Charles Guerreiro

Ex-lateral do Flamengo
por Rogério Micheletti
 
O polivalente Charles Guerreiro, ex-jogador do Remo, Ponte Preta, Guarani, Paysandu, Flamengo e seleção brasileira, atualmente é o treinador do Imperatriz, clube do Maranhão.

Em 2008, passou a dirigir o Cardoso Moreira, modesto time carioca que subiu da Série B do campeonato estadual em 2007.

Assumiu o comando técnico do Paysandu em 2010 e sagrou-se bicampeão paraense em 2010 e 2011.
 
"Encerrei minha carreira em 2002. Estava jogando no Remo", diz Charles Guerreiro, que não esquece os tempos de Flamengo.

"No Flamengo, eu vivi o melhor momento da minha carreira, chegando até na seleção", conta Charles Guerreiro, que lembra com carinho de ex-companheiros de Fla.

Foram 246 jogos com a camisa do time da Gávea (123 vitórias, 67 empates, 56 derrotas) e apenas dois gols marcados (fonte: Almanaque do Flamengo - Clóvis Martins e Roberto Assaf).

"O Mestre Júnior (o Capacete) e o Gilmar (Rinaldi) foram dois dos grandes amigos que eu tive no Flamengo. Eles me ajudaram muito. Não era fácil um jogador do futebol do norte, com passagens pelas equipes de Campinas, ter sucesso no Flamengo", diz Charles.

O ex-goleiro Gilmar Rinaldi, hoje empresário, não sempre "pegou no pé" de Charles, seu ex-companheiro de quarto. "Eu sempre fazia o Charles ficar treinando chutes a gol depois dos treinos do Flamengo. Pena que ele mandou aquela bola no placar no jogo contra a Inglaterra, depois de ter feito uma linda jogada", fala Gilmar, referindo-se a um amistoso da seleção brasileira.

Charles retruca: "Teve o lado positivo de chutar a bola pra fora. Ela caiu nos braços da rainha da Inglaterra", brinca Charles.

O bom momento vivido por Charles Guerreiro pelo Rubro-Negro carioca rendeu ao jogador a convocação feita por Carlos Alberto Parreira para alguns amistosos em 1992 (Brasil 3 x 1 Finlândia em Cuiabá, Inglaterra 1 x 1 Brasil em Londres, Brasil 4 x 2 Costa Rica em Paranavaí-PR) e outro amistoso em 1995, diante da Argentina, em Buenos Aires, com vitória brasileira por 1 a 0. Nesta ocasião, o treinador brasileiro era o campeoníssimo Mário Jorge Lobo Zagallo.

Emapte em 1 a 1 contra o time inglês, diante da Rainha Elizabeth. Bebeto marcou para o Brasil, aos 25 minutos do primeiro tempo e e David Platt igualou o marcador aos três da etapa final.
ver mais notícias

Pelo Flamengo:

Foram 246 jogos com a camisa do time da Gávea (123 vitórias, 67 empates, 56 derrotas) e apenas dois gols marcados (fonte: Almanaque do Flamengo - Clóvis Martins e Roberto Assaf).

Pela Seleção Brasileira:

Atuou em quatro partidas e não marcou gols
Fonte: Seleção Brasileira - 90 Anos
Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES