Lindóia

Ex-atacante do Corinthians
por Rogério Micheletti e Eliana Santos
 
Paulo Roberto Cardoso da Silva, o Lindóia, nascido em Águas de Lindóia (SP), pai de duas filhas, hoje é empresário de jogadores.

Ponta-direita do Guarani em 67 (ele foi escalado irregularmente ao lado do volante Flamarion - ambos não estavam inscritos na Federação - para provocar a marmelada do Bugre, que assim evitou o rebaixamento do Palmeiras no Paulistão), o ex-atacante jogou também no Corinthians (em 1970 e 71), Juventus, Coritiba, Remo, Botafogo (SP), Ferroviária, Atlético (GO), Caxias, Atlético Goianiense e Ferroviária de Araraquara, clube onde encerrou sua carreira, em 1979.

Dono de duas casas no interior de São Paulo (uma em Ribeirão Preto e outra em Araras), Lindóia hoje intermedia a venda de jogadores para a Grécia, Suíça, Portugal e Turquia.
 
Ele participou de uma partida histórica entre Corinthians e Palmeiras.

Lindóia entrou jogando no dia 25 de abril de 1971, numa tarde gelada de domingo de 8 graus no Morumbi, no célebre dia em que o seu Corinthians ganhou de virada do favorito Palmeiras por 4 a 3 (veja foto do Timão daquele dia).

O técnico Francisco Sarna escalou: Ado, Zé Maria, Sadi, Luis Carlos Gálter, Pedrinho, Tião, Rivellino, Lindóia depois Natal, Samarone depois Adãozinho, Mirandinha e Peri. Apitou Armando Marques, que expulsou Leivinha e Rivellino, e os gols foram marcados, pela ordem: César Maluco, César Maluco, Mirandinha, Adãozinho, Leivinha, Tião e Mirandinha.

Pai de dois filhos e avô de três netos, reside em Ribeirão Preto e trabalha no setor imobiliário.
ver mais notícias
ver mais Áudio

Pelo Corinthians:

Em sua passagem pelo Timão, em 1970 e 71, Lindóia atuou em 33 partidas (14 vitórias, 12 empates, 7 derrotas) e marcou três gols (fonte: Almanaque do Corinthians - Celso Unzelte).

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES