Dino Zoff

Ex-goleiro da Itália
por Diogo Miloni

Um dos melhores goleiros que a Itália já teve. Habilidoso, com ótimos reflexos e um grande líder: características marcantes de Dino Zoff, arqueiro e capitão da Seleção Italiana campeã da Copa do Mundo de 1982. Em 2012, aos 70 anos, já havia se aposentado de uma breve, mas vitoriosa, carreira como técnico e residia em Roma, cuidando de seus filhos e netos.
 
Natural da comunidade de Mariano Del Friuli, uma espécie de vilarejo próximo de Veneza, Zoff nasceu no dia 28 de fevereiro de 1942 e começou sua carreira no futebol aos 19 anos, quando estreou pela Udinese, equipe tradicional de Udine, cidade situada no norte do país.
 
Muito destaque em dois anos na meta da Bianconeri levaram o arqueiro para o Mantova, onde permaneceria por quatro temporadas, até 1967. Ano este, aliás, que seria muito importante para a carreira de Zoff: foi quando o Napoli acertou sua contratação e quando estrearia pela Seleção Italiana.
 
Na Copa do Mundo de 1970, realizada no México, Dino Zoff foi como reserva do experiente Enrico Albertosi e viu sua equipe ser vencida na decisão do torneio, contra o Brasil de Pelé, Jairzinho, Tostão, Rivelino e Gérson.
 
Em 1972, Albertosi deixou o gol italiano e Zoff assumiu a camisa número um, a qual vestiria por mais de onze anos consecutivos. Junto da titularidade na Azzura, o goleiro também mudou de clube, fechando com a Juventus, de Turim.
 
Tanto pela seleção nacional, quanto pela Vecchia Signora, o arqueiro colecionou conquistas: sendo vencedor do Calcio por cinco oportunidades e levantando as taças da Eurocopa, em 1968, e da Copa do Mundo de 1982, ambos pela seleção.
 
No mundial disputado na Espanha, em 1982, Dino Zoff chegou como o jogador mais experiente do elenco, aos 40 anos. E com a responsabilidade de ser capitão de uma equipe desacreditada, que vinha da eliminação precoce da Copa de 1978, quando a Itália caiu ainda na primeira fase da competição mundial.
 
A Itália não começou bem e só conseguiu a classificação para a segunda fase após empatar os três primeiros jogos do torneio, com equipes de menor expressão como Polônia, Camarões e Peru. Na etapa seguinte, a Azzurra bateu a Argentina e conseguiu virar um jogo histórico , diante do Brasil, naquela que ficaria conhecida como "A Tragédia do Sarriá?. Na sequência da competição, a Itália bateria a Polônia na semifinal e a Alemanha na decisão.
Zoff se aposentou em 1983 e decidiu atuar como treinador, tendo sucesso dirigindo a própria Juventus e, posteriormente, a Seleção Italiana Pré-olímpica.
 
Abaixo, ouça a entrevista que Dino Zoff concedeu ao jornalista Rodrigo Linhares no dia em que completou 76 anos (28 de fevereiro de 2018):
 

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES