Moisés

Ex-zagueiro do Corinthians e Vasco
por Rogério Micheletti/colaborou Carlos Magno Faturini Abreu
 
Moisés Matias de Andrade, o Moisés "paulada", ex-zagueiro do Bonsucesso, Botafogo, Vasco da Gama, Flamengo, Fluminense, Paris Saint Germain e Bangu, nasceu em Resende (RJ), no dia 30 de novembro de 1948, e morreu no dia 26 de agosto de 2008, no Rio de Janeiro (RJ), vítima de câncer.

Ele era casado e deixou três filhos. Antes de morrer, ele exercia a função de coordenador técnico da Cabofriense de Cabo Frio-RJ, cidade da qual gostava muito, pois ali, em seu mar de águas cristalinas e azuis realizava um de seus hobbys preferidos: a pesca submarina.

O Xerife (como era chamado), chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira mais foi no Corinthians que teve sua melhor fase, tendo inclusive, participado daquele memorável título paulista de 1977 quebrando um jejum de 22 anos (no 23º foi campeão) sem conquista.

Participou de 123 jogos com a camisa do Corinthians, inclusive o chamado jogo da "Invasão da Fiel ao Maracanã", no dia 5 de dezembro de 1976. "Foi realmente incrível o que aconteceu naquele dia. A torcida do Corinthians sempre foi fantástica", disse Moisés, em 2006.

Quando encerrou sua vitoriosa carreira em 1983 no Bangu, passou a ser técnico deste mesmo clube, sendo o principal responsável pela ascensão deste time, chegando inclusive ao vice-campeonato do brasileirão de 1985 (equipe que tinha jogadores como o goleiro Gilmar, o lateral Baby, o ponta-direita Marinho, o atacante Fernando Macaé, o meia Mário, o ponta-esquerda Ado, entre outros). Trabalhou também no Santa Cruz (campeão pernambucano) e no Ceará (campeão cearense).

Quando jogador dizia que, "zagueiro que se preza não pode ganhar o Belford Duarte", título que era dado ao jogador que conseguisse ficar 10 anos sem ser expulso. Apesar desta frase e de ser considerado um zagueiro viril, foi poucas vezes expulso de campo em sua carreira.

"Perdi um irmão", diz Tobias:

O goleiro Tobias lamentou muito a morte de Moisés. Os dois jogaram juntos por muito tempo no Corinthians e depois no Bangu, do Rio de Janeiro. "Ele era uma pessoa muito divertida. E adorava mergulhar", conta Tobias.

"Joguei com o Moisés uns 10 anos. Sabia da doença dele. Mas ele pedia para não divulgar. Tinha esperança em se recuperar. Perdemos uma grande pessoa", lamenta Tobias.

"Ele foi meu primeiro companheiro de quarto no Corinthians. E também jogamos juntos no Bangu. Cheguei a morar na casa dele no Rio por dois meses. Ultimamente, eu falava muito com ele por telefone. Já tinha até combinado que iria ao Rio fazer uma visita ao meu grande companheiro, mas não deu tempo. Perdi um irmão", diz Tobias, bastante emocionado.

Outros times como técnico:

Como treinador profissional, Moisés trabalhou também em Portugal, Emirados Árabes, Atlético Mineiro e América RJ. "Ele esteve trabalhando na Arábia em 2007 e 2008. Saiu de lá porque não estava se sentindo bem. Fez exames no Rio e descobriu que, infelizmente, estava com câncer no pulmão", conta o ex-goleiro Tobias.
ver mais notícias

Pelo Corinthians:

Atuou em 122 partidas (62 vitórias, 28 empates e 32 derrotas) e não marcou nenhum gol.
Fonte:  "Almanaque do Corinthians", de Celso Unzelte

Pelo Flamengo:


Atuou por 15 vezes (4 vitórias, 8 empates e 3 derrotas). Não marcou gols
Fonte: "Almanaque do Flamengo", de Clóvis Martins e Roberto Assaf.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES