o vice-campeonato nacional.

Em 1980, a carreira de Paolo Rossi foi manchada por dos maiores escândalos do futebol italiano. O artilheiro e mais 26 atletas estavam envolvidos com a Loteria Esportiva do país, e foram acusados de manipular os resultados de diversas partidas.

Como punição, Rossi ficou dois anos sem poder atuar. Porém, em 1981, o Juventus, clube em que foi revelado, fez uma proposta ao Vicenza e contratou o atacante.

Em 1982, o então treinador da seleção, Enzo Bearzot, convocou Rossi para a Copa do Mundo da Espanha. Sendo que sua pena acabou um mês antes do torneio mundial, permitindo-o participar da competição.

O desempenho da Azzurra na primeira fase da Copa foi muito ruim, com três empates nos três jogos, ficando empatado em pontos com a Seleção de Camarões. O desempate só foi possível graças a um gol marcado pelos italianos. Na segunda fase, também disputada em grupos, a Seleção Italiana caiu no chamado "grupo da morte?, ao lado de Argentina e Brasil. A primeira partida foi contra os argentinos, vitória apertada por 2 a 1, e uma boa exibição do Bambino de Ouro.

Já o segundo jogo, contra os brasileiros, Rossi faria a melhor partida de sua vida. Apesar de nunca ter sido um atacante genial, Paolo Rossi tinha um faro de gol incrível e dificilmente desperdiçava uma chance de gol.

Essa qualidade foi colocada à prova contra a Seleção Brasileira. O ex-jogador brilhou e marcou três vezes, acabando com o sonho do tetracampeonato na Espanha.

Na semifinal, o italiano marcou mais duas vezes e a Azzurra bateu a Polônia por 2 a 0. Com a vitória, a Itália começava a acreditar na conquista do tricampeonato e Rossi já era o destaque da Copa.

A última partida foi contra os alemães, e os adversários bávaros só aguentaram a pressão italiana por um tempo. Na volta do intervalo, a Azzurra mostrou sua força e com gols de Rossi, Tardelli e Altobelli, sagrou-se tricampeã mundial.

Em 1986, o ex-jogador também foi convocado para defender a seleção principal, mas a equipe fez uma péssima Copa e logo voltou para casa.

O ex-atacante só conquistou títulos no Juventus, vencendo dois Campeonatos Italianos, uma Copa da Itália, uma Supercopa Européia e uma Liga dos Campeões da UEFA.

Paolo Rossi também vestiu as camisas de Milan e Verona, mas sem o mesmo brilho dos tempos de Juventus. Em 1987, após uma lesão no joelho, o atacante decidiu encerrar sua carreira.

ABAIXO, OS MELHORES MOMENTOS DE ITÁLIA 3 X 2 BRASIL, EM 5 DE JULHO DE 1982. NARRAÇÃO DE LUCIANO DO VALLE

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES