Confronto, disputado no Pacaembu, foi válido pelo `Robertão´

Confronto, disputado no Pacaembu, foi válido pelo `Robertão´

No "embrião" do Campeonato Brasileiro, a Taça de Prata, também chamada de Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o "Robertão", selecionamos um confronto que terminou em placar pouco comum, empate em 3 a 3, entre Portuguesa de Desportos e Internacional.

LUSA E INTER

Pacaembu, ensolarada tarde de domingo, dia 22 de setembro de 1968. A Lusa, comandada pelo técnico Lula, recebeu o Inter, que tinha Daltro Menezes como treinador.

A Portuguesa havia feito um bom Campeonato Paulista, terminando na quinta colocação. Contava com um bom elenco, com destaque para Ivair, Leivinha e Marinho Peres. O Santos, de Pelé, Lima, Toninho Guerreiro e Edu, entre outros, foi o campeão daquele ano.

O Inter, por sua vez, havia sido o vice-campeão gaúcho. O Colorado direcionava seus esforços, sobretudo financeiros, para a finalização do Beira-Rio, que acabou sendo inaugurado em 6 de abril de 1969.

Ainda assim, o time gaúcho dispunha de valores de respeito, como o goleiro Schneider e o zagueiro Scala (ambos já falecidos), o meia Bráulio e o atacante Claudiomiro, este, aliás, autor do gol de inauguração do Beira-Rio no ano seguinte.

JOGO "PEGADO"

A Portuguesa abriu o placar com Marinho Peres, de pênalti, logo aos 10 minutos do primeiro tempo. Scala derrubou Ivair na grande área e o árbitro José Luis Barreto não titubeou para apontar para a marca de cal.

Logo depois, aos 15 minutos, Bráulio aproveitou o choque entre o goleiro da Lusa, Orlando Gato Preto e um zagueiro para deixar o placar em igualdade.

O Inter, ainda no primeiro tempo, virou. Dorinho lançou para Carlitos (o segundo Carlitos da história colorada). O ponta, antecessor de Valdomiro, recebeu na entrada grande área, matou no peito e da altura da marca de pênatli fuzilou a meta rubro-verde, sem chances para o saudoso Orlando Gato Preto.

A Lusa empatou, também na etapa inicial, quando o zagueiro Ulisses viu bem Ivair e lançou para o atacante que tocou de leve, desviando do alcance de Schneider.

Novamente o Inter voltou a comandar o placar, no último minuto do primeiro tempo, após boa jogada de Carlitos pela direita, que cruzou na medida para Claudiomiro fazer de cabeça, de dentro da pequena área. E, com 3 a 2 para o Inter, terminou a etapa inicial no Pacaembu.

Aos 10 minutos do segundo tempo, Marinho Peres, autor do primeiro gol, cobrou falta da intermediária buscando o ótimo cabeceador Leivinha. A bola, porém, passou pelo atacante que depois viria a fazer muito sucesso pelo Palmeiras e sobrou livre para o ponta-esquerda Rodrigues, na pequena área. Ele arrematou e decretou o final do placar: Portuguesa 3 x 3 Internacional.

CURIOSIDADES

Marinho Peres, que marcou o primeiro dos três gols da Lusa naquela partida, jogou pelo Inter entre 1976 e 1977, após deixar o time do Canindé e passar pelo Santos. Pelo Inter, Marinho Peres foi campeão brasileiro de 1976, segundo título brasileiro do clube.

Basílio, o "Pé de Anjo" do Corinthians, autor do gol contra a Ponte Preta na final do Paulista de 1977, que livrou o Timão de um jejum de títulos que durou 23 anos, era reserva da Poruguesa e entrou no lugar de Edu Bala, que depois teve longa carreira pelo Palmeiras.

Leivinha, assim como Edu Bala, foi outro que saiu do Canindé e foi para o Palestra Itália, onde também escreveu uma linda história, tendo sido bicampeão brasileiro (1972/1973), bicampeão paulista (1972/1974) e bicampeão do Torneio Ramón de Carranza, na Espanha, em 1974 e 1975.

Bráulio, o "Garoto de Ouro", que hoje mora em Porto Alegre, viveu uma fase das mais brilhantes do Inter. Assim que concluiu a construção do Beira-Rio, o clube gaúcho emplacou uma série de cinco títulos gaúchos consecutivos, entre 1969 e 1973, e Bráulio esteve presente em todas estas conquistas. Depois também fez sucesso no futebol carioca, por América e Botafogo.

FICHA TÉCNICA

PORTUGUESA 3 X 3 INTERNACIONAL

LOCAL: ESTÁDIO PAULO MACHADO DE CARVALHO (PACAEMBU), EM 22/09/1968

ÁRBITRO: JOSÉ LUIS BARRETO

PÚBLICO: 4.018 pagantes.

PORTUGUESA: Orlando Gato Preto; Augusto, Ulisses, Marinho Peres e Gil; Lorico e Paes; Edu (Basílio), Ivair, Leivinha e Rodrigues. Técnico: Lula

INTERNACIONAL: Schneider, Laurício, Scala (Pontes), Luiz Carlos, Sadi; Élton e Dorinho; Carlitos, Braulio, Claudiomiro e Canhoto (Lambari). Técnico: Daltro Menezes

GOLS: Marinho Peres, Bráulio, Carlitos, Ivair, Claudiomiro e Rodrigues.

ABAIXO, COM LOCUÇÃO DE MILTON NEVES NO "GOL, O GRANDE MOMENTO DO FUTEBOL", DA BAND, OS GOLS DE PORTUGUESA 3 X 3 INTERNACIONAL

Formação da Lusa em 1968 (não é a mesma do jogo contra o Inter). Em pé, da esquerda para a direita: Orlando Gato Preto, Luizão, Marinho Peres, Zé Maria, Lorico e Augusto. Agachados: Ratinho, Ivair, Leivinha, Paes e Rodrigues. Foto enviada pelo internauta Edgard Martins

 

Inter em 1968 (formação diferente daquela que enfrentou a Lusa em 22/09/68). Em pé, da esquerda para a direita: Schneider, Sadi, Pontes, Scala, Elton e Laurício. Agachados: Carlitos, Bráulio, Claudiomiro, Tovar e Dorinho

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa