Tim

Ex-meia do Fluminense, São Paulo e Portuguesa Santista
Um dos grandes craques brasileiros nos anos 30 e 40, Tim, o Elba de Pádua Lima, nasceu no dia 20 de dezembro de 1916, em Rifania (SP), e morreu no dia 7 de julho de 1984, no Rio de Janeiro. Foi acima da média como atleta, tanto que Domingos da Guia um dia falou: "Em dez anos ao lado do Tim, eu nunca o vi errar", elogiou o grande Domingos da Guia. Além de grande jogador, Tim se destacou também como treinador.

Aos 7 anos de idade, Tim perdeu o pai e mudou-se com a mãe para Ribeirão Preto (SP), onde iniciou sua carreira nos infantis do Botafogo de Ribeirão Preto, aos 12 anos. Em 1931, aos 15, já atuava entre os profissionais do Pantera.

Em 1934, o meio-campista teve seu passe vendido para a Portuguesa Santista por quinhentos contos de réis. E, lá, na Briosa seu futebol se destacou. Tim foi então convocado para a seleção paulista em 1935 e, depois, para a seleção brasileira em 1936 para a disputa do Campeonato Sul Americano, quando ganhou o apelido de "El Peon", por sua maneira habilidosa de atuar.

Após o Campeonato Sul Americano, Tim voltou para Ribeirão Preto, ficando por quatro meses no Botafogo. Então seguiu para o Fluminense. E no Rio de Janeiro, ele viveu o auge de sua carreira. Conquistou o tricampeonato carioca de 1936, 1937 e 1938 e o bicampeonato de 1940 e 1941.

Em 1938, ele foi titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1938, disputada na França. Em 1944, transferiu-se para o São Paulo, onde atuou até 1947. Naquele ano, Tim voltou ao Rio de Janeiro, dessa vez para atuar pelo Botafogo.

Técnico e jogador

Tim acumulou duas funções no ano de 1948. Além de jogador, ele foi também treinador do Olaria. Nos anos de 1949 e 1950 repetiu a dose no Botafogo de Ribeirão Preto, time que o revelou. Encerrou a carreira de jogador pelo time do Pantera. E em 1952 se dedicou começou a se dedicar totalmente a carreira de treinador, no Bangu.

Aliás, ele foi treinador do Bangu em diversas oportunidades. Também comandou as equipes como Fluminense, Vasco da Gama, Flamengo, Coritiba, Botafogo de Rio, Santos, San Lorenzo da Argentina, São José (SP) e Internacional de Limeira.

Números

Tim vestiu a camisa da Seleção Brasileira em 16 partidas. Pelo São Paulo, o meio-campista fez apenas 14 partidas (nove vitórias, dois empates e três derrotas).

Características

Como jogador era um meia-esquerda talentoso e exímio driblador. Como treinador, Tim era um grande estrategista, tendo sido campeão carioca de 1964 (Fluminense) e Vasco da Gama (1970).

Despedida de Pelé

Tim era o técnico do Santos no dia em que Pelé se despediu do futebol brasileiro para defender o Cosmos, dos Estados Unidos, em 1974. O time santista derrotou a Ponte Preta, na Vila. Pelé foi substituído por Gilson Beija-Flor e se ajoelhou no centro da Vila Mais Famosa. O curioso é que o mesmo Gilson Beija-Flor se tornou político no Guarujá, anos depois. E, assim que tomou posse como vereador na bela cidada da Baixada Santista, Gilson interditou uma grande obra no Jardim Acapulco. Detalhe: o proprietário era Pelé.
ver mais notícias
Pelo São Paulo:

Atuou em 14 jogos, sendo nove vitórias, dois empates e três derrotas. Não marcou gols.
Fonte: Almanaque do São Paulo, de Alexandre da Costa


Pela Seleção Brasileira:

Tim vestiu a camisa da Seleção Brasileira em 16 partidas. Pelo São Paulo, o meio-campista fez apenas 14 partidas (nove vitórias, dois empates e três derrotas).
 
Fonte: Seleção Brasileira - 90 Anos - 1914 - 2004, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES