Reizinho do Parque encantou com seus dribles e chute forte. Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

Reizinho do Parque encantou com seus dribles e chute forte. Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

Roberto Rivellino, o "Reizinho do Parque", como foi carinhosamente chamado pela torcida alvinegra durante os anos que defendeu o Corinthians (1965 a 1974), completa 74 anos nesta quarta-feira, 1º de janeiro de 2020.

Canhoto com um chute poderoso, tanto na força quanto na precisão, Rivellino começou no futebol de salão do Esporte Clube Banespa, no bairro do Brooklin, onde morava, e se adaptou perfeitamente aos gramados.

Reprovado no Palmeiras, seu time de infância, Rivellino chegou ao Corinthians para fazer história, e em pouco tempo fpassou a integrar a equipe de Aspirantes. Aliás, muitos torcedores corintianos chegavam mais cedo aos jogos justamente assisitrem ao canhoto habilidoso que logo estaria entre os profissionais, principalmente para testemunharem um drible que fazia com masetria: o "elástico".

Pelo Corinthians não conquistou nenhum título de relevância (Paulista ou Brasileiro), jogando em um período de amplo domínio do Santos e do Palmeiras, mas ainda assim suas atuações foram suficientes para ser titular da seleção brasileira na vitoriosa campanha no México, na Copa de 1970.

Também defendeu a seleção brasileira nas copas de 1974 e 1978, nesta última sofrendo de uma lesão, acabou passando a maior parte do tempo na reserva.

A repórter Germana Garilli, a Gegê, entrevista Rivellino no Pacaembu em 1972. Foto: arquivo pessoal de Germana Garilli

SAÍDA DO CORINTHIANS

Foi considerado por muitos como o principal responsável pela derrota do Corinthians na final do Campeonato Paulista de 1974 para o Palmeiras, que venceu o jogo decisivo por 1 a 0, gol de Ronaldo Drummond. O Corinthians, presidido por Vicente Matheus, decidiu negociá-lo com o Fluminense, onde encontrou um time formado por várias estrelas, a chamada `Máquina Tricolor´, onde acabou se destacando e conquistando o bicampeonato carioca (1975/1976).

Porém, contra o seu ex-cube, o Corinthians, acabou sofrendo uma grande derrota, na semifinal do Campeonato Brasileiro de 1976, na chamada "Invasão Corintiana", no dia 5 de dezembro daquele ano. Após empate em 1 a 1 no tempo normal, o Corinthians venceu nos pênaltis e foi à final contra o Inter. O time gaúcho acabou sagrando-se bicampeão brasileiro.

Rivellino ainda atuou no futebol árabe pelo Al-Hilal, entre 1979 e 1981, conquistando o Campeonato Saudita em 1979, 1980 e 1981.

Foi lançado como comentarista esportivo por Luciano do Valle nos anos 80 e atualmente integra o programa "Cartão Verde", da TV Cultura (SP).

Seleção Brasileira em foto antes do jogo contra a Inglaterra, em 7 de junho de 1970. O Brasil venceu por 1 a 0, gol de Jairzinho. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Brito, Piazza, Félix, Clodoaldo, Everaldo e o preparador físico Admildo Chirol. Agachados: Jairzinho, Rivelino, Tostão, Pelé e Paulo Cézar Caju. Foto: Reprodução

Pelé, recuperando-se de cirurgia no quadril, é amparado por Rivellino e Clodoaldo no almoço dos campeões mundiais no Espaço Unyco, no Morumbi, em 25 de abril de 2013. Os três primeiros, da esquerda para a direita, são Juninho Paulista, Edu e Pepe e o último é Zé Maria. Atrás estão Cafu, Coutinho, Zito, Zetti, Dino Sani e Mengálvio. Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

 

Equipe de esportes da Band em 1999. Sentados: Silvia Vinhas, Hortência e Fernando Vannucci. Em pé: Rivellino, Orlando Duarte, Antonio Petrin, Milton Neves, Luis Ceará, Fernando Fernandes e Alexandre Santos. Foto: Marcos Mendes

CLIQUE AQUI E ACESSE A PÁGINA DE RIVELLINO NA SEÇÃO “QUE FIM LEVOU?"

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa