Renato Violani

Ex-atacante do Palmeiras, Lusa e Juventus
por Marcelo Rozenberg
 
Renato Violani, o grande atacante Renato da Portuguesa nas conquistas do Torneio Rio-São Paulo em 1952 e 1955, nasceu em São Paulo em 01 de março de 1922 e faleceu em 13 de outubro do ano 2000.

Começou a jogar em 1940, no Estrela da Saúde FC, clube fundado por seu pai e tios, mas logo foi para o Juventus, onde sagrou-se vice-artilheiro do Campeonato Paulista de 1941.

Em 1943, foi negociado com o Palmeiras, e em 1945, passou a defender as cores da Portuguesa, onde permaneceu durante 10 anos atuando como atacante e meia.

Foi na Lusa que obteve suas maiores conquistas. Até hoje, os mais antigos não conseguem se esquecer do grande time formado por Muca , Nena e Noronha; Djalma Santos, Brandãozinho e Ceci; Julinho, Renato, Nininho, Pinga e Simão. Conquistou o troféu Fita Azul em excursões à Europa vestindo a camisa rubro-verde.

Algumas curiosidades de sua carreira e vida ficaram marcadas. Foi dele o primeiro gol da história do Torneio Rio-São Paulo, em uma vitória da Portuguesa por 6 a 4 sobre o Fluminense. Em outro feito memorável, marcou seis vezes em uma goleada do Juventus sobre o Jabaquara em 1941.

Renato também teve a chance de atuar na Europa na década de 1940. Durante excursão da Portuguesa, despertou interesse do futebol francês. No entanto, a tensão causada pelo final da 2ª Guerra Mundial o inibiu a sair do Brasil.

O amor pelo futebol sempre foi tão grande que após deixar a Lusa para tratar de negócios de família, seguiu jogando como amador novamente no Estrela da Saúde, participando por mais três anos de campeonatos regulares.

Em 1985, Renato foi incluído na seleção do Juventus de todos os tempos conforme pesquisa elaborada pelo jornal "A Gazeta Esportiva?. O time montado ficou assim: Miguel, Nelsinho Batista, Ditão, Leiz e Alfredo Ramos; Lima, Renato e Pinga; Julinho Botelho, Lanzoninho e Ziza (filho do Pinga). Técnico: Candinho.

 

 
Ainda sobre Renato Violani, o Portal Terceiro Tempo recebeu no dia 14 de setembro de 2012 de Mário Lopomo (mlopomo@uol.com.br) o e-mail abaixo:

Craque da Portuguesa - Renato Violani
 
Renato Violani se consagrou no ataque da Portuguesa compondo a vitoriosa equipe campeã do Torneio Rio-São Paulo em 1952 e 1955. Nascido em 1º de março de 1922, no bairro da Saúde em São Paulo, e falecido em 13 de outubro de 2000, iniciou sua carreira futebolística em 1940, no Estrela da Saúde, clube fundado por seu pai e tios, logo passando para o Juventus e a seguir para o Palmeiras.
 
Em 1945 foi contratado pela Portuguesa, que defendeu até 1955, atuando de ponta e meia-direita. Foi na Portuguesa que obteve suas maiores conquistas, como integrante daquela que é considerada a melhor equipe da Lusa de todos os tempos: Muca, Nena e Noronha; Djalma Santos, Brandãozinho e Ceci; Julinho, Renato, Nininho, Pinga e Simão.
 
Pela Portuguesa conquistou ainda a Fita Azul, por turnês invictas pela Europa em 1951 e, em 1954, novamente a Portuguesa fez uma bela campanha na Europa ficando com o titulo de BI-Fita Azul.
 
Durante a primeira excursão da Portuguesa pela Europa, Renato despertou interesse do futebol francês. Contudo, devido à situação do pós-guerra e por sua família estar em São Paulo, o jogador preferiu permanecer no País.
 
Fez parte da seleção paulista que participou do confronto inaugural do Estádio do Maracanã em 1950. Os paulistas jogaram com: Osvaldo, Homero e Dema; Djalma Santos, Brandãozinho e Alfredo; Renato, Rubens (Luizinho), Augusto, Ponce de Leon, Pinga (Carbone) e Brandãozinho II (Leopoldo).
 
Fez parte também da seleção paulista campeão brasileiro de 1952, cuja base era a equipe da Portuguesa. 
 
Após se desligar da Portuguesa, em 1955, para tratar de negócios familiares, ainda encontrou tempo para jogar como amador, novamente no Estrela da Saúde, disputando o Campeonato Paulista da 2ª Divisão por mais três anos.
 
Continuou em contato com o futebol, participando ativamente do esquadrão do Veteranos Paulista FC e na várzea pelo Estado Novo FC, que defendeu até meados dos anos 70.
 
Mesmo tendo encerrado sua carreira profissional, manteve contato permanente com os clubes que defendeu e cultivou amizades feitas ao longo de sua carreira, participando sempre de eventos comemorativos dos clubes do estado de São Paulo, geralmente acompanhado dos amigos Oberdan Catani, Turcão, Canhotinho, Nena e Gustavo. Aliás amigos foi o que Renato Violani mais conquistou, com seu espírito alegre e comunicativo.
ver mais notícias

Pelo Palmeiras:

Segundo o Almanaque do Palmeiras, de Celso Unzelte e Mário Sérgio Venditti, vestiu a camisa do Verdão em 52 jogos com 34 vitórias, 11 empates, 7 derrotas Marcou 20 gols.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES