Celso Roth

Treinador, ex-zagueiro
por Marcelo Rozenberg
 
Celso Juarez Roth, ex-zagueiro com uma passagem curta pelo Juventude entre os anos de 1975 e 1978. Tão logo encerrou a carreira por causa de seguidas lesões musculares e no joelho, este gaúcho de Caxias do Sul nascido em 30 de novembro de 1957 ingressou na faculdade de Educação Física, na qual se formou em 1982.
 
No dia 9 de agosto de 2016, após um ano sem trabalhar, Celso Roth assumiu o comando técnico do Internacional, mas foi demitido no dia 17 de novembro do mesmo ano, após seguidos tropeços.

Ele é também é pós-graduado em aprendizagem motora. Atualmente Roth é treinador, tendo dirigido o Vasco da Gama em grande parte da temporada de 2007. Dispensado do time carioca no fim do mesmo ano, ele assumiu o Grêmio em fevereiro de 2008 na vaga deixada por Vágner Mancini, demitido sem perder um único jogo.

Em 2009, fez uma boa campanha no comando do Atlético Mineiro, liderando a competição por oito rodadas, mas caindo de rendimento no final. O Galo acabou fora do chamado G-4, terminando na sétima posição, com 56 pontos (11 a menos que o campeão Flamengo).

Roth foi dispensado, ao término do Brasileirão, sendo substituído por Vanderlei Luxemburgo para  2010.

Em 18 de maio de 2010 assumiu o comando do Vasco, mas permaneceu pouco tempo na equipe carioca, transferindo-se para o Internacional em 12 de junho. Chegou a ser campeão da Libertadores 2010 com o Colorado, mas a derrota para o Mazembe, do Congo, no Mundial de Clubes, acabou enfraquecendo o técnico, demitido no dia 8 de abril de 2011. 
 
Voltou a ficar empregado em 4 de agosto de 2011, quando novamente assumiu o comando técnico do Grêmio, exatamente no mesmo dia em que Julinho Camargo foi demitido. Em sua apresentação, Roth não negou ter sido pego de surpresa com o convite. "Ainda não consegui detectar nada, cheguei, coloquei a roupa e vim aqui. Agora que vamos bater um papo no campo, já pensando no jogo de sábado. É muito cedo para dizer o que eu consegui ver. Vamos detectar isso o mais rápido possível e melhorar".

Mas o casamento com o Tricolor não perdurou. Em 29 de novembro de 2011, Roth permanecia no cargo, mas já sabia que, no final do ano, deixaria o comando do Imortal.
 
 Celso é filho de um torcedor do Grêmio tão fanático que o Juarez inserido em seu nome é uma homenagem ao grande atacante Juarez, que brilhou no Tricolor na década de 1950.

A carreira no banco de reservas começou em 1988, no Al Qadsia, do Kuwait. Em seguida, dirigiu a seleção júnior da Indonésia, seleção do Catar, Al Ahli, dos Emirados árabes, júnior do Internacional-RS, Brasil de Pelotas, Caxias-RS, Esportivo-RS, Juventus-SC, Internacional-RS, Vitória-BA, Grêmio-RS, Sport-PE, Palmeiras-SP, Santos, Atlético Mineiro, Goiás, Flamengo, Botafogo-RJ e Vasco. Foi ele quem primeiro apostou na dupla Robinho-Diego ao colocá-la em uma partida profissional quando dirigia o Santos, no primeiro semestre de 2002.
Entre os principais títulos conquistados por Roth destacamos a Copa Daltro Menezes pelo Caxias, o Campeonato Gaúcho de 1997 pelo Internacional, a Copa Sul pelo Grêmio em 1999, o Gaúcho do mesmo ano pelo Grêmio, e a Copa Nordeste de 2000 pelo Sport.

Em 2011, deixou o comando do Grêmio, após uma campanha irregular no segundo turno do Campeonato Brasileiro daquele ano e teve sua saída antecipada antes mesmo da última rodada.
 
Em 15 de maio de 2012, aceitou o convite do Cruzeiro para comandar a equipe no Campeonato Brasileiro e recuperar da última campanha no certame e da péssima participação no estadual,  quando terminou na terceira posição.
 
No dia 3 de abril de 2014, o Coritiba fechou com Roth. O técnico foi contratado para a disputa do Brasileirão e da Copa do Brasil. No entanto, o treinador não empolgou no Coxa, e acabou demitido do comando da equipe paranaense no dia 24 de agosto de 2014.
 
Celso Roth foi anunciado como treinador do Vasco no dia 22 de junho de 2015, assumindo a vaga deixada por Doriva. Porém, no dia 15 de agosto de 2015, o comandante não resistiu a mais um tropeço no Campeonato Brasileiro e foi demitido logo após a derrota por 1 a 0 para o Coritiba, no Maracanã.

Confira a nota oficial que o treinador enviou à imprensa quando foi demitido do Palmeiras:

Por iniciativa única e exclusiva da S.E. Palmeiras, não exerço mais a função de técnico do time de futebol profissional do clube. A decisão da diretoria me foi anunciada no domingo à noite, pelo diretor Américo Faria. Na justificativa apresentada, o descontentamento do presidente Mustafá Contursi com o momento atual da equipe, em que pese as excelentes chances (acima de 90%) de classificação da equipe à próxima fase do Campeonato Brasileiro. Após oito meses de Palmeiras, deixo o clube ciente de que meu trabalho foi baseado em itens como correção, dedicação, honestidade e respeito. Nenhum atleta pode reclamar que não teve chance de jogar. Sempre estiveram em campo aqueles que, na minha avaliação, estavam em melhores condições de atuar. E esta é a explicação para o desempenho do Palmeiras no Campeonato Brasileiro, onde em 20 rodadas disputadas o time nunca esteve abaixo da quinta colocação. Melhor até: liderou a competição em 14 rodadas e chegou a atingir um índice de aproveitamento de 80%. Saio do Palmeiras triste por interromper um trabalho cujo fruto imaginava pudesse ser o título de campeão nacional. Ao mesmo tempo, fico contente de ter ajudado o time a livrar-se da incômoda ameaça de rebaixamento no Campeonato Paulista 2001, quando lutou até a última rodada por uma vaga na fase decisiva e atingiu índice desempenho acima dos 70%. Também fico contente de ter ajudado o Palmeiras a ter sido o melhor time brasileiro na Copa Libertadores 2001, superando Vasco, Cruzeiro e São Caetano. Apesar de estar fora do Palmeiras e de ter indicado apenas uma contratação (o meia Pedrinho) para este grupo de jogadores, continuo acreditando nas chances de classificação destes profissionais que sempre respeitei e que aprendi a admirar. Espero que a torcida palmeirense reedite aquele tempo em que os adversários temiam jogar no Parque Antártica, independentemente de qual fosse a escalação do time da casa. Desejo sorte e saúde a todos. Um abraço. Celso Roth.
....
 
No dia 26 de maio de 2019, Celso Roth participou do Domingo Esportivo Bandeirantes e falou sobre a carreira. Confira a íntegra da entrevista:

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES