ESAB Esporte Clube

Time mineiro dos anos 70

Por João Antonio de Carvalho

O ESAB foi uma equipe que teve uma breve existência nos anos 70 mas que chegou a disputar o Campeonato Mineiro por quatro anos seguidos.

Sua história começou com os funcionários da empresa sueca Elektriska Svetsnings Aktie Bolaget (ESAB), uma indústria de soldas elétricas, que ficava em Contagem.

O clube foi fundado em 1º de março de 1970 e no início os empregados apenas jogavam para se distrair nas horas vagas. Um grupo deles decidiu pedir para um dos diretores da empresa, Sr. Leif Gronstedt, um jogo de uniformes.

A partir daí eles ganharam um grande aliado, já que o dirigente era um sueco que adorava futebol e não só comprou os uniformes como começou a bancar as viagens para jogos amistosos, contratou um treinador e passou a contratar para a firma quem tivesse habilidade em futebol.

Depois de conquistar a Copa Itatiaia duas vezes, em 1970 e 1972, o ESAB aceitou o convite para disputar o Campeonato Mineiro da Primeira Divisão, em 1974, mandando seus jogos no Estádio Jorge Dias de Oliva.

Nessa época o clube já contratava jogadores que não trabalhassem na empresa e para essa nova empreitada foram contratados veteranos como Oldair Barchi, campeão brasileiro em 1971 pelo Atlético Mineiro, e Natal e Evaldo, que durante anos jogaram com Tostão e Dirceu Lopes no Cruzeiro.

Em 1974 a campanha foi modesta e o time terminou em nono lugar. Em 1975 chegou a disputar o título do primeiro turno, perdendo para o Cruzeiro, mas não conseguindo chegar no quadrangular final. Em 1976, em sua melhor participação, terminou em sexto lugar. Em 1977 o time não foi bem e ficou em décimo.

O time foi extinto no ano seguinte, em 1978, curiosamente porque estava crescendo demais e tomando tempo de seus dirigentes e de outras pessoas da empresa.

Um das histórias mais curiosas do time foi o caso do lateral Luís Fábio, que jogou no ESAB emprestado pelo Cruzeiro. Durante sua passagem na equipe foi descoberto que ele jogava com documentos falsos.

Ele na verdade se chamava Ananias mas jogava com o nome de Luís Fábio, que não tinha sido aproveitado no juvenil do Cruzeiro. O time estrelado pegou seus documentos para diminuir a idade de Ananias. O escândalo foi descoberto, mas o ESAB não teve nenhuma culpa no ocorrido.

ESAB, mais um dos efêmeros clubes que passaram pelo futebol brasileiro.

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES