Nelsinho Piquet

Piloto

Nelson Angelo Tamsma Piquet Souto Maior, ou simplesmente Nelsinho Piquet, filho do tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet, foi campeão da Fórmula E na temporda inaugural da categoria, disputada entre 2014 e 2015, encerrada de forma emocionante, na rodada dupla de Londres, quando terminou em sétimo lugar, fechando o campeonato com um ponto de vantagem para o suíço Sébastien Buemi. Nelsinho venceu duas temporadas ao longo da temporada disputada entre 2014 e 2015, em Long Beach (EUA) e Moscou (Rússia).

Na ocasião, Buemi tentou de todas as formas ultrapassar Bruno Senna, o quarto colocado, feito que lhe daria o título, mas Bruno resistiu. Se Ayrton Senna e Nelson Piquet rivalizaram dentro e fora das pistas, o sobrinho e o filho, respectivamente, sempre foram bons amigos.

Se a rivalidade Senna/Piquet não existe entre Bruno e Nelsinho, o mesmo não se pode dizer daquela entre Nelsinho e Lucas di Grassi, outro brasileiro da F-E. Eles tiveram vários desentendimentos ao longo da temporada de estreia da categoria.

Segundo dos sete filhos de Nelson Piquet, sua nacionalidade é brasileira, embora tenha nascido em território alemão, na cidade de Heidelberg, em 25 de junho de 1985, Nelsinho morou em Mônaco com sua mãe Sylvia até os oito anos de idade, quando mudou-se para o Brasil, para viver com o pai, em Brasília.

Em 1993, aos 8 anos, começou no kart, onde permaneceu até os 15 anos, tendo sido campeão brasileiro por três vezes: em 1997, 1999 e 2000.

Em seguida, ingressou nos monopostos. Em 2002 foi campeão sul-americano de F3 e em 2004 foi campeão da Fórmula 3 Inglesa.

Disputou duas temporadas pela GP2, em 2005 e 2006, terminando em oitavo e segundo lugares, respectivamente. Quando foi vice-campeão perdeu o título para o inglês Lewis Hamilton.

A boa temporada lhe garantiu uma vaga como piloto de testes da Renault na Fórmula 1 em 2007, ao lado do compatriota Ricardo Zonta.

Promovido a titular da Renault em 2008, ao lado do espanhol Fernando Alonso, teve como melhor resultado o segundo lugar no GP da Alemanha, disputado em Hockenheim. A vitória, naquele 20 de julho de 2008, foi justamente de Lewis Hamilton, com quem rivalizou na GP2 em 2006.

O acidente premeditado por sua equipe no GP de Cingapura de 2008, quando Nelsinho bateu o carro propositalmente para que o safety-car entrasse na pista e favorecesse seu companheiro de equipe Fernando Alonso, acabou abalando sua carreira na categoria, até o fato vir à tona no ano seguinte, onde ainda permanecia na Renault, ao lado de Alonso.

Em 2009, aliás, não concluiu a temporada pela Renault. Após dez provas sem obter pontos, acabou demitido após o GP da Hungria. Em seu lugar entrou o francês Romain Grosjean. Grosjean, por sua vez, não foi melhor que o brasileiro, e acabou terminando o ano sem pontos, após sete provas disputadas. Fernando Alonso terminou a temporada em nono lugar, com 26 pontos.

Entre 2010 e 2013 disputou uma das divisões da Nascar ( a Camping World Truck Series), categoria de carros de turismo nos Estados Unidos.

Em 23 de junho de 2012, correndo como convidado, tornou-se o primeiro brasileiro a vencer em uma das três divisões da Nascar, a Nationwide Series, na etapa disputada no traçado de Road America, em Elkhart Lake, no estado de Wisconsin.

Desde 2012 disputa o GRC (Global Rallycross Championship) e também fez algumas participações no circuito brasileiro da Stock Car. Em 2010, competindo pela Copa Montana, divisão de acesso da Stock, foi o segundo colocado na única prova que disputou pela categoria, em Curitiba.

Participou de duas provas da Stock Car, nas corridas de duplas, em 2014 e 2015, ambas pela equipe AMG, dividindo o carro #51 com o sorocabano Átila Abreu.

Em 2014, na prova disputada em Interlagos, a dupla Nelsinho/Átila largou em sexto e terminou no pódio, em segundo lugar. Em 2015, na corrida de duplas disputada em Goiânia, Nelsinho cravou a pole para a dupla mas o carro teve problemas e ele acabou abandonando.

Em 11 de novembro de 2015 ganhou um prêmio especial, um capacete confeccionado por Alan Mosca na 19ª edição do Capacete de Ouro, da Revista Racing. O evento aconteceu em São Paulo, no Espaço Bosque, no bairro da Lapa, zona oeste da capital.

Em 07 de março de 2016 foi anunciado pela equipe Rebellion para disputar o Campeonato Mundial de Endurance, formando o trio da equipe ao lado do francês Nicolas Proste e do alemão Nick Heidfeld.

Em 09 de maio de 2016 a equipe Carlin, da F3 Europeia, informou a participação de Nelsinho Piquet na etapa de Pau, na França, nos dias 14 e 15 do mesmo mês. Porém, alguns dias depois, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) vetou a participação do piloto.

Em 6 de agosto de 2016, ao lado do irmão Pedro Piquet, participou da prova de endurance (300 quilômetros) da Porsche GT3 Cup Challenge em Interlagos. A dupla largou em segundo e terminou a prova em quinto lugar. A vitória foi da dupla Allam Khodair/Marcelo Hahn.

Em 23 de agosto de 2016 a equipe China, da F-E, anunciou a renovação de Nelsinho Piquet para a terceira temporada da categoria, no biênio 2016/2017.

Em 08 de dezembro de 2017, em Interlagos, anunciou que disputaria o Campeonato da Stock Car em 2018, pela Full Time Sports, tendo como companheiros de equipe Rubens Barrichello e Ricardo Mauricio. Seu primeiro pódio na Stock aconteceu no dia 4 de novembro de 2018, na corrida 2 da etapa de Goiânia, penúltima do campeonato, quando ele terminou em segundo lugar, na prova vencida por Max Wilson.

Em 21 de setembro de 2017 foi anunciado como novo piloto da Jaguar Racing na F-E, para a temporada de 2018/2019. Porém, após seis etapas, o piloto e a equipe, em comum acordo, anunciaram o rompimento do contrato, em 28 de março de 2019.

Foto: Marcos Júnior/Portal TT

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES