Dorval

Ex-ponta do Santos

por Breno Menezes e Gustavo Grohmann

Dorval Rodrigues, o Dorval, maior ponta da história do Santos (entre 1956 e 1966), passou em 2014 a morar em Santos, na casa de um amigo. O ex-atleta foi acolhido por estar passando por dificuldades financeiras. E, além disso, naquele mesmo ano, assinou contrato vitalício com o Santos FC.
 
Antes disso, ele vivia na Vila Santa Catarina, zona sul de São Paulo. Ele ainda é professor do projeto da Prefeitura do governo de São Paulo, no Campo do CDM Ferradura, localizado na rua Adelino da Fontoura, 404, Jardim Jabaquara.

O ex-ponta andava meio triste pela falta de apoio no projeto em que trabalhava e pela falta de reconhecimento com os craques do passado, principalmente por parte do Santos FC. "É complicado... eles esquecem de tudo que nós fizemos. Uma vez fui ver o Santos jogar e me barraram na entrada. Tive de pegar fila e comprar ingresso. Dá pra acreditar? Não é nem pelo dinheiro do bilhete, mas por tudo que fizemos pelo clube poderíamos ter esse privilégio", desabafou Dorval.

Ele também não se conformava com o fato de não poder utilizar o espaço dos camarotes "Artilheiros da Vila", inaugurados em novembro de 2005 e localizados no quarto andar da Vila Belmiro. "Esses camarotes levam o nome dos artilheiros do Santos. O meu nome está lá e eu não tenho direito a nenhuma cadeira. Poxa... é mais justo nem colocar nossos nomes então", afirmou entristecido certa vez o ex-ponta.

Gaúcho de Porto Alegre (RS), nascido em 26 de fevereiro de 1935, começou a carreira nos juvenis do Grêmio de Porto Alegre. Transferiu-se para o Esporte Clube Força e Luz como profissional, onde permaneceu dos 17 aos 19 anos. Em outubro de 1956 foi vendido ao Santos, empresariado por Arnaldo Figueiredo, dirigente do Força e Luz.

No início de 1957, Dorval foi emprestado ao Juventus da rua Javari, onde se destacou na preparação do campeonato paulista daquele ano. Retornou ao Santos como titular no lugar de Alfredinho. A escalação da primeira equipe do Santos da qual Dorval participou é a seguinte: Manga; Getúlio, Élvio, Formiga e Ivan; Zito, Dorval, Álvaro, Delvechio, Pelé, Pagão Pepe, (Jair da Rosa Pinto), o técnico era Luiz Alonso, o Lula.

Já em 1960, o Santos tinha Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, considerada a maior linha de meio e ataque da história do futebol brasileiro. Em 1964, Dorval foi vendido junto com Batista e Luís Cláudio para o Racing da Argentina. Como o clube argentino não quitou o passe do trio, Dorval acabou retornando ao Santos em 1965, ficando até 67.

Em seguida, acertou com o Palmeiras. No clube do Palestra Itália jogou com Ademir, Zequinha, César Maluco, Servílio, Djalma Santos, Geraldo e Tupãzinho. Pelo Verdão, foram apenas 20 jogos (12 vitórias, 4 empates, 4 derrotas) e nenhum gol marcado.

Em 1968 foi para o Atlético Paranaense, onde jogou até 1971. Foi campeão paranaense em 70, ao lado de Bellini, Zé Roberto, Nílton Dias, Nílson e Sicupira. Ficou seis meses na Venezuela defendendo o Valencia. Depois veio para o SAAD, junto com Coutinho e Joel, encerrando a carreira em 1972.

Frases e curiosidades:

"A maior glória que tive foi defendendo o Santos, onde conquistei cinco títulos paulistas, o Bi-Mundial, duas Libertadores, quatro Rio-São Paulo e cinco Taças do Brasil."
"Em 65, o Dalmo foi expulso em uma partida contra o Botafogo-RJ e fui deslocado para a lateral para marcar o Garrincha. Eu era mais rápido do que ele e acabava ganhando as jogadas pela direita. Vencemos aquela partida por 3 a 1. Mas, era muito difícil marcar o Garrincha."

Sobre a história contada por Pepe, afirmando que Dorval dançou com um Travesti sem saber. "A história do Pepe, é tudo mentira, o Pepe é um tremendo mentiroso. O Pepe era um jogador que não saía da concentração, mas ficava inventando história de todo mundo", brinca o ponta.

"Eu, o Tite e o Coutinho gostávamos de sair. O Pelé, por ser muito famoso, não se expunha muito."

Dorval era conhecido como locomotiva dentro dos campos, mas fora deles, ganhou fama como Pé-de-Valsa.

Dorval marcou 198 gols em 612 jogos pelo Santos.

Gilmar; Carlos Alberto Torres, Mauro Ramos de Oliveira, Formiga e Nílton Santos; Zito, Garrincha, Didi, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico Lula. Esta é a seleção de todos os tempos de Dorval.

O ex-craque tem um projeto denominado "Craques do futuro". Confira o texto de divulgação:

"Projeto craque do futuro

O Projeto Craque do Futuro tem por objetivo formar bons jogadores de futebol para ingresso em times de renome nacional e internacional.

Para tanto, pretende dar oportunidade a jovens talentos da periferia de nossa cidade e do interior que não tiveram condições de mostrar as suas habilidades futebolísticas por trabalharem em período integral complementar a renda familiar.

O Projeto Craques do Futuro, será instalado no CDM Ferradura, localizado na Rua Adelino Fontoura nº 404, Vila Santa Catarina, que pertence a zona do Jabaquara, zona sul de São Paulo. Este centro será dirigido pelo ex-jogador profissional "Dorval" Rodrigues, Bi- Campeão Mundial pelo Santos Futebol Clube, que atua como professor de futebol do citado centro comunitário.

No local serão aplicados exames seletivos para apontar os candidatos com maior aptidão para a prática do futebol. O centro contará com infra-estrutura e material adequado para o fim proposto. Do que vai ser oferecido aos alunos, citamos alguns itens:

-Material esportivo -Professores e monitores qualificados -Preparador físico.

-Preparador de goleiro -Massagista -Quadra ou campo de futebol, vestiários.

A avaliação dos atletas será feita todas as quartas-feiras e sextas-feiras, nos horários das 8:00 às 12:00hs e das 14:00 às 18:00hs.

A finalidade é buscar novos talentos nas categorias infantis, juvenis e juniores. Na primeira fase os candidatos serão observados por um período de 30 dias, quando receberão toda orientação pessoal e profissional para aprimorar seu desempenho. Os que forem aprovados terão o acompanhamento técnico e personalizado, para ser encaminhado para um período de teste em clubes profissionais, no âmbito nacional e internacional.

Na efetivação de algum atleta em clubes profissionais a receita gerada com a transação trará aos patrocinadores uma comissão cujo percentual será estipulado em contrato, além do que terão seus logotipos divulgados por intermédio de links na página da Internet, em fase de construção, do idealizador do projeto.

Atenciosamente,

Dorval Rodrigues

O projeto necessita de patrocínio e apoio. Você ajudar através do site www.dorval.com.br"
 
Abaixo, vídeo completo da partida amistosa entre Santos e Hamburgo, da Alemanha, em 20 de outubro de 1962, que terminou empatada em 3 a 3, no Estádio de Hamburgo.

Marcaram para a equipe brasileira: Pelé (2) e Coutinho. Os alemães fizeram seus gols com Reuter (2) e Uwe Seeler. Mais de 72.000 espectadores assistiram a partida.

A equipe santista que foi a campo diante do Hamburgo: Laércio; Mauro, Dalmo e Zé Carlos; Calvet (Formiga) e Lima; Bé (Pagão), Mengálvio, Coutinho, Pelé e Dorval, de acordo com o Almanaque do Santos, de Guilherme Nascimento.

O vídeo completo da partida, com narração em alemão:

ver mais notícias
ver mais Áudio

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES