Pampolini

Ex-volante do Botafogo e Portuguesa
Pampolini, o Américo Pampolini Filho, mineiro de Belo Horizonte (MG) (nasceu no dia 24 de dezembro de 1932) excelente médio-volante do Botafogo de 1955 a 1962, morreu no dia 20 de dezembro de 2006, no Rio de Janeiro(RJ), vítima de um ataque cardíaco.

Ele morava lá mesmo na Cidade Maravilhosa, no bairro de Copacabana, e trabalhava no estádio do Maracanã, como funcionário do Parque Aquático Júlio Delamare. Sua família continua em Belo Horizonte, tocando uma rede de padarias na capital mineira (as "Padarias ABC").

Pampolini foi contemporâneo de Manga, Nilton Santos, Chicão, Cacá, Zé Maria, Paulistinha, Zé Carlos, Neivaldo, Édson, Airton Povil, Elton, Garrincha, Amarildo, Quarentinha, Zagalo, Paulo Valentim, e tanta gente boa que, brilhantemente, defendeu o Botafogo. Pampolini, 347 jogos e 27 gols (1955 a 1962).

Em 1962, deixou o Glorioso e foi defender a Portuguesa de Desportos, então dirigida pelo saudoso Aimoré Moreira. Na Lusa, Pampolini sagrou-se vice-campeão paulista de 1964 jogando ao lado de Félix, Orlando Gato Preto, Jair Marinho, Wilson Pereira, Henrique Pereira, Wilson Silva, Edilson, Ditão, Almir, Dida, Ivair, Henrique Frade, Sílvio Major, Nair e Édson, também ex-Botafogo.

Na Lusa, Pampolini jogou até 1968, quando encerrou sua carreira. Defendeu outras duas equipes por rápidos empréstimos, enquanto tinha o passe preso à Lusa do Canindé: em 1965, jogou pelo Atlético-MG, e em 1966, pelo Taubaté.

Pampolini foi revelado pelo Cruzeiro de Belo Horizonte, em 1952. Lá, jogou até 1955 quando se transferiu para o Botafogo.
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES