Toninho Ganzarolli, o 'Pelé das Canecas'

Empresário corintianíssimo de Pedreira

por Marcos Júnior Micheletti

O corintianíssimo Toninho Ganzarolli, sócio do Timão desde 1966, empresário muito bem sucedido no setor de porcelanas, é carinhosamente chamado de "Pelé das Canecas", produto que é o carro-chefe de sua empresa, a São Joaquim Porcelanas, sediada no município paulista de Pedreira, distante 135 quilõmetros da capital, na região de Campinas.

Segue comandando sua empresa diariamente, em jornada de 12 horas, sempre atento às exigências do mercado e atendendo com carinho e simpatia sua grande clientela.

Aliás, Pedreira é a cidade natal de Ântonio Ganzarolli Filho, onde nasceu em 13 de junho de 1934, na Rua Pedro Ferrari, terceiro dos seis filhos do casal Henriqueta Bróglio Ganzarolli e Ântonio Ganzarolli (o Tomix).

Os dois irmãos mais velhos de Toninho: Virgínio e Luiz, e os três mais novos são Eugênio, Maria e Ana Lourdes.

De infância humilde, Toninho Ganzarolli foi aluno do Grupo Escolar Coronel João Pedro de Godoy Moreira, e jamais se esqueceu de sua primeira professora, a abnegada Ismênia Almeida.

Nas horas vagas, após as aulas, Toninho começou a trabalhar ainda na infância, cortando capim para alimentar os animais que pertenciam ao criador Higino Amadeu Bellix.

Depois, teve seu primeiro trabalho mais formal, agora no matadouro que pertencia a Olival Pires, como auxiliar de serviços, ao lado de seu amigo Zé do Olival, filho do dono do estabelecimento.

A atividade que serviu de embrião para a São Joaquim Porcelanas foi como estampador de xícaras na Porcelana São Sebastião, empresa que ficava bem próxima à sua casa.

Inquieto e querendo progredir, Toninho Ganzarolli se interessou por outros serviços, concomitantemente ao trabalho de estampador, fazendo parceria com seu primo Waldemar Brólio em serviços de carpintaria, marcenaria, eletricidade e de encanador.

Assim, à noite e nos finais de semana, lá estavam eles, fazendo serviços de madeiramento, instalação de forros, portas, assoalhos, instalações elétricas e hidráulicas, ou seja, praticamente dominando toda a parte de obras residenciais e comerciais.

Prestes a completar 22 anos, em 1956, Toninho Ganzarolli recebeu um convite tentador, de um dos seus patrões, Américo Pieri, para entrar como sócio em uma nova empreitada: a Cerâmica São Joaquim, que estava sendo construída na Vila Canesso, entre os bairros Vila Nova e Santa Cruz, em Pedreira.

O jovem "Faz Tudo" Toninho em uma progressão profissional de orgulhar seus pais, tornou-se diretor-presidente da Cerâmica São Joaquim, tornando o segmento de canecas de chope muito conhecido de clubes, associações, escolas e empresas, entre outros.

As canecas da São Joaquim passaram a estar presentes em festas por todo o País, fossem da cerveja, do vinho, do quentão, sorvete, refrigerante, mate, cachaça, etc.

A visão empresarial de Toninho Ganzarolli não se limitou ao sucesso da São Joaquim, uma vez que ele participou diretamente da constituição de diversas empresas como: Indústria Nacional de Plásticos Pedreira, Porcelana São Paulo, Decoradora São Joaquim, Transportadora São Joaquim, Mineração Ganzarolli, Decalgênio e Recanto Comercial São Joaquim (Posto Canecão). 

BENEMERÊNCIA

Colaborou ativamente na criação de instituições filantrópicas, tendo sido presidente da FUNBEPE – Fundação Beneficente de Pedreira – mantenedora do Hospital e Maternidade Humberto Piva, tendo sido reconhecido pelo trabalho realizado; integrou o grupo que fundou o Rotary Clube de Pedreira, mas seu dinamismo o levou ao Lions Clube de Pedreira, onde fez um trabalho de integração muito grande e representou o Clube de Serviço, no País e no Exterior. Foi o grande responsável pela implantação e constituição jurídica - e por isso, se manteve à frente por quase três décadas – da FIP – Feira Industrial de Pedreira, quando teve o respaldo de inúmeros companheiros, que atuaram voluntariamente na construção do Palácio das Indústrias.

POLÍTICA

Iniciou, a partir de 1969, sua trajetória na política, primeiro como vereador de Pedreira (1969 a 1972) e realizou um sonho acalentado por muitos anos, o de ser prefeito de sua cidade, entre 1997 e 2000, ocasião em que teve como vice a professora Maria Elisa Vicentin Pintor, período em que a dupla capitaneou um modelo diferenciado de administração pública.

Aliás, sobre sua eleição a prefeito, vale ressaltar que entre as pessoas convidadas para a cerimônia de sua posse, lá estava sua primeira e querida professora, Dona Ismênia.

Ainda foi vice-prefeito de Pedreira em três mandatos: com Higino Amadeu Bellix (1989-1992) e em duas oportunidades com Hamilton Bernardes Junior (2005-2008 e 2009-2012). Elegeu-se novamente vereador no período 2013-2016 e também para o quadriênio 2017-2020.

FAMÍLIA

Ântonio Ganzarolli Filho, o querido Toninho Ganzarolli casou-se em 12 de julho de 1966 com Margarida Janete Ganzarolli na Igreja Matriz de Santa Maria, em Jaguariúna, em cerimônia celebrada pelo padre Ângelo Marigheto.

O casal Toninho e Janete teve duas filhas: Valéria Maria Ganzarolli, que se casou com o engenheiro mecânico Joaquim Carlos e têm duas filhas: Isadora e Helena. A segunda filha, Rejane Maria Ganzarolli é casada com o médico cardiologista Maurício Marson Lopes e tiveram os trigêmeos: João Pedro, Henrique e Beatriz.

VISITA A MILTON NEVES

Em 4 de março de 2022, Toninho Ganzarolli e amigos de Pedreira visitaram o jornalista e publicitário Milton Neves em sua residência, na Grande São Paulo. Clique aqui e veja como foi o encontro.

Clique aqui e acesse o site da São Joaquim Porcelanas

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES