Novo treinador do Peixe defendeu o clube em 2005. Foto: Arquivo/Santos FC

Novo treinador do Peixe defendeu o clube em 2005. Foto: Arquivo/Santos FC

CLIQUE AQUI E RELEMBRE A CARREIRA DE FERNANDO DINIZ NA SEÇÃO “QUEM FIM LEVOU?”

Contratado com a missão de substituir Ariel Holan, tirar o Santos da má fase e trabalhar com o elenco enxuto, cheio de garotos formados na base, Fernando Diniz terá uma nova chance para brilhar na Vila Belmiro. Anunciado nesta quinta-feira (6), o agora treinador voltará a defender o Peixe após 16 anos.

Em 2005, o Santos vivia um momento de transição. Enquanto a geração bicampeã brasileira, formada por Diego, Robinho, Renato e Elano, deixava o clube, e o técnico Vanderlei Luxemburgo, que havia acabado de conquistar o Brasileirão de 2004, se despedida ao Alvinegro para dirigir o Real Madrid, nomes questionáveis chegavam à Vila. O clube abriu a temporada anunciando o goleiro Henao (ex-Once Caldas) e os meias Tcheco (ex-Grêmio) e Fábio Baiano (ex-Flamengo e Corinthians).

Para o lugar de Luxa, o Santos apostou no nome de Oswaldo de Oliveira. Ex-auxiliar do “Profexô”, Oswaldo já havia assumido o lugar de Luxemburgo quando o treinador deixou o Corinthians para assumir a seleção brasileira anos antes.

Ao desembarcar na Vila Belmiro, Oswaldo pediu mais um nome: o treinador indicou a contratação de Fernando Diniz, então meio-campista com quem havia trabalhado no Fluminense – Fernando chegou acompanhado dos atacantes Evando e Eder Ceccon, ambos ex-Avaí. O meia, então com 31 anos, chegou sob desconfiança à Vila, principalmente por uma passagem apagada no Cruzeiro. Experiente, o jogador, revelado pelo Juventus, havia passado Palmeiras, Corinthians e Flamengo, além do próprio Fluminense e outros clubes.

Mesmo com a confiança do treinador, Diniz, assim como boa parte dos reforços contratados pelo Peixe naquele início de ano, não brilhou com a camisa alvinegra. O período na Vila não deixou saudade.

O ano não começou bem para a equipe santista e com menos de quatro meses de trabalho Oswaldo de Oliveira acabou demitido no mês de março. Para o seu lugar, o Peixe buscou o ex-volante Alexandre Gallo, capitão da equipe na histórica campanha do Brasileirão de 95. O novo treinador chegou modificando peças no elenco alvinegro e sobrou para Diniz. Contratado em 12 de janeiro de 2005, Fernando acabou dispensado em 1º de abril do mesmo ano. Nesse período, foram apenas quatro jogos disputados e nenhum gol marcado.

Vivendo sua “segunda chance” na Vila, Diniz assume o clube cheio de problemas financeiros. O treinador assinou contrato de um ano, com a possibilidade de ampliar por mais um ano ao final de 2021.

CLIQUE AQUI E RELEMBRE A CARREIRA DE FERNANDO DINIZ NA SEÇÃO “QUEM FIM LEVOU?”

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa