Murtosa

Auxiliar de Felipão
por Marcelo Rozenberg
 
Flávio Teixeira, o Murtosa, ficou conhecido como o fiel escudeiro de Luis Felipe Scolari, com quem trabalhou por muitos anos. Em agosto de 2018, no entanto, alegando "problemas particulares", Murtosa não acompanhou Felipão em seu retorno ao Palmeiras.
 
Antes de fazer faculdade de Educação Física, Murtosa foi jogador profissional, seguindo a saga familiar iniciada por seu tio, Darcy Lopes da Cunha, também apelidado de Murtosa, por ser oriundo pequeno município do Distrito de Aveiro, em Portugal. Aliás, o tio atual auxiliar de Felipão foi um dos principais jogadores do Brasil de Pelotas. Ponta-direita, é o maior artilheiro do clube xavante, com 224 gols.

Mas este gaúcho de Pelotas nascido em 14 de janeiro de 1951 também atuou como treinador em duas ocasiões no Palmeiras, uma das quais com grande sucesso.
 
No ano 2000, logo após Felipão assinar contrato com o Cruzeiro, Murtosa assumiu o time, então sem grandes astros, para a disputa da Copa dos Campeões.

O Verdão sagrou-se campeão do torneio e garantiu vaga na Libertadores do ano seguinte. Nova passagem pelo banco de reservas do Palmeiras se deu em 2002, mas após três derrotas seguidas foi demitido.

Em 2008, Murtosa trabalhou no Chelsea como auxiliar de Felipão ,e em junho de 2009 acompanhou Luiz Felipe Scolari mais uma vez, indo para o Bunyodkor, do Uzbequistão.

Retornou com Scolari ao Palmeiras em 2010, e conquistou com o clube a Copa do Brasil de 2012, garantindo a vaga para a Libertadores 2013. No entanto, com a situação delicada do Verdão no Campeonato Brasileiro daquela temporada, ele e Felipão foram desligados do clube em 13 de outubro. No dia 18 de novembro do mesmo ano, sob o comando de Gilson Kleina, o time somava 9 vitórias, 7 empates e 20 derrotas no campeonato e foi rebaixado pela segunda vez para a série B.

Mais uma vez, junto com Felipão, que fora designado a assumir o comando da Seleção Brasileira, no dia 29 de novembro de 2012 em substituição a Mano Menezes, demitido seis dias antes, com a difícil tarefa de resgatar o bom futebol e alegria do time, Murtosa também retornava para a Seleção. E logo na primeira competição realizada pela Fifa, a Copa das Confederações, sagrou-se campeão invicto com o Brasil, em pleno Maracanã contra a poderosa Espanha, no dia 30 de junho de 2013.
 
Assim como o Felipão, foi demitido da Seleção Brasileira após a Copa do Mundo de 2014.
 
No dia 4 de junho de 2015, menos de um mês após ser demitido do Grêmio, Murtosa assinou contrato como integrante da comissão técnica do clube chinês Guangzhou Evergrande, liderada por Felipão.
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES