Louro

Ex-lateral do Corinthians e Fortaleza
Louro, o Francisco das Chagas Veras, um dos melhores laterais da história do Fortaleza e lateral-direito do Sport Club Corinthians Paulista em 1968 e 69, morreu no dia 12 de dezembro de 2005, em Fortaleza-CE, vítima de parada cardíaca.
Louro, um lateral-direito vigoroso, loiro e de muita raça, disputou apenas nove jogos pelo Timão obtendo cinco vitórias, dois empates e sofrendo duas derrotas. Não fez gols pelo Corinthians, conforme informa Celso Dario Unzelte em seu "Almanaque do Corinthians", editado pela Revista Placar.
Louro, que foi tricampeão cearense pelo Fortaleza e ainda defendeu o Santa Cruz,  o Sport e o Corinthians de Presidente Prudente, foi muito elogiado por Fiori Giglioti, da Rádio Bandeirantes, num Corinthians e Palmeiras, no Pacaembu, em 1968.
O Timão perdia por 1 a 0 e Louro recuperou uma "bola impossível" e, no contra-ataque, o Corinthians empatou o jogo que terminaria com vitória corintiana.
Por Eliana Santos

Que Louro descanse em paz! Sua morte e sua história foram assim descritas pelo jornal cearense "O Povo", no dia 13 de dezembro de 2005:
"O ex-lateral do Leão, Francisco das Chagas Veras, o Louro, morreu ontem vítima de parada cardíaca. Ele será enterrado hoje, às 7h30min, em Maranguape, Região Metropolitana de Fortaleza, onde estava residindo nos últimos anos. Potiguar de Jandius, Louro nasceu em 26 de dezembro de 1946.
O ex-atleta é apontado como um dos melhores laterais que já vestiram a camisa do Tricolor do Pici. Louro também jogou pelo Corinthians, Ferroviário, Santa Cruz e Sport de Recife. No Fortaleza, o ex-jogador sagrou-se campeão estadual em 1967, 1973 e 1974.
Louro foi apelidado de Magro de Aço, devido a estrutura física franzina que tinha. O ex-jogador tinha muito fôlego e velocidade, sendo um lateral que costumava ir para o ataque com freqüência. Ele recebeu o prêmio Bola de Prata como melhor lateral-direito do Campeonato Brasileiro de 1974 pela Revista Placar. Naquele ano, a seleção do Campeonato Brasileiro formou com Joel Mendes (Vitória), Louro (Fortaleza), Figueroa (Internacional), Miguel (Vasco) e Wladimir (Corinthians); Dudu (Palmeiras), Mário Sérgio (Vitória) e Zico (Flamengo); Osni (Vitória-BA), Luisinho (América-RJ) e Lula (Inter).
O primeiro clube de Louro foi o Fortaleza, onde entrou como jogador amador em 25 de março de 1964. Seu primeiro contrato como atleta profissional no clube leonino foi assinado dia 20 de janeiro de 1968. No mês seguinte do mesmo ano, o ex-jogador se transferiu para o Corinthians, retornando dois anos depois para defender o Ferroviário.
Em dezembro de 1970, o lateral voltou a jogar pela equipe do Pici. Louro chegou a ser emprestado ao Santa Cruz em 72, retornando no ano seguinte. Em abril de 1975, o lateral jogou no Sport Recife e encerrou a carreira em agosto de 1977. Após a aposentadoria, Louro trabalhou nas categorias de base do Fortaleza até se aposentar."

Ainda sobre o Louro, o Portal Terceiro Tempo recebeu no dia 24 de junho de 2013 de Sérgio Roberto Cesário (srcesario@ibest.com.br) o e-mail abaixo:

"Olá, Milton.
De início, os meus cumprimentos!
Há tempos, não nos falamos! Então, observando mais uma vez, ao seu "QUE FIM LEVOU", remeteu-me ao lateral cearense " LOURO" que defendeu ao S. C.Corinthians Paulista, na longínqua DÉCADA, de 1960! O mesmo, também jogou no Corintinha de Prudente, por uma temporada, e, com sucesso, pois, o mesmo possuía uma timaço de bola na primeira divisão de profissionais do campeonato paulista, de então! Jogou exatamente, em 1968. Terminado ao seu empréstimo, retornou ao Corinthians.
Aliás, Mílton, o Corintinha montava um verdadeiro esquadrão pois, o então presidente Whadih Helou era um baita de um parceiro da filial de Prudente. Até porque, tinha interesse, pois, sempre obtinha grandes votações à deputado estadual, não só em Prudente, como em toda à região.
Houve, um ano, que desde Barbozinha (goleiro), até ao centroavante Nelson (um ex-funcionário do clube em termos administrativos) fez duo com o Benê, não só na matriz como na filial.
Mílton, em 1967 e/ou 1968, só não foram emprestados ao Curintinha de Prudente, o meia Rivellino, e o japonês Sérgio Echigo todos oriundos das equipes de baixo, que foram campeões paulistas, de aspirantes. Era à nomenclatura usada, de então! Vieram Barbozinha, Mendes, Jorge Correia, Louro, Manoelzinho, que jogou uma e/ou duas partidas, pois, teve um lesão séria, e eu estava no campo nessa ocasião, ao lado das sociais do estádio, e, o mesmo se contorcia de dores.
Estão em minhas retinas, infelizmente esse lance! Não me recordo à equipe que o Curintinha jogava naquela ocasião! Ah, acrescenta ai o Benê, o Nelson., Nuguete da várzea paulistana ponta esquerda.
De todo modo, uma colaboração, para enriquecer ainda mais, o maior acervo do mundo do gênero!
Uma boa noite e que à mesma seja reparadora, extensivas, à sua sagrada família!
Sérgio Roberto Cesário!"
ver mais notícias

Números no Corinthians

Louro disputou apenas nove jogos pelo Timão obtendo cinco vitórias, dois empates e sofrendo duas derrotas. Não fez gols pelo Corinthians, conforme informa Celso Dario Unzelte em seu "Almanaque do Corinthians", editado pela Revista Placar.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES