Meirelles Duarte

Comunicador do Rio Grande do Sul
Filho do Tenente Delmar Duarte, falecido em 1981, e da professora de música aposentada do Instituto de Belas Artes da Universidade de Passo Fundo, falecida em 2001, Antonio Augusto Meirelles Duarte nasceu em Passo Fundo, no dia 19 de novembro de 1934. aos seis anos mudou-se para Getulio Vargas, onde seu pai, que seguia carreira militar, assumiu a unidade por dez anos. Meirelles morreu no dia 18 de agosto de 2019, aos 85 anos, vítima de câncer.
 
Naquela cidade, estudou o 1º e o 2º Graus no colégio Cristo Rei e conquistou o diploma de contador. Passou a adolescência jogando bola e pescando, sempre participando da religião católica. Foi coroinha e assumiu o auto-falante da Igreja, que era o rádio da cidade na época.
 
Em janeiro de 1951, quando fundaram a rádio Vera Cruz de Getúlio Vargas foi chamado para trabalhar como locutor. Foi o primeiro radialista do município, com apenas 17 anos. Em 1952, a Radio Passo Fundo estava sem locutor e Celso Fernandes, que era gerente da emissora o convidou para voltar à Capital do Planalto Médio. Retornou em fevereiro de 1952, porque sempre foi apaixonado pela cidade em que nasceu. Era narrador de futebol e outras modalidades de esportes, somando 55 anos de atividades radiofônicas e jornalísticas este ano.

Lembra com saudades da primeira transmissão que coordenou entre o Independente e o Palmeirense, no campo do Independente. Naquela época, não havia rádio portátil e todos ficaram sabendo da transmissão ouvindo rádio em casa. O placar naquele dia foi de 3x1 para o Independente. Iniciou naquela partida sua trajetória na imprensa de Passo Fundo. Considerado letrado para a época, pois tinha o curso de Contador. Exerceu durante seis anos a gerência numa empresa de eletrodomésticos, paralelamente ao trabalho na imprensa.

Meirelles notou que num dos dois jornais diários não havia notícias de esportes. Fez a proposta para Túlio Fontoura, do Diário da Manhã para escrever matérias esportivas sobre os times locais e regionais. Naquela época, eram ressaltados os campeonatos nacionais e isso deixava Meirelles Duarte revoltado. Durante anos trabalhou nos dois veículos. O acordo era fazer o programa na rádio e depois alguém viria buscar os textos para serem publicados no Diário da Manhã, onde permaneceu por 21 anos. Posteriormente, o convite de Múcio de Castro passou a atuar no jornal O Nacional, onde está até hoje como colunista e articulista.

Meirelles conheceu sua esposa Mary Raymundi quando ela estudava no Colégio Notre Dame e ligava na rádio, pelos domingos à tarde, para pedir música. O contato aumentou e o namoro começou. Desta relação resultaram três filhos: César Augusto, professor de inglês, Luiz Felipe, formado em Direito e Agronomia e funcionário concursado do Ministério da Agricultura, e Márcio Alexandre, universitário. Fundou e atuou durante 18 anos no jornal agrícola "Agro Jornal?, que tinha circulação regional.

Êxito na política:
Meirelles Duarte foi eleito como vereador por acaso, através do prestígio que obteve narrando futebol. Em 1958, o PTB teve problemas para preencher a nominata e Odylon Soares de Lima o chamou para concorrer. Aceitou por simpatia com o partido de Getúlio Vargas.
 
Na época, se considerava um guri e andava com uma lambreta. Com o auxílio de um amigo, rodando pela cidade com uma moto fez a campanha e foi considerado o terceiro vereador mais votado, mesmo não sendo remunerado. Conta que, no segundo mandato, junto a Câmara de Vereadores, começou a receber dois salários mínimos. Na época, se os vereadores quisessem enviar releasses para a imprensa, eram obrigados a levar folhas de papel almaço e carbono.
 
As cópias eram feitas e os próprios parlamentares deviam distribuir nos veículos de comunicação. Na década de 60, era defensor efusivo de Brizola e por isso chegou ser preso com outros cinco vereadores. Ficou trinta dias detidos em Porto Alegre e foi libertado com a promessa de moderar suas atuações. Quando disputou a terceira eleição foi o Vereador mais votado e planejou largar a política para cursar a faculdade de Direito. Continuou filiado, mas não concorreu mais. Tornou-se bacharel em Ciências Políticas, Jurídicas e Sociais (Direito) pela Universidade de Passo Fundo e sagrou-se orador da turma, em dezembro de 1979.

Depois do ressurgimento dos partidos políticos, ingressou nas fileiras do PMDB. O partido buscou seu retorno à política diversas vezes. Em 1992, uma noite estava na sua casa quando recebeu o telefonema do próprio governador Pedro Simon que solicitava auxílio para a campanha que se aproximava. A ajuda acabou sendo diretamente para o ex-prefeito Osvaldo Gomes. Com o prazo prestes a estourar, Gomes foi aclamado no partido como candidato e precisava de um vice.
 
Todos automaticamente pensaram em Meirelles. No entanto, ele não retornou mais e ficou nos bastidores da política servindo como base para seus correligionários. Na apresentação de pesquisas, Gomes estava em último lugar e cogitava sair fora. Nos últimos dias da campanha eleitoral, o sagrado jornalista gravou pronunciamentos e foi para a televisão indicar Osvaldo Gomes para prefeito de Passo Fundo. Julio Teixeira era o vice escolhido na última hora com apoio de sua esposa Suzana. Os sete minutos finais do último programa de campanha, foram narrados por Meirelles Duarte.
 
Posteriormente, quando o Governador do Estado era liderado pelo PMDB, através de Antonio Britto, foi porta-voz oficial em Passo Fundo. Passando também a representar oficialmente o então prefeito Julio Teixeira em diversos eventos municipais. Até hoje se mantém ativo como jornalista e possui um programa junto a emissora de televisão do Canal 20.

Destaques:
As ações sociais marcaram a vida deste sagrado jornalista. Por 25 anos foi membro atuante de Lions Internacional, recebendo em 1987 o título de presidente exemplar, após concorrer quase 50 outros presidentes do seu Distrito. Por 17 anos foi correspondente de todos o órgão da Cia. Jornalístico Caldas Júnior. No âmbito das condecorações civis, é detentor da maior comenda do Município que é a medalha "Fagundes dos Reis?. Conquistou o título por relevantes serviços prestados na comunicação e como vereador por cinco legislaturas, sendo o único que recebeu a homenagem tanto do Legislativo quanto do Executivo.

Meirelles Duarte foi vereador destaque em 1990 e 1991. Condecorado pela subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil de Passo Fundo RS, em 1996. Atualmente, ainda é membro da academia Passo-fundense de Letras e presidente por cinco gestões: 90/91, 93/94, 2002/2003, 2005/2006 e 2006/2007. Em 2000, foi eleito Melhor Comunicador do Interior do Rio Grande do Sul e recebeu a comenda em 15 de novembro daquele ano em Gramado. Dois anos depois, recebeu premiação pelo cinqüentenário na comunicação e a condecoração foi entregue em 25 de novembro de 2002, na cidade de Bento Gonçalves.

Demais condecorações:
Medalha "Negrinho do Pastoreiro?, outorgada pelo Governo Estadual, pelo então governador Pedro Simon, entregue na cidade de Santa Maria/ RS.
Medalha dos 130 anos da Imigração Italiana para o Brasil, outorgada pela agente Consular da Itália, senhora Eloy Bertoldo Alessandr.

Dois diplomas de "Amigo da Brigada Militar?, por relevantes serviços à milícia, em 1987 entregue pelo Cel. Jarbas Quadros de Silva e em 1991 pelo Cel. Walter Stoch.
Homenageado por ex-febianos como amigo e benfeitor à categoria da Força Expedicionária Brasileira que reside em Passo Fundo.

Medalha de Bronze de "Colaborador Emérito? outorgada pelo governador Pedro Simon.
Diploma de "Cavaleiro Honorário?, outorgado pelo Exército Brasileiro através do comandante do 160 Escq.Cav.Vec., Major Miotto, em maio de 1992.

Diploma de "Colaborador Emérito do Exército Nacional?, outorgado pelo Gen. Ex. Délio de Assis Monteiro, em 25 de agosto de 1993.

Criador e participante do 1º programa em línguas italiana no interior do Estado, em 1955 com o apresentador, Aldo Alessandri, romano recém chegado a Passo fundo, programa este transmitido pela extinta Rádio Municipal de Passo Fundo.
Diploma de Sócio Honorário do Sport Clube Internacional, único de todo o interior do Estado. Este título foi entregue em jantar solene em nossa cidade, no dia 7 de março de 2006 no Hotel Vergueiro.

Em 24 de abril de 2009 carimbou seu título de Colorado Centenário (veja na galeria de fotos).
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES