Manga

Ex-goleiro do Botafogo e Internacional
por Rogério Micheletti
 
Hailton Corrêa de Arruda (26/04/1937), o Manga, ex-goleiro do Botafogo (RJ), Sport Clube do Recife, Grêmio, Internacional, Operário (MS), Coritiba, Nacional-URU, Barcelona-EQU e da Seleção Brasileira da Copa de 66, após encerrar a carreira trabalhou como treinador de goleiros em Quito, no Equador, e nos Estados Unidos. 
 
Em 2019 ele começou a enfrentar problemas renais, passando por diversas internações em Quito (Equador), cidade em que reside.
 
Em 26 de dezembro de 2019, recuperado do problema, gravou um vídeo ao lado de um amigo no Uruguai, falando sobre seu desejo em assistir uma partida do Botafogo-RJ. Clique aqui e veja a matéria publicada no Portal Terceiro Tempo.
 
No dia 17 de janeiro de 2020, a Folha de S.Paulo, em matéria assinada pelo repórter Bruno Rodrigues, revelou que Manga, no final de 2019, esteve no Uruguai, onde foi completamente amparado pelos torcedores do Nacional, time que defendeu no final dos anos 60 e no início dos anos 70 (CLIQUE AQUI E LEIA). 
 
Em 16 de março de 2020, o Retiro dos Artistas, por meio de seu presidente, o ator Stepan Nercessian, convidou Manga e sua esposa a residerem no local, situado no bairro de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.
 
Manga chegou a disputar a Copa do Mundo de 1966. Ele entrou no lugar de Gilmar dos Santos Neves na partida contra Portugal e não foi feliz. Mas a carreira de Manga não pode ser lembrada apenas pela infelicidade daquele jogo.

O antigo arqueiro brilhou no Botafogo e também no Internacional, onde ajudou a formar uma das maiores equipes coloradas em todos os tempos ao lado de Claudio Duarte, Figueroa, Marinho Perez, Vacaria, Falcão, Batista, Caçapava, Valdomiro, Dario Maravilha, Lula e companhia.

Há muito tempo fora, Manga diz que não sente muitas saudades do país. O ex-goleiro, que nasceu em Recife, no dia 26 de abril de 1937, diz que Marcos, goleiro pentacampeão pela seleção brasileiro, é o que mais se assemelha com ele no estilo de jogar.
 
Após passagem pelo Equador, voltou para o Brasil e em 1º de maio de 2010 começou a trabalhar no Internacional de Porto Alegre para coordenar a preparação de goleiros das categorias de base do Colorado e ser uma espécie de "embaixador", representando o time gaúcho em inúmeros eventos, onde permaneceu até março de 2012 e, após rescindir contrato com o clube gaúcho, retornou com sua esposa a morar em Litle Havana, em Miami.

Briga com Saldanha

O goleiro, que fez 445 partidas pelo Botafogo, deixou o time da Estrela Solitária em 1968. Na época, ele teve um desentendimento com o jornalista e técnico João Saldanha, que acusou o arqueiro de ter se vendido na final do carioca de 67. Manga deixou saudade aos alvinegros. O goleiro costuma provocar os rivais, principalmente o Flamengo: "Flamengo é bicho certo. Eu gasto o dinheiro na véspera", dizia.

Irmãos goleiros

Manga também tinha três irmãos boleiros: Manguito, Dedé e Alemão, que se destacaram no futebol pernambucano. O último, inclusive, era zagueiro central e atuou no América do Rio, sendo bom batedor de faltas e pênaltis. Dedé brilhou no Sport Club do Recife.

Manga foi um dos 47 jogadores convocados, pelo técnico Vicente Feola, para o período de treinamento que visava conquistar a Copa da Inglaterra e, consequentemente, o tricampeonato mundial de futebol. Infelizmente deu tudo errado.

Os 47 jogadores convocados, devido a forte pressão dos dirigentes dos clubes, para o período de treinamento em Serra Negra-SP e Caxambu-MG como preparação para a Copa de 66, na Inglaterra, foram: Fábio – São Paulo, Gylmar – Santos, Manga – Botafogo, Ubirajara Mota – Bangu e Valdir – Palmeiras (goleiros); Carlos Alberto Torres – Santos, Djalma Santos – Palmeiras, Fidélis – Bangu, Murilo – Flamengo, Édson Cegonha – Corinthians, Paulo Henrique – Flamengo e Rildo – Botafogo (laterais); Altair – Fluminense, Bellini – São Paulo, Brito – Vasco, Ditão – Flamengo, Djalma Dias – Palmeiras, Fontana – Vasco, Leônidas – América/RJ, Orlando Peçanha – Santos e Roberto Dias – São Paulo (zagueiros); Denílson – Fluminense, Dino Sani – Corinthians, Dudu – Palmeiras, Edu – Santos, Fefeu – São Paulo, Gérson – Botafogo, Lima – Santos, Oldair – Vasco e Zito – Santos (apoiadores); Alcindo – Grêmio, Amarildo – Milan, Célio – Vasco, Flávio – Corinthians, Garrincha – Corinthians, Ivair – Portuguesa de Desportos, Jair da Costa – Inter de Milão, Jairzinho – Botafogo, Nado-Náutico, Parada – Botafogo, Paraná – São Paulo, Paulo Borges – Bangu, Pelé – Santos, Servílio – Palmeiras, Rinaldo – Palmeiras, Silva – Flamengo e Tostão – Cruzeiro (atacantes).

Dos 47 convocados por Vicente Feola, para esse infeliz período de treinamentos, acabaram viajando para a Inglaterra os seguintes 22 "sobreviventes": Gylmar e Manga (goleiros); Djalma Santos, Fidélis, Paulo Henrique e Rildo (laterais); Bellini, Altair, Brito e Orlando Peçanha (zagueiros); Denílson, Lima, Gérson e Zito (apoiadores); Garrincha, Edu, Alcindo, Pelé, Jairzinho, Silva, Tostão e Paraná (atacantes).
 
Ainda sobre Manga, recebemos de seu filho Adilson Pereira de Arruda, no dia 18 de abril de 2006, o e-mail abaixo.

"Agradeço as lembranças constantes do goleiro Manga. Eu como filho primogênito, fico feliz de vê-lo abraçado com seus netos. Porém, se possível ele deveria lembrar-se dos seus dois primeiros filhos (Eu e Wilson), o qual meu irmão tem dois filhos maravilhosos e que se lembram sempre dele, além de nossa mãe (que morreu em 2002), que sempre o defendia e admirava, e que há 40 anos nao mantém contato.

Um abraço, Adilson."
 
No player abaixo, ouça a histórica participação do goleiro Manga no "Domingo Esportivo Bandeirantes" do dia 29 de março de 2020: 
 

ver mais notícias

Clubes: 

Sport Recife (55 a 58), Botafogo (59 e 68), Nacional do Uruguai (69 a 74), Internacional (74 a 76), Operário de Campo Grande (77), Coritiba (78), Grêmio (79 a 80), Barcelona do Equador (81 a 82).

Títulos:

Campeonato pernambucano de 55, 56 e 57 (pelo Sport); Campeonato carioca de 61, 62, 67 e 68 (pelo Botafogo); Torneio Rio-São Paulo de 62, 64 e 66 (pelo Botafogo); Campeonato uruguaio de 69, 70, 71 e 72 (pelo Nacional do Uruguai); Libertadores de 71 (pelo Nacional); Mundial Interclubes de 71 (pelo Nacional); Campeonato gaúcho de 74, 75 e 76 (pelo Internacional); Campeonato brasileiro de 75 e 76 (pelo Inter); Campeonato Paranaense de 78 (pelo Coritiba); Campeonato gaúcho de 79 (pelo Grêmio) e Campeonato equatoriano de 81 (pelo Barcelona).

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Int
    12
  • 2 Vas
    10
  • 3 Atl
    9
  • 4 São
    10
  • 5 Pal
    8
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES