Edílson Capetinha

Atacante do Palmeiras, Corinthians e Seleção Brasileira
por Felipe Alva

Edílson da Silva Ferreira, o "Capetinha", nasceu no dia 17 de setembro de 1970, em Salvador. Em outubro de 2019, foi confirmado como novo comentarista do Grupo Bandeirantes, participando dos programas "Terceiro Tempo", "Jogo Aberto" e "Os Donos da Bola".
 
O atacante fez sucesso em muitos clubes do futebol brasileiro. A lista é longa. Ele começou a carreira no Industrial, do Espírito Santo. Depois passou pelo Tanabi-SP, pelo Guarani até chegar ao Palmeiras, em 1993.

Depois do Verdão, passou uma temporada no Benfica e retornou ao Palmeiras, em 1995. Saiu novamente do Alviverde e foi jogar no Kashiwa Reysol, do Japão. Em 1998, voltou para o Corinthians, onde ficou até o meio do ano 2000. Depois passou por Flamengo, Cruzeiro, Kashiwa Reysol, Vitória, Al Ain (Emirados Árabes), São Caetano, Vasco da Gama, Nagoya Grampus (Japão), Vitória novamente, até encerrar a carreira no Bahia em 2010.

O "Capetinha" começa a aprontar

Edílson começou a carreira no Industrial, do Espírito Santo. Depois foi jogar no Tanabi, um time do interior de São Paulo até chegar no Guarani. Depois de ganhar destaque no Bugre, o atacante chegou ao Palmeiras para fazer parte de um grande time formado pela Parmalat. No Verdão, sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, o atacante foi bicampeão paulista (1993 e 1994), campeão brasileiro (1993) e campeão do Torneio Rio-São Paulo (1993).

Depois do grande futebol apresentado no Alviverde, Edílson ficou um ano no Benfica mas voltou ao Palmeiras em 1995. Um ano depois, acertou sua transferência para o Kashwia Reysol, do Japão. Depois de duas temporadas no futebol nipônico, voltou para o Brasil no final de 1997, para vestir a camisa do Corinthians.

Embaixada da discórdia

Na quarta-feira, antes da descisão do Campeonato Paulista de 1999, o Palmeiras conquistou Copa Libertadores da América. Por estar mais preocupado com a decisão do torneio continental, o Verdão perdeu o primeiro jogo por 3 a 0 e título estadual ficou distante.
 
Na partida de volta, no dia 20 de junho, o Corinthians conseguiu o empate e o título Paulista. Porém, no final do jogo Edílson resolveu provocar os palmeirenses fazendo embaixadinhas e colocando a bola no pescoço. Foi o estopim para uma briga épica no campo do Morumbi.

"Muito prazer, eu sou Edílson..."
 
No primeiro Mundial de Clubes organizado pela FIFA, em 2000, o Corinthians enfrentaria o poderoso Real Madrid logo na primeira fase. Alguns meses antes do jogo, Edílson disse que Christian Karembeu, zagueiro adversário, era muito ruim para jogar no time Merengue e prometeu que daria uma caneta no defensor. Em resposta, o presidente do Real à época, Lorenzo Sanz, disse que não sabia quem era Edílson e que o brasileiro precisaria nascer de novo para ser reconhecido.

No jogo, o Real Madrid fez o primeiro. Roberto Carlos - que em 2010 jogaria pelo Timão - cobrou falta e Anelka desvia para abrir o placar. No segundo tempo, Edílson cumpriu a promessa. O atacante arrancou pela esquerda deu uma caneta em Karembeu e chutou no canto jovem goleiro Casillas. Um golaço!

Durante a transmissão da TV Bandeirantes, o lendário narrador Luciano do Valle tratou de apresentar o atacante brasileiro a Karembeu dizendo "Muito prazer, eu sou Edílson, o Capeta!".

Edílson ainda fez o segundo do Timão, mas Anelka empatou e jogo terminou 2 a 2. Apesar da igualdade, a partida ficou imortalizada na retina dos corintianos e dos brasileiros como o dia em que o Real Madrid foi apresentado ao futebol do "Capetinha".
O Corinthians foi campeão mundial e Edílson eleito o melhor jogador da competição.

Cruzeiro, Flamengo e o Penta

Após a eliminação corintiana da Libertadores de 2000, diante do Palmeiras, deixou a torcida corintiana revoltada com os jogadores. Durante um treinamento, torcedores uniformizados chegaram em um treinamento ameaçando os jogadores. No tumulto, Edílson quase foi agredido e resolveu terminar sua história vencedora no Corinthians. Foram dois títulos brasileiros (1998 e 1999), um título Paulista (1999) e o Mundial de Clubes de 2000.

O capetinha foi aprontar das suas no Flamengo, onde conquistou a Campeonato Carioca e a Copa dos Campeões de 2000. Em 2002 teve uma passagem muito curta pelo Cruzeiro, onde foi convocado por Luis Felipe Scolari para defender a Seleção Brasileira, campanha do pentacampeonato em 2002.

Esteve em campo em 4 partidas, sendo que, foi titular na vitória de 5 a 2 do Brasil sobre a Costa Rica. Nas outras três partidas entrou no segundo tempo.

Muy placer, yo soy Edílson...

Em 2005, Edílson estava no São Caetano que enfrentaria o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro. O Time do Parque São Jorge contava com os argentinos Carlos Tevez e Javier Mascehrano. Na concentração do São Caetano, os companheiros de Edílson começaram a tirar sarro dele, dizendo "O argentino vai te pegar hoje, você está ferrado!". Então o atacante apostou que pagaria um jantar aos colegas se conseguisse dar uma caneta em Mascherano.

Mascehrano ficou maluco correndo atrás de Edílson em campo e acabou levando não só uma, mas duas bolas entre as pernas. A vitória do São Caetano por 2 a 0 foi apenas um detalhe perto dos dribles desconcertantes do bom baiano.

Final da carreira

Depois do São Caetano, a carreira de Edílson começou a decair. Ele passou pelo Vasco da Gama e voltou ao Japão para jogar no Nagoya Grampus. Em 2009, anunciou o final da carreira com a camisa do Vitória. Mas, em 2010, aceitou a proposta do Bahia para voltar aos gramados e encerrou a carreira de vez ao final do Campeonato Baiano.
 
Em 2013, o "Capetinha" trabalhava como empresário e fazia algumas participações especiais na TV, como na "Dança dos Famosos", do "Domingão do Faustão"
 
No dia 28 de dezembro de 2015, Edílson foi anunciado como reforço do Taboão da Serra para a disputa da quarta divisão do Campeonato Paulista. Fez apenas um jogo pela equipe, aos 45 anos de idade.
 
Em 15 de agosto de 2017 foi preso em Salvador-BA, por falta de pagamento de pensão alimentícia a um de seus filhos, mas foi liberado quatro dias depois. Foi a terceira detenção de Edilson pelo mesmo motivo. Ele havia sido preso também em 2014 e 2016.
 
Abaixo, ouça a participação de Edilson no "Domingo Esportivo" do dia 15 de abril de 2018: 

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES