Modesto

Ex-zagueiro-central do Santos
João Modesto, o Modesto, nasceu na fazenda Santa Lúcia, no município de São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo, em 17 de junho de 1939. Aos 11 anos saiu da fazendo e foi morar na cidade. Lá, teve seu primeiro contato com a bola, nas categorias de base do Rio Pardo FC, onde em 1956 e 57, conquistou o bicampeonato amador do estado.

No final de 1957, sofreu uma grave lesão no joelho e ficou no estaleiro por um ano. Em 1959, já recuperado, teve sua primeira chance como jogador profissional no Barretos Esporte Clube, da cidade de Barretos, onde jogou até 1963, ano em que se casou e, junto com sua esposa Dagmar, foi morar em Presidente Prudente-SP (quase divisa com o Mato-Grosso do Sul).

Foi contratado então pela Prudentina, onde despontou para o futebol e mostrou grande qualidade.  Disputando a Divisão Especial do Paulista, foi considerado a "revelação do interior" e despertou o interesse do Santos FC, que acabara de ser bicampeão mundial.

No time da Vila, ganhou o Paulistão e a Taça Brasil de 1964 e 65. Lá ficou até 1967, quando teve um sério problema  de visão e, mais uma vez em sua carreira, ficou parado por um ano, retornando para a Prudentina, que caiu para a segunda divisão e nunca mais retornou à elite do futebol paulista.

Após sair de Presidente Prudente, atuou pelo Coritiba, ajudando o Coxa na conquista do bicampeonato paranaense de 1968/69.

No dia 12 de novembro de 1969, em jogo válido pela primeira fase do Robertão daquele ano, João Modesto sofreu uma tremenda decepção. Jogando no estádio Belford Duarte, em Curitiba, o Coxa perdeu para o Corinthians por 3 a 2. Um dos gols alvinegros foi marcado após um pênalti sobre Roberto Rivelino. Contestado acintuosamente por Modesto sobre a marcação da penalidade, o árbitro Airton Vieira de Moraes (o Sansão), considerou a atitude do zagueiro como uma agressão, o que rendeu ao jogador do Coritiba uma suspensão de um ano.

Desiludido com a punição, Modestou voltou para São José do Rio Pardo onde encerrou definitivamente sua carreira. Antes, jogou pela Riopardense e ganhando um bicampeonato estadual amador e a Copa Arizona. Anos depois foi também árbitro dos campeonatos de várzea de sua cidade natal.

Pai de três filhos (Luciane, Cilmara e João Henrique) e avô de quatro netinhas (Laura, Mariana, Gabriela e Beatriz), João Modesto continua morando em São José do Rio Pardo-SP, terra também de Ari, Boizinho, Edson Boaro, Richard (do Palmeiras-1951), Rondinelli, o Deus da Raça, Zanatta e Luís Fernando Abichabki, ex-Corinthians, Grêmio e Inter-RS, onde está aposentado e cheio de histórias pra contar.

Como um bom aposentado brasileiro, ele adora ler jornal e jogar conversa fora, principalmente sobre futebol, na praça da cidade.

Quem nos enviou as informações foi Antonio Carlos N. de Oliveira, o grande Leivinha. Muito obrigado, Leivinha!
ver mais notícias
ver mais Áudio

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES