Sérgio

Goleiro que fez história no Palmeiras
por Marcus Vinicius Dias Magalhães

Presente em dois dos principais títulos da história da Sociedade Esportiva Palmeiras: Campeonato Paulista de 1993, ano que o Verdão saiu de uma fila de 16 sem títulos, e a Libertadores de 1999, como goleiro reserva de Marcos, Sergio Luís Araújo, ou simplesmente Sergio, nasceu no dia 11 de maio de 1970 em Kaloré, município do Paraná. Em 2013, trabalhava em uma clínica de esportes para VIP´s na Confraria Colonial, um hotel bem selecionado no interior de São Paulo, e também defendia a equipe do Taboão da Serra, da segunda divisão do Campeonato Paulista.
 
Em 2018, em sociedade com o penatcampeão Cafu, abriu um bar em São Paulo, com foco no futebol e em shows musicais, o FairPlay Sports Bar.

Sérgio iniciou a carreira no Embu-Guaçu, em 1989, passando por Ceilândia-DF, e finalmente, com apenas 22 anos, estreia no gol Alviverde, em uma partida amistosa, no dia 21 de junho de 1992, em Matão, frente a equipe local, a Matonense. Ná ocasião, o atleta chamou a atenção pelo seu companheirismo, bom caráter e comprometimento junto ao grupo.

No ano seguinte, o goleiro teve sua primeira chance real na equipe do Palestra Itália, assumindo a posição do titular Velloso, que se contundiu na época. Ele defendeu a meta alviverde no Campeonato Paulista de 1993.

Com uma equipe poderosa, montada pela parceira Parmalat, o Palmeiras, comandado por Vanderlei Luxemburgo, tinha a ambição de vencer o Estadual e acabar com uma fila que já durava 16 anos, o que acabou acontecendo.

Sendo assim, o arqueiro foi um dos responsáveis pelo Título Paulista, em cima do arqui-rival Corinthians, por 4 a 0, em um Morumbi lotado, com mais de 100 mil torcedores.

No ano seguinte, ele foi um dos responsáveis pela conquista do Bi-Campeonato Brasileiro e do torneio Rio-São Paulo. O segundo, novamente frente ao Corinthians, após uma vitória na primeira partida por 2 x 0, com dois gols de Edmundo, Sérgio segurou o empate  de zero a zero, no segundo jogo.

Durante a partida, o goleiro fez uma grande defesa, após uma cabeçada "mortal" do então atleta alvinegro Rivaldo, na qual Sérgio fica segurando a bola, com uma só mão, para desespero do jogador corintiano.

Porém, a má fase no Campeonato Paulista e Libertadores, daquele ano, fez com que perdesse a posição para o recém-contratado Gato Fernandez.

Mesmo na reserva, Sérgio mantinha a dedicação nos treinos do Verdão. Mas, acabou perdendo seu espaço, após o retorno de Velloso. Sendo assim, o goleiro foi tentar oportunidades em outras equipes.

Fora o Palmeiras, teve uma curta passagem pelo Flamengo em 1995. Em seguida, defendeu as metas de Inter de Limeira, Portuguesa e Vitória, mas nunca conseguiu se firmar no gol de nenhum desses times.

Retornou ao Verdão em 1998. Como terceiro goleiro da equipe, reserva de Velloso e Marcos, Sérgio fez parte do grupo que conquistou a Copa do Brasil e a Mercosul, daquela temporada.

No ano seguinte, foi o reserva de Marcos durante toda a temporada, após nova contusão de Velloso. Entre as muitas competições que o Palmeiras disputava, o técnico da equipe, Luiz Felipe Scolari, fez rodízio entre Marcos e Sérgio, dando oportunidades para que o goleiro reserva também atuasse.

Com a contusão de Marcos, Sérgio conquistou a Copa dos Campeões de 2000, em cima do Sport, do técnico Emerson Leão, conseguindo acesso para a Libertadores do ano seguinte.

Em 2002, Sérgio viveu um dos momentos mais tristes de sua carreira, após o rebaixamento do Palmeiras para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro de 2002. Ele era o goleiro da equipe que perdeu para o Vitória, na última rodada da competição nacional daquele ano.

Porém, de cabeça erguida, Sérgio atuou em quase todos os jogos do Verdão na Série B, em 2003, também considerado um dos mais importantes títulos da história da equipe do Parque Antártica.

Sérgio deixou o clube em 2006, quando foi atuar pelo Santo André, permanecendo por apenas uma temporada na equipe do ABC.

Ele ainda passou pelo Bahia, até ser contratado pelo Itumbiara. Na equipe goiana, conquistou o Campeonato Estadual de 2008.

Em Setembro de 2009, aos 39 anos, foi contratado pelo Santos, para substituir o lesionado Fábio Costa. Poucos meses depois, retornou ao Itumbiara, para disputar o Campeonato Goiano de 2010.

Na mesma temporada, assinou contrato com o Marília, equipe do interior de SP, para disputar a Série C do Campeonato Brasileiro.

Em 2011 defendeu a equipe goiana do Itumbiara.
 
Foto: Marcos Júnior/Portal TT
ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES