Carlos Eugênio Simon

Ex-árbitro

por Tufano Silva

Carlos Eugênio Simon, um dos mais respeitados árbitros da história do futebol brasileiro, em 2010, após atingir a idade limite para apitar jogos oficiais pela Fifa, decidiu encerrar sua carreira e exercer o cargo de coordenador-executivo do Comitê Gestor da Copa do Rio Grande do Sul.

Em fevereiro de 2012, o ex-árbitro assumiu um novo desafio profissional, ser comentarista da TV por assinatura Fox Sports Brasil. Simon é jornalista formado pela PUC-RS e pós-graduado em Ciências do Esporte.

Carreira

Simon nasceu em Braga, cidade do interior do Rio Grande do Sul, no dia 3 de setembro de 1965. Se formou jornalista pela Pontifícia Universidade Católica, com pós-graduação em Ciência do Esporte.

Entrou no quadro de árbitros da CBF no ano de 1993, e no da Fifa em 1997. Apitou os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2000, as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, 2006 e 2010, além de inúmeras Copas Libertadores da América, Campeonatos Brasileiros e Campeonatos Gaúchos.

Participou também de três Copas do Mundo. Em 2002, arbitrou os empates entre Inglaterra e Suécia, e México e Itália, ambos por 1 a 1; em 2006, atuou nas partidas entre Itália e Gana, Espanha e Tunísia, e Alemanha e Suécia; e em 2010, apitou os duelos entre Inglaterra e Estados Unidos, e Alemanha e Gana.

Polêmicas

Mesmo sendo muito respeitado durante toda a sua carreira, certos lances polêmicos acabaram marcando o árbitro com algumas torcidas brasileiras. O de maior repercussão foi no jogo entre Fluminense e Palmeiras, no Campeonato Brasileiro de 2009. O Alviverde ainda lutava pelo título da temporada, e abriu o placar com Obina, ainda no primeiro tempo. No entanto, Simon anulou o gol, alegando falta do atacante palmeirense, o que causou grande revolta de Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente do time paulista.

Além disso, as arbitragens na partida entre Corinthians e Brasiliense, pela final da Copa do Brasil de 2002, e no duelo entre Botafogo e Atlético-MG, em 2007, que valia uma vaga na semifinal do mesmo torneio, também causaram protestos de dirigentes e torcedores.

Em 28 de janeiro de 2014, o UOL Esportes publicou a seguinte matéria sobre Somon

Simon vira capitão de churrascos e zagueiro botinudo no time do Fox Sports

A fase de homem mais odiado entre os 25 que estão dentro de um campo de futebol já passou. Polêmicas, xingamentos de torcida e críticas da imprensa por erros são coisas que ficaram pra trás. Agora, o que se vê do ex-árbitro Carlos Eugênio Simon é uma fase light e “boa praça”.

É assim que o comentarista de arbitragem é visto por seus companheiros no Fox Sports, empresa na qual trabalha desde 2012. Simon conquistou os funcionários por um jeito apaziguador e que colabora para um ambiente saudável.

Diverte o companheiros pelo estilo xerife como zagueiro da equipe que disputa o campeonato de imprensa local. E, mais do que isso, é quem organiza os churrascos da empresa para interagir os funcionários.

“Ele é um cara assim mesmo, que sabe cultivar as relações e uma boa atmosfera de trabalho. Você percebe que ele é engajado e projetado pra isso (do bom ambiente). Nós fizemos uma churrasqueira lá na sede da Fox no rio e ele começou a se incumbir de organizar tudo. Começou a trazer carne, tempero e outras coisas”, falou Eduardo Zerbini, homem forte da emissora no Rio.

O ex-árbitro é formado em jornalismo há muito tempo e diz que queria muito poder desfrutar da profissão. Apesar de dizer que se pressiona por um bom desempenho da mesma forma que nos tempos de árbitro, admite que agora o momento profissional é totalmente diferente quanto à pressão e exposição, o que ajuda a ter uma vida bem mais “light”.

“Nesse sentido (de pressão, exposição), não tem como comparar. Antes uma polêmica tinha repercussão de dez dias. Hoje eu comento e uns concordam, outros não. Não existe pressão por erro. Árbitro altera resultado de jogo (se errar). Agora é mais tranquilo, claro. A minha família chegou a sofrer muito, é muita pressão, já que eu ficava no olho do furacão. É completamente diferente a adrenalina e stress. Agora tenho gostado muito, é bem mais relaxante, estou gostando muito, muito, uma vida muito mais tranquila”, explicou.

Ele diz que organizar a churrascada da empresa é algo que mostra uma face que sempre carregou, a de respeito às pessoas e ao ambiente, independentemente do tipo de pressão que tenha.

“Tenho muito esse lado de tratar igual o porteiro e o dono da empresa. Todos são iguais. E adoro churrasco, por isso reuni as pessoas. Mas essa minha relação com as pessoas é algo que muitos desconheciam porque eu vivia em um campo de jogo, em um ambiente sério. Tem gente que me fala assim ´se eu soubesse que você era assim eu não teria te xingado tanto´. Mas o ambiente é bom e me adaptei bem”, falou.

Até participar de peladas e do time da empresa em torneios de futebol é algo da integração que faz de Simon o boa praça da empresa. Ele jogou a competição na zaga e ganhou ainda mais popularidade com os companheiros pelo estilo xerife e duro, para alguns, até “botinudo”. O que é negado pelo ex-árbitro.

“Minha função é no meio-campo, sempre fui meio-campista. Mas como é futebol de sete, falei que ficava de fixo lá atrás. Mas não (chega junto), não. Nem tenho mais vigor para isso”, brincou.

“Eles têm que ter um cara com mais de 40 anos no time, aí fui cooperar com a gurizada. Tudo por essa integração. É bom pra sempre tomar uma cervejinha, bater um papo. Sempre que tem eu falo que vou participar. Vale muito a pena.”

ver mais notícias
ver mais Áudio

Selecione a letra para o filtro

Mais lidas

  • Sem notícias nesta categoria
  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    39
  • 2 San
    37
  • 3 Pal
    36
  • 4 Cor
    32
  • 5 São
    31
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES