Cesar Cielo

Único nadador brasileiro campeão olímpico

por Marcus Vinicius Dias Magalhães

Nascido no dia 10 de janeiro de 1987, Cesar Augusto Cielo Filho, conhecido apenas como Cesar Cielo, é um nadador natural de Santa Bárbara D´Oeste, interior de São Paulo. Já conquistou duas medalhas olímpicas: ouro, nos 50 metros livres, e bronze, nos 100 metros livres nos Jogos de Pequim, em 2008. Ele foi o primeiro nadador brasileiro a vencer uma olimpíada. Seus maiores ídolos no esporte são: Gustavo Borges e Fernando Scherer (Xuxa).
 
Em 2011, o campeão olímpico foi flagrado no teste antidoping com a substância furosemida, um potente diurético que pode camuflar o uso de anabolizantes. César não foi punido pelos orgãos nacionais e após algumas semanas também escapou da punição da TAS, o Tribunal Arbitral do Esporte.
 
Cielo começou sua carreira de atleta logo cedo, acompanhando sua mãe, Flávia, professora de educação física do Clube Barbarense. Porém, ele tinha o judô como seu esporte preferido. Por ser bem maior que os garotos de sua idade, ele competia contra atletas de categorias superiores, mas não demorou muito para desistir da modalidade.
Foi então que tentou jogar vôlei, numa academia na cidade de Americana. Por ser alto e ter um biótipo adequado, se destacou entre os jogadores. Mas, também seria por pouco tempo sua dedicação ao esporte.
 
Cesão, como é chamado pelos amigos, começou a nadar por sugestão do pai. A idéia surgiu quando seguia para a praia, numa viagem com a família. Na piscina, descobriu sua grande paixão. A primeira conquista aconteceu logo aos 8 anos, nadando uma prova dos 25 metros livre, num Festival do Barbarense. Esse seria apenas o início da carreira do, até então, jovem nadador do Esporte Clube Barbarense.
 
Cesar ainda treinou no Clube Campo Piracicaba, até ser apresentado, por sua mãe, ao técnico Alberto Silva, o Albertinho, do Pinheiros, que treinava Gustavo Borges. Cielo começou a treinar na academia da capital, aos 15 anos, permanecendo até os 22. Durante três anos, ele intercalou os treinos entre o Pinheiros e a Universidade de Auburn, Alabama, nos Estados Unidos.
 
Cielo conquistou dez medalhas de ouro nas competições realizadas na Universidade americana, em 2006, 2007 e 2008. Antes disso, ele ganhou a medalha de prata no revezamento 4 x 100, no Mundial de Piscina Curta em Indianápolis, em 2004.
 
Pelos torneios realizados no Brasil, foram mais dez medalhas douradas, entre a competição Troféu Maria Lenk, dos anos de 2008, 2009 e 2010.
 
Em 2007, no Pan-Americano do Rio de Janeiro, ele começava a mostrar seu talento ao mundo, conquistando três medalhas de ouro, nas provas de: 50 metros livre, 100 metros livre e revezamento 4 x 100.
 
No ano seguinte, viria a maior conquista de sua carreira. O brasileiro, ainda desacreditado, conquistou o ouro nas Olimpíadas de Pequim, nos 50 metros livre. Ele se tornou o primeiro atleta brasileiro a conquistar uma medalha de ouro olímpica na natação. Na mesma competição, ele ganharia mais uma medalha, dessa vez de bronze, nos 100 metros livre.
 
Cielo ainda buscaria novas conquistas, conseguindo duas medalhas de ouro na Copa do Mundo de Roma, em 2009. Ele quebrou o recorde mundial dos 100 metros livre, naquela ocasião, com o tempo de 46.91 segundos.
 
Ainda em competições mundiais, foram outras duas medalhas de ouro em Dubai, nos 50 e 100 metros livre.
 
Em 2010, Cielo se transferiu do EC Pinheiros para o Clube de Regatas do Flamengo, mas, continuou treinando nos EUA. A decisão de sua saída do Pinheiros, após sete anos, pesou pelo fato de Patrícia Amorim, presidente do Rubro-Negro, ter sido uma nadadora olímpica no passado, alguém que conhece o esporte.
 
Já na sua primeira temporada pela equipe carioca, ele se tornou o primeiro nadador a quebrar o antigo recorde mundial dos 50 metros livres, que pertencia ao russo, Alexander Popov, de 21.64 segundos. Ele obteve a marca de 21.55, vencendo a competição Paris Open, na França.
 
No ano de 2011, o nadador fez preparação especial para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, já pensando nas Olimpíadas de Londres, em 2012.
 
Após ser eleito o nadador mais rápido do mundo, nos 50 metros livre, Cielo tem como principal objetivo, se firmar também nos 100 metros livre.
Em 25 de julho de 2011, após ser absolvido pela TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), o maior nadador brasileiro em todos os tempos conquistou a medalha de ouro no estilo  50 metros borboleta no mundial  de esportes aquáticos disputado em Xangai, na China. E caiu no choro depois de mais um êxito em sua carreira.
 
Dias depois, foi a vez de Cielo conquistar os 50 metros na modalidade de nado livre, levando mais uma medalha de ouro para o Brasil.
 
Em maio de 2012, uma polêmica envolveu Neymar, seu empresário Wagner Ribeiro e o nadador brasileiro César Cielo. Após Cielo ser escolhido como representante nacional para a jovem Liderança Mundial, o agente do santista tratou de polemizar com a seguinte declaração: "Infelizmente ganhou o doping. Neymar é uma jovem Liderança Mundial. Mas perdeu o prêmio para Cielo".
 
Um dia depois do acontecido, Neymar deu um show de humildade e tratou de desfazer qualquer problema: o garoto divulgou uma foto sua de touca de natação com os dizeres: "Tamo junto".
 
Em 03 de agosto de 2012, Cesar Cielo conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, na prova dos 50m nado livre, vencida pelo francês Florent Manaudoue.
 
Não conseguiu índice olímpico para disputar os Jogos do Rio, em 2016, retornando a uma competição oficial em 18 de março de 2017, em torneio regional da Federação Aquática Paulista no clube Pinheiros, obtendo o 17º tempo da temporada.

Confira a prova deu a medalha de ouro olímpica para Cesar Cielo
ver mais notícias
ver mais Áudio

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES