Válber

Ex- meia-atacante do Mogi, Timão e Palmeiras
por Túlio Nassif

Válber da Silva Costa, ou apenas Válber, nasceu no dia 6 de dezembro de 1971, no Maranhão, São Luís. Atualmente, reside em Brasília, é casado e tem duas filhas.
 
Iniciou carreira aos 20 anos de idade no Santa Cruz, chamando a atenção do Mogi Mirim, para onde se transferiu no mesmo ano (em 1991). O que poderia ter sido apenas mais uma transferência foi, na realidade, o divisor de águas na carreira do ex-meia-atacante.

Junto com o pentacampeão Rivaldo e Leto no Mogi Mirim, fez parte do célebre "Carrossel Caipira? comandado pelo técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão. O esquema 3-5-2, na época, era mais exótico do que o competente comandante. Contudo, apesar de incomodar muitas equipes grandes no Paulistão de 92, o Sapão morreu na praia e não conseguiu reviver a façanha do Bragantino de Luxemburgo dois anos antes. No entanto, obteve o título da Copa 90 anos da Federação Paulista de Futebol e do Grupo Amarelo do Campeonato Paulista daquele ano, sendo ainda, artilheiro com 17 gols.

Com as ótimas atuações, o Corinthians não perdeu tempo e contratou Válber. O Alvinegro ainda trouxe do Mogi Mirim, o lateral-esquerdo Admílson, Rivaldo e Leto, mas estes, por empréstimo. Quatro reforços para disputar o Torneio Rio-São Paulo e o Campeonato Brasileiro, ambos de 1993.

No fim do ano, em novembro, teve sua primeira e última aparição pela Seleção, em amistoso contra a Alemanha, convocado pelo técnico Carlos Alberto Parreira, que na ocasião, estaria testando testar alguns jogadores. Nessa época, Válber estava vivendo o ápice da carreira, perto de completar seus 21 anos de idade.
 
Foi a partir daí que Válber passou a quebrar todas as expectativas depositadas nele. Rivaldo passou a se sobressair e encobrir as atuações do amigo. O futuro coube a ser o senhor da razão, mostrou para todos que o verdadeiro craque ali, seria o pentacampeão.
Válber que não vingou no Timão, transferiu-se para o Yokohama Flügels, do Japão, em 1994.

Em 1995, sob o comando do técnico Otacílio Gonçalves, na época, do Palmeiras, retornou ao Brasil para defender o Alviverde. Sem espaço após uma reformulação na equipe do ano seguinte, o Válber foi defender o Internacional. Após seis meses, desembarcava em São Januário, no Vasco da Gama. Lá, apesar de uma boa estreia e fazer 15 gols em 48 jogos, a má fase do Cruzmaltino não o ajudou e novamente deixou um clube que seria campeão no ano seguinte.  Voltou para o Japão, onde ficou de 1997 a 1999.
 
Posteriormente, defendeu o Goiás, Ituano, Ponte Preta e ao ótimo time do Atlético-PR de 2000 e 2001, mas, por incrível que pareça, não fez parte do grupo Campeão Brasileiro.
Resolveu buscar no Santa Cruz, após sua saída do Furacão, as glórias do passado e, em 2004, passou novamente pelo Mogi Mirim, onde encerrou a carreira, prematuramente aos 33 anos de idade.

Decidiu então, investir as economias dos tempos de jogador no mercado imobiliário. Entretanto, não conseguiu abandonar o esporte e abriu uma consultoria esportiva ligada ao Mogi, a VSC. Além de descobrir novos craques, Válber administra a carreira dos mesmos. Seu grande negócio, foi a participação da transferência de Edson Ramos do Mogi Mirim para o AEK, da Grécia.
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES