Klever Kolberg

Pioneiro brasileiro no Rali Dakar

por Marcos Júnior Micheletti

O gaúcho Klever Kolberg, nascido em 13 de maio de 1962, é o piloto brasileiro pioneiro no Rali Paris-Dakar, competição em que participou pela primeira vez em 1988, dois anos após estrear em provas de enduro, na categoria motos. 
 
Formado em engenharia, hoje também empresário e palestrante, Kolberg utiliza toda sua experiência para palestras motivacionais em todo o Brasil.
 
É casado com Cristiane, com quem tem um filho, Luca. É pai de outros dois filhos de seu primeiro relacionamento: Carolina e Matheus.
 
Ao lado do compatriota André Azevedo, Kolberg concluiu seu primeiro Dakar, à época entre Paris-Cidade do Cabo, em 1992.
Ainda pelo Dakar, em 1993, conquistou o título na categoria Motos Maratona. Competiu com motos até 1996, passando aos carros em 1997, ano em que se sagrou campeão do Rally dos Sertões, entre todos os competidores na categoria carros.
 
No Dakar foi vice-campeão na categoria Carros Maratona em 1999 e 2000 e na categoria Carros Diesel em 2002.
Preocupado com as questões ambientais, ligadas à sustentabilidade, foi o primeiro a utilizar etanol como combustível em um Dakar, em 2010.
 
No Rally dos Sertões, utilizando etanol, foi campeão em sua categoria em 2010 e 2011, e em 2013 novamente foi pioneiro, utilizando o diesel de cana-de-açúcar em seu protótipo T-Rex, com motor MWM 3.0.
 
Em 1996, pelas mãos de Egger Moraes, foi escrito o livro "Grãos de Areia - Oito Anos de Aventura no Rally Paris-Dakar", narrando as aventuras de Klever Kolberg e André Azevedo no Rali Dakar.
 
Em 25 de julho de 2013, preparando-se para a 21ª edição do Rally dos Sertões, Klever Kolberg foi entrevistado por Marcos Júnior Micheletti, editor de automobilismo do Portal Terceiro Tempo durante o Prólogo, em Goiânia.
 
 
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES