Jackson Follmann

Ex-goleiro da Chapecoense

por Túlio Nassif

Jackson Ragnar Follmann, ou somente Follmann, nasceu no dia 14 de março de 1992, em Santa Rosa, no Rio Grande do Sul. Ele atuava como goleiro e estava presente no voo 2933 da LaMia, que ficou marcado por ser o maior acidente aéreo envolvendo uma delegação esportiva, quando o avião da Chapecoense caiu na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. Em 2016, ele seguia residindo em Chapecó, Santa Catarina. Em abril de 2017, assinou contrato com a Fox Sports para reforçar a equipe de comentaristas nas coberturas da Sul-Americana, Libertadores e Copa do Mundo de 2018, mas detendo-se ao específico desempenho dos goleiros.

Iniciou carreira em 2011 no Juventude, onde permaneceu até 2013. Após isso, teve passagens por Grêmio (de 2013 a 2015), Linense (de 2015 a 2016) e URT de Minas Gerais (em 2016), tendo conquistado o Campeonato Mineiro do Interior. E no dia 10 de maio de 2016, a Chapecoense anunciou Follmann para compor o quadro defensivo e de goleiros, pois o ídolo Nivaldo já estava se aposentando.

Pela Chape, conquistou a Copa Sul-Americana em 2016. Realizou apenas uma partida, até porque era reserva de Danilo. Números que foram interrompidos devido ao acidente do avião que transportava o time catarinense para o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana. Apesar de Follmann ter sido um dos três sobreviventes das 71 vítimas fatais, o ex-goleiro teve parte de sua perna direita amputada, pela gravidade dos ferimentos. Tal fato o fez encerrar as atividades como profissional.

No player abaixo, ouça a participação de Jackson Follmann no Domingo Esportivo, no dia 5 de março de 2017:

O UOL pulbicou matéria em 16 de março de 2017, sobre uma declaração que Follmann fez em seu Instagram, que segue abaixo, na íntegra:

Follmann brinca após treino e diz que teve cãibra em perna amputada

Em recuperação após o acidente aéreo da Chapecoense, Jackson Follmann participou do treino do time na quarta-feira antes de partida contra o Lanús pela Copa Libertadores e depois brincou com a situação. "Trabalho hoje rendeu tanto que me deu até câimbra na perna direita @alanruschel me salvou pois viu logo e já me alongou", escreveu em seu perfil no Instagram. A perna direita é a que Follmann precisou amputar em decorrência do acidente e na qual usa agora uma prótese.

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES