Manga

Ex-goleiro do Botafogo e Internacional
por Rogério Micheletti
 
Hailton Corrêa de Arruda (26/04/1937), o Manga, ex-goleiro do Botafogo (RJ), Sport Clube do Recife, Grêmio, Internacional, Operário (MS), Coritiba, Nacional-URU, Barcelona-EQU e da Seleção Brasileira da Copa de 66, após encerrar a carreira trabalhou como treinador de goleiros em Quito, no Equador, e nos Estados Unidos. Em 2013, seguia residindo na cidade de Salinas, no Equador
 
Após passagem pelo Equador, voltou para o Brasil e em 1º de maio de 2010 começou a trabalhar no Internacional de Porto Alegre para coordenar a preparação de goleiros das categorias de base do Colorado e ser uma espécie de "embaixador", representando o time gaúcho em inúmeros eventos, onde permaneceu até março de 2012 e, após rescindir contrato com o clube gaúcho, retornou com sua esposa a morar em Litle Havana, em Miami.

Manga chegou a disputar a Copa do Mundo de 1966. Ele entrou no lugar de Gilmar dos Santos Neves na partida contra Portugal e não foi feliz. Mas a carreira de Manga não pode ser lembrada apenas pela infelicidade daquele jogo.

O antigo arqueiro brilhou no Botafogo e também no Internacional, onde ajudou a formar uma das maiores equipes coloradas em todos os tempos ao lado de Claudio Duarte, Figueroa, Marinho Perez, Vacaria, Falcão, Batista, Caçapava, Valdomiro, Dario Maravilha, Lula e companhia.

Há muito tempo fora, Manga diz que não sente muitas saudades do país. O ex-goleiro, que nasceu em Recife, no dia 26 de abril de 1937, diz que Marcos, goleiro pentacampeão pela seleção brasileiro, é o que mais se assemelha com ele no estilo de jogar.

Briga com Saldanha

O goleiro, que fez 445 partidas pelo Botafogo, deixou o time da Estrela Solitária em 1968. Na época, ele teve um desentendimento com o jornalista e técnico João Saldanha, que acusou o arqueiro de ter se vendido na final do carioca de 67. Manga deixou saudade aos alvinegros. O goleiro costuma provocar os rivais, principalmente o Flamengo: "Flamengo é bicho certo. Eu gasto o dinheiro na véspera", dizia.

Irmãos goleiros

Manga também tinha três irmãos boleiros: Manguito, Dedé e Alemão, que se destacaram no futebol pernambucano. O último, inclusive, era zagueiro central e atuou no América do Rio, sendo bom batedor de faltas e pênaltis. Dedé brilhou no Sport Club do Recife.

Manga foi um dos 47 jogadores convocados, pelo técnico Vicente Feola, para o período de treinamento que visava conquistar a Copa da Inglaterra e, consequentemente, o tricampeonato mundial de futebol. Infelizmente deu tudo errado.

Os 47 jogadores convocados, devido a forte pressão dos dirigentes dos clubes, para o período de treinamento em Serra Negra-SP e Caxambu-MG como preparação para a Copa de 66, na Inglaterra, foram: Fábio – São Paulo, Gylmar – Santos, Manga – Botafogo, Ubirajara Mota – Bangu e Valdir – Palmeiras (goleiros); Carlos Alberto Torres – Santos, Djalma Santos – Palmeiras, Fidélis – Bangu, Murilo – Flamengo, Édson Cegonha – Corinthians, Paulo Henrique – Flamengo e Rildo – Botafogo (laterais); Altair – Fluminense, Bellini – São Paulo, Brito – Vasco, Ditão – Flamengo, Djalma Dias – Palmeiras, Fontana – Vasco, Leônidas – América/RJ, Orlando Peçanha – Santos e Roberto Dias – São Paulo (zagueiros); Denílson – Fluminense, Dino Sani – Corinthians, Dudu – Palmeiras, Edu – Santos, Fefeu – São Paulo, Gérson – Botafogo, Lima – Santos, Oldair – Vasco e Zito – Santos (apoiadores); Alcindo – Grêmio, Amarildo – Milan, Célio – Vasco, Flávio – Corinthians, Garrincha – Corinthians, Ivair – Portuguesa de Desportos, Jair da Costa – Inter de Milão, Jairzinho – Botafogo, Nado-Náutico, Parada – Botafogo, Paraná – São Paulo, Paulo Borges – Bangu, Pelé – Santos, Servílio – Palmeiras, Rinaldo – Palmeiras, Silva – Flamengo e Tostão – Cruzeiro (atacantes).

Dos 47 convocados por Vicente Feola, para esse infeliz período de treinamentos, acabaram viajando para a Inglaterra os seguintes 22 "sobreviventes": Gylmar e Manga (goleiros); Djalma Santos, Fidélis, Paulo Henrique e Rildo (laterais); Bellini, Altair, Brito e Orlando Peçanha (zagueiros); Denílson, Lima, Gérson e Zito (apoiadores); Garrincha, Edu, Alcindo, Pelé, Jairzinho, Silva, Tostão e Paraná (atacantes).
 
Ainda sobre Manga, recebemos de seu filho Adilson Pereira de Arruda, no dia 18 de abril de 2006, o e-mail abaixo.

"Agradeço as lembranças constantes do goleiro Manga. Eu como filho primogênito, fico feliz de vê-lo abraçado com seus netos. Porém, se possível ele deveria lembrar-se dos seus dois primeiros filhos (Eu e Wilson), o qual meu irmão tem dois filhos maravilhosos e que se lembram sempre dele, além de nossa mãe (que morreu em 2002), que sempre o defendia e admirava, e que há 40 anos nao mantém contato.

Um abraço, Adilson."
ver mais notícias
ver mais Áudio

Clubes: 

Sport Recife (55 a 58), Botafogo (59 e 68), Nacional do Uruguai (69 a 74), Internacional (74 a 76), Operário de Campo Grande (77), Coritiba (78), Grêmio (79 a 80), Barcelona do Equador (81 a 82).

Títulos:

Campeonato pernambucano de 55, 56 e 57 (pelo Sport); Campeonato carioca de 61, 62, 67 e 68 (pelo Botafogo); Torneio Rio-São Paulo de 62, 64 e 66 (pelo Botafogo); Campeonato uruguaio de 69, 70, 71 e 72 (pelo Nacional do Uruguai); Libertadores de 71 (pelo Nacional); Mundial Interclubes de 71 (pelo Nacional); Campeonato gaúcho de 74, 75 e 76 (pelo Internacional); Campeonato brasileiro de 75 e 76 (pelo Inter); Campeonato Paranaense de 78 (pelo Coritiba); Campeonato gaúcho de 79 (pelo Grêmio) e Campeonato equatoriano de 81 (pelo Barcelona).

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES