Filipe Luis reclamou de banho gelado após treino da seleção no Pacaembu. Foto: Jales Valquer/Estadão Conteúdo

Filipe Luis reclamou de banho gelado após treino da seleção no Pacaembu. Foto: Jales Valquer/Estadão Conteúdo

A programação original da seleção brasileira previa dois treinos oficiais no CT do Palmeiras, na Barra Funda, antes da estreia na Copa América. Ao invés disso, as atividades dos últimos dois dias ocorreram no Estádio do Pacaembu, e foram marcadas por uma série de problemas. Ausência de qualquer sinal de internet, sala de entrevistas com capacidade para menos de um terço dos presentes, acesso a banheiros bloqueados e falta até de tomadas afetaram jornalistas e convidados. O maior e mais inusitado dos erros, entretanto, atingiu os próprios jogadores: Filipe Luís reclamou publicamente de banho gelado.

"Desculpa gente, eu estou com muito frio. É que a água lá estava gelada. Eu não tomo banho frio nunca. Em Brasília também estava frio, uma coisa que surpreende, estádios novos, esperávamos mais. Hoje em dia o Brasil, com estádios da Copa, esperamos sempre que esteja mais parecido com a Europa", disse, anteontem.

O Pacaembu não estava na lista de campos oficiais de treinamento divulgada inicialmente pelo Comitê Organizador Local da Copa América - ela continha o CT do Água Santa, em Diadema, o do São Paulo, na Barra Funda, e o do Palmeiras, no mesmo bairro e previsto inicialmente para receber a seleção brasileira.

Em contato com o UOL Esporte, o COL disse que o Pacaembu sempre esteve nos planos, sendo trabalhado como um dos quatro campos oficiais. Ele só não apareceu na lista inicial porque ainda restavam detalhes contratuais pendentes, mas é um dos locais credenciados.

A mudança do CT do Palmeiras do Palmeiras para o Pacaembu partiu do comitê, e foi anunciada pela CBF em Porto Alegre no sábado. A reportagem apurou que atividades do alviverde programadas para a Academia de Futebol ontem e hoje inviabilizaram a presença da seleção, levando o COL a oferecer o estádio.

Sobre o banho gelado, o Comitê Organizador divulgou comunicado afirmando que todos os chuveiros foram testados e estavam funcionando corretamente. A nota dá a entender que os jogadores podem ter tido dificuldades ao operá-los: "Foi explicado à delegação do Brasil que o funcionamento dos chuveiros era a gás, sendo necessário ligar a água quente primeiro, para depois regular a temperatura".

A declaração não caiu bem entre os atletas. Segundo relatos à reportagem, parte deles de fato conseguiu tomar banho quente. Para outros, a temperatura da água oscilou ou simplesmente não esquentou. Ontem à noite, havia expectativa de providências para que isso não aconteça novamente na sequência da competição.

Sobre as dificuldades enfrentadas pela imprensa e convidados, o COL afirmou que "O Comitê Organizador Local é o responsável pela organização do treino no que diz respeito ao campo e ao vestiário. A operação de imprensa é de responsabilidade de cada Associação Nacional".

No CT do São Paulo, a Bolivia também teve alguns problemas. O clube ainda tinha atividades no local, e, por isso, a seleção boliviana não pôde usar o vestiário principal e precisou improvisar.

O treinamento de ontem foi o último da seleção brasileira no Pacaembu. Hoje, a equipe treina no Morumbi, onde estreia amanhã na Copa América diante da Bolívia, às 21h30.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa