Djalma Santos

Ex-lateral do Palmeiras e Lusa
Djalma Santos, cujo nome oficial é Dejalma dos Santos, nascido em São Paulo em 27 de fevereiro 1929, nosso eterno lateral-direito das Copas de 1954, 58, 62 e 66, trabalhou como professor de futebol das escolinhas públicas de Uberaba (MG) até alguns meses antes de sua morte.
 
Internado desde o dia 1º de julho 2013 no Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, Minas Gerais, Djalma Santos não resistiu ao quadro crítico de comprometimento na função renal, morrendo em 23 de julho daquele mesmo ano.

Viúvo de seu primeiro casamento (casou novamente, anos depois), ele foi craque da Lusa entre 1949 e 1958, Palmeiras de 59 e 68 e Atlético Paranaense de 68 a 72, onde encerrou sua carreira aos 42 anos.

Suas boas atuações na defesa da Portuguesa de Desportos lhe renderam uma vaga entre os convocados para a Copa da Suiça, em 1954.

Quatro anos mais tarde Djalma também integrou o grupo brasileiro que foi para a Suécia e venceu a copa pela primeira vez. A única partida em que jogou desde o início foi a final, contra a Suécia (De Sordi era o titular) e mesmo assim foi escolhido o melhor lateral daquele mundial.

Em 1962, também fez parte do grupo do técnico Aymoré Moreira que trouxe o bi-mundial do Chile, mas agora como titular absoluto. E quatro anos depois, lá estava Djalma Santos de novo, jogando seu quarto mundial de seleções.

Ele foi um dos 47 jogadores convocados pelo técnico Vicente Feola, para o período de treinamento que visava conquistar a Copa da Inglaterra e, consequentemente, o tricampeonato mundial de futebol. Infelizmente deu tudo errado.

Os 47 jogadores convocados, devido a forte pressão dos dirigentes dos clubes, para o período de treinamento em Serra Negra-SP e Caxambu-MG como preparação para a Copa de 66, na Inglaterra, foram: Fábio – São Paulo, Gylmar – Santos, Manga – Botafogo, Ubirajara Mota – Bangu e Valdir – Palmeiras (goleiros); Carlos Alberto Torres – Santos, Djalma Santos – Palmeiras, Fidélis – Bangu, Murilo – Flamengo, Édson Cegonha – Corinthians, Paulo Henrique – Flamengo e Rildo – Botafogo (laterais); Altair – Fluminense, Bellini – São Paulo, Brito – Vasco, Ditão – Flamengo, Djalma Dias – Palmeiras, Fontana – Vasco, Leônidas – América/RJ, Orlando Peçanha – Santos e Roberto Dias – São Paulo (zagueiros); Denílson – Fluminense, Dino Sani – Corinthians, Dudu – Palmeiras, Edu – Santos, Fefeu – São Paulo, Gérson – Botafogo, Lima – Santos, Oldair – Vasco e Zito – Santos (apoiadores); Alcindo – Grêmio, Amarildo – Milan, Célio – Vasco, Flávio – Corinthians, Garrincha – Corinthians, Ivair – Portuguesa de Desportos, Jair da Costa – Inter de Milão, Jairzinho – Botafogo, Nado-Náutico, Parada – Botafogo, Paraná – São Paulo, Paulo Borges – Bangu, Pelé – Santos, Servílio – Palmeiras, Rinaldo – Palmeiras, Silva – Flamengo e Tostão – Cruzeiro (atacantes).

Dos 47 convocados por Vicente Feola, para esse infeliz período de treinamentos, acabaram viajando para a Inglaterra os seguintes 22 "sobreviventes": Gylmar e Manga (goleiros); Djalma Santos, Fidélis, Paulo Henrique e Rildo (laterais); Bellini, Altair, Brito e Orlando Peçanha (zagueiros); Denílson, Lima, Gérson e Zito (apoiadores); Garrincha, Edu, Alcindo, Pelé, Jairzinho, Silva, Tostão e Paraná (atacantes).
 
ABAIXO, NA FINAL ENTRE BRASIL X TCHECOSLOVÁQUIA NA COPA DE 1962, NO CHILE, DJALMA SANTOS COLOCA O BRAÇO NA BOLA EM CHUTE DE JELINEK. A PARTIDA ESTAVA 1 A 1 E TERMINOU 3 A 1 PARA O BRASIL, QUE CONQUISTOU O BICAMPEONATO CONSECUTIVO

ver mais notícias

Pelo Palmeiras:

Com a camisa palmeirense, entre os anos 1959 e 1969, Djalma Santos realizou 498 jogos (295 vitórias, 105 empates e 98 derrotas) e marcou 10 gols. Pelo Palmeiras, ele foi campeão do Roberto Gomes Pedrosa (1967), Taça Brasil (1960 e 1967), Rio-São Paulo (1965) e Paulista (1959, 1963 e 1966).
Fonte: Almanaque do Palmeiras, de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti

Pela Seleção Brasileira:

Pela Seleção Brasileira, Djalma Santos fez 111 jogos (79 vitórias, 16 empates, 16 derrotas) e marcou três gols.
Fonte: Seleção Brasileira - 90 Anos - 1914 - 2004, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf

Títulos da carreira de Djalma Santos

Palmeiras: Taça Brasil (19660, 1967), Robertão (1967), Paulista (1959, 1963, 1966), Rio-São Paulo (1965).

Portuguesa:Rio-São Paulo (1952), Roberto Gomes Pedrosa (1955)

Atlético Paranaense:Campeão Paranaense (1970)



Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES