Gradim

Ex-jogador e técnico

por Rafael Serra

Nascido no município de Vassouras, interior do Rio de Janeiro, em 15 de junho de 1908, Francisco de Souza Ferreira, o Gradim, foi um dos grandes jogadores brasileiros das décadas de 30 e 40. Faleceu no dia 12 de junho de 1987, no Rio de Janeiro-RJ.

Atacante, começou sua carreira em 1931, no Bonsucesso, jogando ao lado do também jovem Leônidas da Silva, o Diamante Negro. Gradim também chegou a jogar basquete pela equipe do Bonsucesso. Ainda atuando pelo Bonsucesso foi convocado para a Seleção Brasileira, onde jogou quatro jogos, incluindo a Copa Rio Branco de 1932, onde o Brasil sagrou-se campeão ao derrotar o Uruguai por 2 a 1, no Centenário.

Em 1933, transferiu-se para o Flamengo, onde teve curtíssima passagem de apenas cinco jogos, o suficiente para marcar o primeiro gol do clube fora do brasil, em um amistoso contra o Peñarol, no mesmo estádio Centenário, em Montevidéu, onde havia sido campeão com a Seleção.

No mesmo ano, foi para o Vasco da Gama, inclusive tendo marcado o primeiro gol da era profissional do clube, na vitória por 2 a 1, contra o America. Pelo cruzmaltino conquistou seu único título jogando em clubes, o Campeonato Carioca de 1934.

Saiu do Vasco para o Santos no início de 1936, onde permaneceu até 1947. Marcou o gol de número 2000 da história santista na conturbadíssima vitória contra o Ypiranga-BA, no Campo da Graça, em Salvador. O penalti que resultou no gol de Gradim (o segundo do jogo) provocou uma enorme confusão que acarretou na morte de um soldado baiano. Detalhe: Após a confusão, o árbitro do jogo foi trocado, e o jogo recomeçou com todos em campo, inclsuive o zagueiro Incêndio, do Ypiranga, que havia sido previamente expulso.

Pouca gente sabe, mas o termo "Curinga" teve início nos anos 40 com Gradim. Conhecido como Amélia, o jogador não se importava de ficar no banco, e, quando era preciso, aparecia em qualquer posição, da quarta zaga ao comando de ataque (posição que ele mais jogou). Como diz a música: Amélia não tinha a menor vaidade (...)

Segundo o Acervo Histórico do Santos Futebol Clube, Gradim marcou 95 gols, nos 212 jogos que fez pela equipe, sendo o 25° maior artilheiro da história do clube.

Em 1947, deixou o Santos para encerrar sua carreira na equipe do Jabaquara.

Como treinador

Após pendurar as chuteiras, Gradim começou como treinador em 1954, na equipe do Fluminense. Em 1958, teve sua melhor passagem como treinador ao comandar o Vasco nas conquistas do Campeonato Carioica e do Torneio Rio-São Paulo de 1958.

Fotos e colaboração: José Eustáquio Rodrigues Alves

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES