Fernando

Ex-zagueiro do Santos, Vasco e Flamengo

por Rogério Micheletti

Quarto-zagueiro técnico revelado pela Portuguesa Santista no começo dos anos 80, Fernando Cezar de Matos, o Fernando, hoje mora na Praia Grande (SP).

Em 2007, esteve trabalhando nas categorias de base da Portuguesa Santista. Em 2006, assumiu o time principal da Briosa após Edu Marangon deixar o estádio Ulrico Mursa. Em maio de 2008, ele assumiu um novo cargo na Lusinha: gerente de futebol.


Como jogador, o famoso beque barbudo (que nasceu na cidade paulista de José Bonifácio no dia 17 de junho de 1961) foi profissionalizado na mesma Portuguesa Santista no ano de 1980. Na ocasião, o técnico da equipe da Baixada era Ari Marta.

Quatro anos depois, Fernando foi defender o Santos, então dirigido por Castilho. O quarto-zagueiro, como reserva, fez parte do elenco santista campeão paulista de 1984. O miolo de zaga titular do Peixe era Márcio Rossini e Toninho Carlos. Além de Castilho, o técnico Chico Formiga foi outro comandante do defensor nos tempos de Vila Belmiro.


Em 1985, Fernando foi contratado pelo Vasco da Gama. As chances de se firmar na equipe titular cruz-maltina não demoraram muito a aparecer. O estilo técnico de Fernando, que também sabia fazer gols e grandes jogadas, caiu no gosto da torcida vascaína.

Em São Januário, Fernando foi um dos líderes da equipe que foi bicampeã carioca em 1987 e 1988. Alguns dos companheiros de Fernando no Vasco foram Acácio, Paulo Roberto (ex-lateral-direito do Grêmio), Donato, Zé do Carmo, Mazinho, Romário, Geovani, Mauricinho, Tita, entre outros. Lá, ele teve como treinadores Antônio Lopes, Zanata, Joel Santana e Sebastião Lazaroni.


Depois de quatro anos no Vasco, Fernando foi defender o E.C. Louletano, em 1989. No time português, o quarto-zagueiro teve como treinador Joaquim Meirim. A passagem pelo Velho Continente não durou muito tempo e no ano seguinte, em 1990, já retornava ao Rio de Janeiro, desta vez para vestir a camisa do Flamengo.


Em seu primeiro ano na Gávea, Fernando ajudou o Flamengo, comandado pelo técnico Jair Pereira, a ser campeão da Copa do Brasil. O rubro-negro que tinha jogadores como Júnior e o centroavante Gaúcho derrotou na final o Goiás, do artilheiro Túlio Maravilha.

No rubro-negro carioca, segundo o "Almanaque do Flamengo", de Roberto Assaf e Clóvis Martins, atuou em 115 partidas com 58 vitórias, 27 empates, 30 derrotas e 11 gols marcados.


Depois do Flamengo, onde chegou a trabalhar também com o saudoso técnico Telê Santana, Fernando defendeu o Clube Atlético Mineiro (1991), o Guarani (1992), a Portuguesa de Desportos (1993) e encerrou a carreira no clube que o projetou, a Portuguesa Santista, em 1996, ano em que a Briosa chegou ao vice-campeonato da Segunda Divisão.

ver mais notícias

No rubro-negro carioca, segundo o "Almanaque do Flamengo", de Roberto Assaf e Clóvis Martins, atuou em 115 partidas com 58 vitórias, 27 empates, 30 derrotas e 11 gols marcados.

Depois do Flamengo, onde chegou a trabalhar também com o saudoso técnico Telê Santana, Fernando defendeu o Clube Atlético Mineiro (1991), o Guarani (1992), a Portuguesa de Desportos (1993) e encerrou a carreira no clube que o projetou, a Portuguesa Santista, em 1996, ano em que a Briosa chegou ao vice-campeonato da Segunda Divisão.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES