Antonio Pizzonia

Piloto da Stock Car
por Marcos Júnior Micheletti
 
O amazonense Antonio Reginaldo Pizzonia, ou simplesmente Antonio Pizzonia, atualmente na Stock Car, nasceu em 11 de setembro de 1980, destacando-se muito cedo como piloto de kart, categoria pela qual conquistou o tricampeonato paulista e um título brasileiro.
 
Em 1997, aos 16 anos, começou a competir na Europa, primeiro pela Fórmula Vauxhall Júnior (vice-campeão) para dois anos depois sagrar-se campeão da Fórmula Renault inglesa e vice europeu.
 
Em 2000 entrou para o seleto time de campeões da tradicional Fórmula 3 Inglesa e no ano seguinte foi o sexto colocado da Fórmula 3000, mesma categoria pela qual competiu em 2002, ano em que testou pela primeira vez com um carro da Fórmula 1, a Williams.
 
Estreou na Fórmula 1 como piloto da Jaguar em 2003, como companheiro de equipe do australiano Mark Webber. Com o modelo R4 equipado com motor Cosworth, Pizzonia não marcou nenhum ponto nas 16 provas em que participou naquela temporada, sendo substituído nas três últimas pelo inglês Justin Wilson.
 
Foi contratado pela Williams como piloto de testes em 2004 e participou de quatro corridas, substituindo o alemão Ralph Schumacher, acidentado no GP dos Estados Unidos, em Indianápolis.
 
Marcou seus primeiros pontos na Fórmula 1 no GP da Alemanha, disputado em Hockenheim, ocasião em que terminou na sétima colocação. Disputou mais três corridas pela equipe de Frank Williams naquele ano: Hungria (sétimo colocado); Bélgica (não terminou) e Itália (sétimo colocado novamente), fechando a temporada com seis pontos, em 15º lugar.
 
Disputou mais cinco corridas em 2005 (Itália, Bélgica, Brasil, Japão e China) pontuando na etapa italiana novamente com um sétimo lugar.
 
Sem opções na Fórmula 1, Pizzonia competiu em 2006 e 2008 nos Estados Unidos (Champ Car e Indy), obtendo como melhores resultados dois décimos lugares pela equipe Rocketsports.
Na Stock Car, Pizzonia estreou em 2008 pela equipe Action Power.
 
Esteve na equipe Amir Nasr Racing em 2009 (foi o terceiro colocado em Interlagos).
 
Em 2010, pela equipe Hot Car, subiu ao pódio na etapa de Ribeirão Preto, sua melhor colocação naquela temporada.
 
Disputou algumas corridas pela Amir Nasr Racing em 2011 e em 2012 foi companheiro de equipe de Pedro Boesel na equipe CompraFacil.com.
 
Também participou da Fórmula Superleague em 2011 e em 20 de feereiro de 2013 foi anunciado pela equipe norte-americana Michael Schank Racing para a temporada (a partir da segunda corrida) da Grand Am, tendo como parceiro na condução do Riley-Ford o colombiano Gustavo Yacamán.
 
Em 28 de março de 2013 foi anunciado para participar da etapa e abertura do Mundial de Endurance (WEC) pela equipe oficial da montadora japonesa Nissan, nas 6 Horas de Silverstone, na Inglaterra.
 
Em 2014 acertou contrato para participar da temporada da Stock Car, na equipe Prati Mico´s Racing. Em 13 de abril de 2014 venceu sua primeira corrida na Stock, na segunda bateria da etapa disputada em Santa Cruz do Sul-RS. Renovou com a equipe para a temporada de 2015.
 
A Prati-Donaduzzi deixou a Stock ao término de 2015 e Pizzonia não competiu na Stock em 2016 de forma integral, participando apenas da Corrida de Duplas ao lado de Marcos Gomes na Cimed Racing, em Curitiba, ocasião em que eles venceram a prova, em 06 de março daquele ano.
 
Retornou à Stock em 2017 pelo time comandado por Rodolpho e Xandi Mattheis, com patrocínio da Prati-Donaduzzi mais uma vez.
 
Antonio Pizzonia foi casado com a ex-atleta Maurren Maggi, com quem tem uma filha, Sophia, nascida em 20 de dezembro de 2004.
ver mais notícias

FÓRMULA 1

Disputou 20 GPs, entre 2003 e 2005, pela Jaguar em 2003 e Williams em 2004 e 2005. Marcou oito pontos. 

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES