Fabiano

Ex-atacante do Internacional
por Tufano Silva
 
Fabiano, o Luiz Fabiano de Souza, atacante que se destacou no final dos anos 90 por conta de suas belas apresentações pelo Inter-RS em Gre-Nais, no ano de 2012, aposentado do futebol, resolveu apostar na política: lançou sua candidatura a vereador em Porto Alegre-RS, mas não foi eleito, contabilizando 2.424 votos.

Nascido na cidade de Rubim-MG em 18 de março de 1975, Fabiano iniciou sua carreira nas categorias de base do Sertãozinho, modesto clube do interior de São Paulo. Também atuando como juvenil, teve uma passagem pelo XV de Jaú, até chegar em 1993 ao Juventus, onde, enfim, conseguiu se profissionalizar.
 
Em 1996, trocou o clube da Mooca pelo Internacional, onde Fabiano viveu os melhores anos de sua carreira. Foram quatro temporadas consecutivas no Colorado, conquistando por lá, além do Campeonato Gaúcho de 1997, as alcunhas de "Uh, Fabiano? e "Homem Gre-Nal?, por conta de seu bom desempenho nas partidas contra o Grêmio (saiba mais sobre o a relação de Fabiano com os clássicos contra o Tricolor na reportagem reproduzida abaixo).
 
Foi negociado por empréstimo com o São Paulo em 2001. No entanto, a passagem de Fabiano pelo Tricolor paulista foi curta, e o atacante voltou ao Inter em 2002, para conquistar mais um Campeonato Gaúcho, naquela mesma temporada. Foi novamente emprestado, desta vez ao Santos, mas logo voltou ao Colorado, com quem tinha contrato até 2004.
 
Sem espaço no Internacional, Fabiano foi vendido ao futebol da Arábia Saudita, onde atuou pelo Al-Ittifaq. A partir de então, o atacante passou a rodar por diversos clubes do futebol mundial. Defendeu a Acadêmica-POR, Atlético Nacional-COL, Marília-SP, Olmedo-EQU, Ulbra-RS, CRB-AL, Al-Mesaimeer-QAT, São José-RS e União Frederiquense-RS.
 
Em 7 de dezembro de 2011, Fabiano realizou um jogo festivo que marcou sua despedida do futebol. A partida foi entre o time do Inter de 1997 contra os amigos do centroavante Leandro Damião. Naquela mesma temporada, o atacante havia trabalhado como auxiliar técnico Rodrigo Bandeira, no EC São José.
 
Confira abaixo a matéria reproduzida da Revista do Inter nº52, falando sobre a relação de Fabiano com Gre-Nais
Por Juliano Soares
 
Sabe aquele camisa sete que nenhum zagueiro quer ver perto da sua área? Um atacante com força, velocidade e habilidade que quando tem a bola dominada vai pra cima da defesa causando pânico no adversário? Pois o Inter revelou para o futebol este grande atacante. Trata-se de Fabiano Souza, que no fim dos anos 90 fez história vestindo a camiseta colorada.
Até hoje Fabiano é lembrado pelos gols marcados, pela parceria com Christian no ataque, pelo título gaúcho de 1997 e, é claro, pela atuação memorável no famoso Gre-Nal dos 5 a 2. Porém, o que pouca gente sabe é que ele começou a sua carreira com uma idade avançada para os parâmetros do futebol. Fabiano tinha 17 anos e jamais havia pensado em ser um profissional. Trabalhava em uma fábrica, na cidade de Sertãozinho, interior de São Paulo, e jogava bola com seus amigos apenas por lazer. E foi justo um destes amigos que o levou às categorias de base do clube da cidade. O então garoto só aceitou porque tinha perdido o emprego. O que o jovem não imaginava é que a partir daquela decisão sua vida mudaria completamente.
No início da carreira Fabiano passou por clubes pequenos de São Paulo, até ser descoberto no Juventus-SP pelo dirigente Silvio Silveira (que trabalha até hoje no departamento de futebol do Inter), que o trouxe para o Beira-Rio em 1996. A partir daí sua vida mudou completamente. O Colorado foi o primeiro grande time que lhe dera uma chance, a oportunidade para mostrar seu talento. E Fabiano não decepcionou, pelo contrário, deu muitas alegrias aos torcedores colorados.
Em 1997 o Internacional montou um grande time, a começar pelo goleiro. André Döring surgia como promessa, mantendo a tradição de revelar bons goleiros. Na lateral direita o paraguaio Enciso mostrava a raça e o vigor castelhano. A dupla de zaga era formada por Márcio e tinha um dos maiores zagueiros da história do Inter, Gamarra. Na lateral esquerda Régis subia das categorias de base para o profissional com um futuro promissor. No meio-campo, Arílson e Sandoval viviam fase esplendorosa na armação das jogadas, Anderson e Fernando davam sustenção na marcação. E o ataque era formado por uma dupla mortal: Fabiano e Christian aterrorizavam a vida dos zagueiros. O comandante era Celso Roth. Este time conquistou o Campeonato Gaúcho de 1997. Na final, em dois jogos disputados contra o Grêmio, o Colorado empatou fora e venceu por 1 a 0, gol de Fabiano, para delírio dos mais de 40 mil torcedores que lotaram o no Beira-Rio.
Neste mesmo ano o Inter fez uma ótima campanha no Campeonato Brasileiro, ficando com a terceira colocação. Porém o que iria marcar para sempre a história de vida do nosso ídolo eterno de hoje era o dia 24 de agosto de 1997.
Depois de conquistar o Gauchão em cima do Grêmio, com um golaço de Fabiano na final, o Inter saiu de casa para encarar outro clássico. Desta vez, o Gre-Nal era válido pelo Campeonato Brasileiro. Foi um passeio da equipe colorada em pleno domínio gremista. Fabiano, já consagrado, acabou com seus marcadores, marcou dois gols e participou de outro marcado por Sandoval. Christian abriu o placar em uma bela cabeçada, ainda no começo do jogo, após cruzamento perfeito de Enciso. Aos 32min, Sandoval ampliou após magistral jogada de Fabiano, que deixou Rivarola sentado e passou para ampliar o marcador. Fabiano começou sua festa nas redes tricolores aos 16 minutos do segundo tempo: 3 a 0 após rebote de Murilo. Logo aos 23min, mais um gol do ponteiro, em um belíssimo chute cruzado, sem chances para Murilo. O  meia Marcelo marcou o último gol da goleada aos 38min do segundo tempo, após chute de Luciano e rebote de Murilo. Nas gerais, os poucos gremistas que permaneciam no estádio olhavam atônitos a festa completa da Naçã
o Colorada. O Grêmio ainda descontou com Gilmar, mas o dia estava marcado como o dia do Inter, o dia de Fabiano.
Após quatro anos jogando no colorado, Fabiano teve uma rápida passagem pelo São Paulo, depois retornou. Em 2002 foi para Santos e a partir daí passou por diversos clubes do Brasil e do exterior. A passagem mais inusitada e curiosa da carreira foi no Quatar, quando defendeu o Al Mesaimeer. Lá, quase foi preso por tomar banho de mar apenas de sunga, o que é considerado atentado ao pudor naquele país. Entre gols e polêmicas Fabiano marcou história no Inter e no coração dos torcedores. Hoje, já aposentado do futebol, sonha em ser treinador e estuda para isso. Suas referências na área? Carlos Alberto Parreira e Paulo Autuori.
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES