Mozart

Ex-Coxa, Fla e Seleção Brasileira
por Túlio Nassif
 
Natural de Curitiba, Paraná, o ex-volante Mozart Santos Batista Júnior, nasceu no dia 8 de novembro de 1979. 
 
Atualmente treinador de futebol, Mozart acertou contrato com o Cruzeiro em 10 de junho de 2021, para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B, após a demissão de Felipe Conceição. Antes, ainda em 2021, comandou a Chapecoense.
 
Mozart permaneceu no comando técnico do Cruzeiro até 30 de juho de 2021, quando pediu demissão, após empate da equipe mineira diante do Londrina por 2 a 2 no Mineirão. Foram nove jogos que ele comandou, sem nenhuma vitória, contabilizando seis empates e três derrotas.
 
CARREIRA COMO JOGADOR
 
Volante de origem, iniciou carreira nas categorias de base do Paraná, onde rapidamente subiu para a equipe profissional, em 1997.
 
Suas boas atuações chamaram a atenção do Bordeaux, da França e, acabou se transferindo para lá.
 
Após um ano na Europa, retornou ao Brasil, para o Coritiba. E no Alviverde Paranaense, ficou marcado pelas ótimas partidas, o que não ocorrera há tempos, desde sua ida para o Bordeaux. Sagrou-se Campeão Paranaense em 1999.
 
Ao lado de grandes nomes do futebol brasileiro, o volante confirmou a boa fase e não só faturou o título da competição Pré-Olímpica, como atraiu a atenção de diversos clubes brasileiros, entre eles, o Flamengo.
 
No Rubro-Negro, conquistou o a Taça Rio e posteriormente o Campeonato Carioca de 2000. No mesmo ano, foi com a Seleção Brasileira Sub-23 disputar as Olimpíadas de Sidney, sendo o capitão canarinho. Contudo, não trouxe a tão sonhada medalha de ouro para casa.
 
Irritado com os atrasos salariais, Mozart rescindiu o contrato com o Flamengo e se transferiu para o futebol italiano, fechando contrato com o Reggina. No time Amaranto, ficou seis anos, de 2001 a 2006.
 
Rendeu-se aos poucos encantos do futebol russo e acertou sua ida ao Spartak Moscou. Lá, Mozart ficou de 2006 até 24 de abril de 2009, quando foi chamado por Vanderlei Luxemburgo, treinador de outrora na Seleção Brasileira Olímpica, para atuar pelo Palmeiras, para a disputa da Copa Libertadores da América e do Campeonato Brasileiro.
 
Com a transição de treinadores dentro do Palestra Itália e com baixa credibilidade, o volante perdeu espaço na  equipe em apenas três meses (oito jogos realizados) e acabou rescindindo contrato, com a chegado de Muricy Ramalho.
 
Logo em seguida, acertou um vinculo até o fim de 2010 com o Livorno, da Itália. Acabou encerrando carreira no time italiano.
 
Entretanto, um convite chinês inesperado recuperou a vontade de Mozart jogar. Voltou para o Brasil e sua última tentativa de transferência foi para o Coritiba, na época (em 2010) comandado por Ney Franco, mas fora barrado.
 
Aproximadamente um ano e meio aposentado, encontrava-se em Paranaguá, cidade do litoral paranaense, onde apenas treinava com o time do Rio Branco-PR, o experiente jogador se foi jogar na China, no Nanchang Bayi Hengyuan, mesma equipe onde o Corinthians buscou o famoso Chen Zizao.
 
Lá mesmo, no Nanchang Bayi Hengyuan, encerrou sua carreira, em 2012, para no ano seguinte, iniciar sua carreira como treinador, no Canoinhas (SC).
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES