Manoelzinho ou Manuelzinho

Ex-meia do Fla e Timão
Um dos jogadores com média de gols mais alta da história do Corinthians, Manoel José Dias, o meia Manoelzinho, que brilhou também no Flamengo nos anos 50, foi vítima de um coágulo no cérebro, descoberto após um desmaio em 2003, perdeu a memória e morreu no final do mês de maio de 2004.
 
Ele morava com familiares em Montes Claros (MG), cidade na qual nasceu, e não tinha movimento no lado direito do corpo, o que lhe obrigava a usar uma cadeira de rodas.
Nascido no dia 25 de janeiro de 1940, Manoelzinho foi revelado pelo
 
Ateneu (MG), transferiu-se para o Flamengo em 57 e chegou à seleção brasileira juvenil. Em entrevista ao repórter Christiano Jilvan, do "Jornal de Notícias", da cidade de Montes Claros (MG), Sissô, irmão de Manoelzinho, contou como foi a transferência para o rubro-negro carioca.
 
"Ao final de um jogo entre Ateneu e Cassimiro contra o Flamengo, o treinador (o saudoso paraguaio Fleitas Solich) foi à casa do jogador e pegou a autorização do meu pai. Ele nem sabia assinar. Morava na roça e tacou o dedão. Aí, Manel (apelido dado pelos amigos) foi embora e ficou sumido?, falou Sissô.
 
Manoelzinho saiu do Flamengo em 1961 (depois de 47 jogos, 35 vitórias, oito empates, quatro derrotas e 32 gols) para jogar no Corinthians. Pegou um período difícil na equipe do Parque São Jorge, que não ganhava um título desde 1954. O meia-atacante fez parte da equipe corintiana que ganhou o apelido de "Faz-me rir?, que era o título de uma canção romântica da cantora Edith Veiga.
 
Aquele time corintiano, que contava com Gilmar dos Santos Neves no gol, perdeu sete das 11 primeiras partidas do Paulistão de 61.
 
Ele foi um dos poucos jogadores que na época vieram do Flamengo e que acabaram vingando no Timão. O ponta-direita Espanhol, também conhecido como Iriarte, e os atacantes Beirute e Adílson foram grandes fiascos. Manoelzinho disputou 110 jogos pelo Timão e marcou 54 gols, quase meio gol por partida (não está bom?). O meia-atacante chegou a atuar na equipe de aspirantes do Corinthians ao lado de Rivellino, que se tornaria um dos maiores jogadores da história do alvinegro do Parque São Jorge.
Sissô fala que Manoelzinho teve problemas com a família em São Paulo, largou tudo (inclusive um açougue que tinha) e voltou para Montes Claros. Ele jogou no Ateneu e participou de outros times amadores. Foi também auxiliar técnico do clube do bairro de São José. Depois foi pintor de paredes.
 
Na cidade mineira de Montes Claros, Manoelzinho chegou a ser homenageado várias vezes, merecidamente. Ele recebeu, inclusive, uma comenda de atleta exemplar do Século XX de Montes Claros, dado pela Câmara Municipal da cidade. Irreverente, "Manel" colecionou amigos dentro e fora dos gramados, dentre eles Mané Garrincha, com quem costumava freqüentar grandes festas no
Rio de Janeiro.

Curiosidade:
Segundom o internauta José Eustáquio Rodrigues Alves, de Patos de Minas-MG, em 1958, Manoelzinho vestia a camisa do Flamengo quando disputou um amistoso contra a Seleção Brasileira, antes do embarque para a Copa da Suécia. O Mengão derrotou o Brasil por 1 a 0, com gol de Manoelzinho, que à época fazia parte da categoria júnior do time da Gávea.
Texto: Rogério Micheletti e Christiano Jilvan (Jornal de Notícias - Montes Claros/MG). Colaboração de José Wellington Ferreira Fonseca. Fontes para números: "Almanaque do Corinthians", de Celso Unzelte, e "Almanaque do Flamengo", de Roberto Assaf e Clóvis Martins
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES