Velloso

Ex-goleiro do Palmeiras, Santos e Galo
por Rogério Micheletti

Velloso, o Wagner Fernando Velloso, bom goleiro do Palmeiras nos anos 90, hoje tem residência fixa em Araras (SP), onde nasceu no dia 22 de setembro de 1968.
 
Ainda com a carreira em andamento, o goleiro Velloso se voltou para fora do futebol e abriu um posto de gasolina em Araras, onde nasceu, cidade em que possui um complexo de quadras esportivas.
 
No ano de 2012, lançou sua candidatura a vereador em Araras-SP, mas não foi eleito, contabilizando 211 votos.
 
Em 15 de dezembro de 2011, Velloso assumiu o comando técnico do Cene-MS, clube que disputaria em 2012 o Campeonato Sul-Mato-Grossense e o Brasileirão da Série D.
 
Em maio de 2006, ele foi contratado pelo Rio Branco de Americana para ser o auxiliar técnico de Pintado, com quem já tinha trabalhado um ano antes na Inter de Limeira. Em 2008, tornou-se treinador do América de São José do Rio Preto. Deixou o clube pouco tempo depois.

Foi substituído pelo ex-zagueiro Victor Hugo. Em junho do mesmo ano, ele foi fazer estágio com Felipão na seleção portuguesa. Ex-comandado do técnico gaúcho, Velloso também aproveitou para trabalhar como observador técnico.

Em 2009, o ex-goleiro assumiu o comando da Catanduvense para a disputa da Série A2 do Paulista, mas deixou o cargo no início de fevereiro. Em março, assumiu o Paraná Clube, onde ficou até maio, quando foi contratado pelo Mogi Mirim, presidido pelo ex-craque Rivaldo A equipe do interior tem ainda  César Sampaio  como consultor  e Cléber, o "Clebão" como diretor de futebol. Todos ex-palmeirenses.

Velloso, que é primo do ex-vascaíno Sorato, começou a carreira de goleiro no Palmeiras. Em 1989, ele foi profissionalizado. A chance no gol time principal apareceu com o técnico Emerson Leão, que não contava com Zetti (titular) e Ivan (primeiro reservas), ambos contundidos.

Velloso foi um dos destaques da equipe alviverde no Paulistão de 1989, competição na qual o Palmeiras foi eliminado pelo azarão Bragantino, então comandado por Vanderlei Luxemburgo. O Palmeiras tinha uma boa equipe que contava com jogadores como o quarto-zagueiro Darío Pereyra, o lateral-direito Édson Boaro, os meias Neto e Edu Manga, o centroavante Gaúcho, entre outros.
 
Velloso chegou a ter oportunidade na seleção brasileira em 1990, mas não foi feliz em um amistoso contra a Espanha. A Fúria venceu a partida por 3 a 0.

O jogo contra os espanhóis parece ter mexido com Velloso, que também perdeu a condição de titular no Palmeiras. O goleiro chegou a deixar o clube em 1992. Ficou um tempo parado e depois jogou pelo União São João, de Araras (SP). Em 1993, também por empréstimo, defendeu o Santos. Na Vila Belmiro, recuperou-se e voltou a ter boas atuações.

No ano seguinte, em 1994, voltava a ser titular da meta palmeirense. Nas finais do Brasileirão daquele ano, contra o arqui-rival Corinthians, Velloso foi um dos principais destaques do time comandado por Vanderlei Luxemburgo. O Palmeiras foi bicampeão brasileiro naquele ano.

O goleiro também foi importante na conquista do título paulista de 1996, quando o Palmeiras marcou mais de 100 gols no estadual. No entanto, Velloso não foi feliz na final da Copa do Brasil, quando falhou no gol marcado pelo centroavante Marcelo Ramos. O time mineiro venceu a decisão por 2 a 1, em pleno estádio Palestra Itália, e comemorou o título.

Mas Velloso não se abateu e foi até 1999 um dos melhores jogadores da Sociedade Esportiva Palmeiras. Uma contusão o tirou da equipe. Foi aí que surgiu a oportunidade para Marcos se destacar na conquista da Libertadores de 1999.

Velloso então deixou o Palmeiras, em definitivo, para defender o Clube Atlético Mineiro. Em Minas, o goleiro conseguiu manter a mesma regularidade dos tempos de Parque Antártica. No mesmo ano, 99, Velloso quase foi campeão brasileiro pelo Galo, que teve de se contentar com o vice nacional.

Em 2004, depois de sofrer várias contusões, ele deixou o Atlético Mineiro e acertou com o Atlético de Sorocaba (SP). Chegou a fazer boas partidas pela equipe do interior paulista, em especial uma contra o próprio Palmeiras, no Palestra Itália. Depois de sofrer mais uma lesão, o bom goleiro decidiu pendurar as luvas.

Velloso quase defendeu o Corinthians e o São Paulo

A contratação de Velloso pelo Corinthians quase foi fechada em 2000, mas o goleiro decidiu permanecer no Atlético Mineiro. À época, o alvinegro do Parque São Jorge procurava um substituto para Dida.

Anos antes, Velloso conta que tinha tudo certo para defender o São Paulo, mas por amizade a Zetti, o titular da época, preferiu ficar no Palmeiras.
 
Abaixo, a entrevista de Velloso à jornalista Yara Fantoni, em janeiro de 2018:
 

No dia 09 de setembro de 2018, Velloso participou do Domingo Esportivo Bandeirantes ao lado do ex-volante Amaral. Confira a íntegra da entrevista:

No dia 14 de outubro de 2018, Velloso comentou sobre os jogos da rodada do Brasileirão no Domingo Esportivo. Confira a entrevista:

O UOL publicou, no dia 27 de março de 2019, uma entrevista exclusiva com Velloso. Ele falou sobre a carreira e a função de comentarista esportivo, que exerce no Grupo Bandeirantes de Comunicação. Clique aqui e confira a íntegra.

No dia 08 de setembro de 2019, Velloso participou do Domingo Esportivo Bandeirantes e falou sobre a demissão de Luiz Felipe Scolari no Palmeiras, ocorrida dias antes. Confira a íntegra:

ver mais notícias
Pelo Palmeiras:

Com a camisa palmeirense, Velloso disputou 455 partidas (244 vitórias, 121 empates e 90 derrotas) e sofreu 406 gols - números do "Almanaque do Palmeiras", de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    61
  • 2 Pal
    53
  • 3 San
    48
  • 4 Cor
    44
  • 5 São
    43
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES