Ivair, o Príncipe

Ex-atacante da Portuguesa e Corinthians
Ivair Ferreira, o "Príncipe", ex-ponta-de-lança da Portuguesa, Corinthians e Fluminense, hoje mora em São Paulo, no bairro do Jardim São Bento, e trabalha com escolinhas de futebol nos bairros da Aclimação, Tremembé e Ipiranga. Casado, tem um filho de nome Denis.

Nascido em Bauru (SP) no dia 27 de janeiro de 1945, Ivair foi um dos maiores ídolos da história da Lusa do Canindé. Começou no clube com apenas 12 anos de idade, em 1957. Só saiu de lá em 1969, transferindo-se para o Corinthians. Passou depois por Fluminense, Toronto, Los Angeles Astecas e América do Rio. Foi bicampeão da Liga Norte-Americana. Quando estava no Toronto, por sinal, teve a alegria de ver seu filho nascer.

Ivair conquistou apenas um título na carreira. Foi campeão pelo Fluminense em 1971, num jogo polêmico contra o Botafogo, em que o ponta Lula marcou o gol. Jogo que a torcida do Fogão reclama até hoje.

A maior chance que teve de levantar um troféu foi em 1964, quando o Santos derrotou a Lusa, na Vila, na final do Campeonato Paulista, por 3 a 2. Naquele domingo à tarde, com verdadeiro dilúvio caindo na Vila Belmiro, chegou a sofrer um pênalti escandaloso do lateral-direito Ismael, não marcado pelo árbitro Armando Marques. O lance aconteceu no primeiro tempo, quando o placar apontava 0 a 0. Cinco gols aconteceram no segundo tempo, marcando pela ordem Toninho, Pepe, Ismael (contra), Ditão e Pepe de falta.

A Portuguesa, de Aimoré Moreira e de Ivair, perdeu jogando com: Orlando Gato Preto; Jair Marinho, Ditão, Wilson Silva e Edilson; Pampolini e Nair; Almir, Henrique Frade, Dida (ex-Flamengo) e Ivair. O jogo foi transmitido ao vivo pela TV Record, canal 7, no comando do fanático torcedor da Lusa, o saudoso e inesquecível Raul Tabajara, e o Santos, de Luis Alonso Peres, o Lula, foi campeão paulista de 64 jogando com: Gilmar; Ismael, Modesto, Haroldo Sombra e Lima; Zito e Mengálvio; Toninho Guerreiro, Coutinho, Pelé e Pepe.
 
Sem muitas chances com a camisa da Seleção Brasileira, Ivair foi um dos 47 convocados por Vicente Feola para a preparação da Copa de 66. Só que foi chamado para a ponta-esquerda e acabou sendo cortado porque concorreu com o santista Edu, com o são-paulino Paraná e ainda com os cortados Amarildo (Milan) e Rinaldo (Palmeiras).

Os 47 jogadores convocados, devido a forte pressão dos dirigentes dos clubes, para o período de treinamento em Serra Negra-SP e Caxambu-MG como preparação para a Copa de 66, na Inglaterra, foram: Fábio - São Paulo, Gylmar - Santos, Manga - Botafogo, Ubirajara Mota - Bangu e Valdir - Palmeiras (goleiros); Carlos Alberto Torres - Santos, Djalma Santos - Palmeiras, Fidélis - Bangu, Murilo - Flamengo, Édson Cegonha - Corinthians, Paulo Henrique - Flamengo e Rildo - Botafogo (laterais); Altair - Fluminense, Bellini - São Paulo, Brito - Vasco, Ditão - Flamengo, Djalma Dias - Palmeiras, Fontana - Vasco, Leônidas - América/RJ, Orlando Peçanha - Santos e Roberto Dias - São Paulo (zagueiros); Denílson - Fluminense, Dino Sani - Corinthians, Dudu - Palmeiras, Edu - Santos, Fefeu - São Paulo, Gérson - Botafogo, Lima - Santos, Oldair - Vasco e Zito - Santos (apoiadores); Alcindo - Grêmio, Amarildo - Milan, Célio - Vasco, Flávio - Corinthians, Garrincha - Corinthians, Ivair - Portuguesa de Desportos, Jair da Costa - Inter de Milão, Jairzinho - Botafogo, Nado-Náutico, Parada - Botafogo, Paraná - São Paulo, Paulo Borges - Bangu, Pelé - Santos, Servílio - Palmeiras, Rinaldo  Palmeiras, Silva - Flamengo e Tostão - Cruzeiro (atacantes).

Dos 47 convocados por Vicente Feola, para esse infeliz período de treinamentos, acabaram viajando para a Inglaterra os seguintes 22 "sobreviventes": Gylmar e Manga (goleiros); Djalma Santos, Fidélis, Paulo Henrique e Rildo (laterais); Bellini, Altair, Brito e Orlando Peçanha (zagueiros); Denílson, Lima, Gérson e Zito (apoiadores); Garrincha, Edu, Alcindo, Pelé, Jairzinho, Silva, Tostão e Paraná (atacantes).

Com a camisa corintiana, segundo números do "Almanaque do Corinthians", de Celso Unzelte, Ivair fez 77 partidas e marcou 22 gols entre os anos de 69 e 71. Não ganhou nenhum título pelo alvinegro do Parque São Jorge.

Ivair foi um vencedor. Garoto humilde da zona Norte de São Paulo, vivia cantando e sorrindo mesmo nos momentos mais tristes. Por isso ganhou o apelido de sabiá.
 
No dia 13 de dezembro de 2015, Ivair foi entrevistado pelo jornalista Milton Neves, através do programa Domingo Esportivo, da rádio Bandeirantes. Confira: 

ABAIXO, COM LOCUÇÃO DE MILTON NEVES NO "GOL, O GRANDE MOMENTO DO FUTEBOL", DA BAND, OS GOLS DE PORTUGUESA 3 X 3 INTERNACIONAL. IVAIR MARCOU UM DOS GOLS DA PORTUGUESA

CLIQUE AQUI E VEJA A MATÉRIA COMPLETA SOBRE O JOGO ENTRE PORTUGUESA X INTER EM 1968, ESCRITA POR MARCOS JÚNIOR MICHELETTI NO PORTAL TERCEIRO TEMPO.

Pelo Corinthians:

Atuou em 77 partidas e marcou 22 gols, segundo o Almanaque do Corinthians, de Celso Unzelte.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES