César

Ex-centroavante do Palmeiras e do Vasco
César, o Julio César Coelho de Moraes, "o segundo César do Palmeiras", ex-centroavante do Verdão (em 1979 e 80) e do Vasco da Gama (em 1981), mora hoje na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, onde trabalha em uma escolinha de futebol da prefeitura carioca e também é dono de três vans.
 
Os veículos de César são usados para prestar serviço em eventos no Rio Janeiro.
 
No Panamericano de 2007, por exemplo, César alugou suas vans para a Rádio e TV Bandeirantes. César dirige uma delas.

O centroavante

César, centroavante negro, canhoto, nascido em 25 de julho de 1954, no Rio de Janeiro, caiu nas graças de Telê Santana no Palmeiras e quase foi ao Mundial de 1982. "Em 1981, Telê me levou para os amistosos na Europa contra França, Alemanha Ocidental e Itália, e quase fui à Copa da Espanha, mas ele acabou preferindo o Serginho", lembra, nostálgico.
 
Pai de três meninas e um menino (o lateral-esquerdo Júlio César, em 2005 e 2006 atuou no Marília AC, em 2007 no Náutico, em 2008 no Goiás, e campeão brasileiro em 2010 pelo Fluminense), César foi um andarilho no futebol.
 
Começou no Bonsucesso, onde jogou de 1974 a 1979, e depois de Palmeiras e Vasco, o antigo matador passou pelo Sevilla da Espanha (de 1981 a 1984), Portuguesa de Desportos, América de Rio Preto, no interior de São Paulo, Vitória de Guimarães e Farense de Portugal, Inter-RS, Atlético-PR, Goiás, Sampaio Correa, América Mineiro, Mesquita e Barra de Teresópolis-RJ, onde parou em 1991.
 
Pelo Palmeiras César atuou em 87 partidas (28 vitórias, 32 empates, 27 derrotas e anotou 27 gols, segundo números do "Almanaque do Palmeiras", de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti. "O meu jogo inesquecível pelo Palmeiras foi em 1979, no Maracanã. Demos um baile no Flamengo, com Zico e tudo, por 4 a 1. Foi nossa consagração e esse jogo levou o Telê para a Seleção Brasileira", lembra o antigo centroavante.
 
ver mais notícias

Palmeiras

Pelo Palmeiras César atuou em 87 partidas (28 vitórias, 32 empates, 27 derrotas e anotou 27 gols, segundo números do "Almanaque do Palmeiras", de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti. "O meu jogo inesquecível pelo Palmeiras foi em 1979, no Maracanã. Demos um baile no Flamengo, com Zico e tudo, por 4 a 1. Foi nossa consagração e esse jogo levou o Telê para a Seleção Brasileira", lembra o antigo centroavante.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES