Alan Jones

Campeão Mundial de F1 em 1980
Marcos Júnior Micheletti
 
O australiano Alan Jones, atualmente comissário da Fórmula 1, conquistou o título da Fórmula 1 em 1980, guiando um carro da Williams, em um campeonato que foi definido apenas na última prova, o Grande Prêmio dos Estados Unidos, em Watikins Glen, por sinal, vencido por ele.
 
Nascido em Melbourne, em 2 de novembro de 1946, Alan Jones começou no kart, categoria em que conquistou seu primeiro título em 1958, em um campeonato chamado Victorian Junior Karting, na Austrália.
 
Chegou à Fórmula 1 apenas aos 28 anos, em 1975, no Grande Prêmio da Espanha, disputado no circuito de Montjuic. Na ocasião, com Hesketh-Ford, Jones largou na 20ª posição mas não concluiu a prova, abandonando após um acidente, na terceira volta.
Naquele mesmo ano ainda pilotou para a equipe Hill, onde, aliás, obteve seus primeiros pontos, terminando o GP da Alemanha, em Nurburgring, na quinta colocação. A vitória foi do argentino Carlos Reutemann, da Brabham-Ford.
 
Em 1976 foi para a equipe Surtees, fechando a temporada na 15ª colocação, com sete pontos.
 
Em 1977, mesmo por uma equipe média, a Shadow-Ford, conseguiu sua primeira vitória. Foi no Grande Prêmio da Áustria, em Osterreichring. E a prova austríaca não foi um resultado isolado, uma vez que Jones pontuou em mais cinco etapas, incluindo o pódio (terceiro lugar) no GP da Itália, em Monza. Os resultados deram ao australiano o sétimo lugar no campeonato daquele ano e lhe garantiram um contrato por uma equipe que se encaminhava para o topo: a Williams.
 
Mas a temporada de 1978 não foi das melhores para Jones, que subiu ao pódio em apenas uma prova, o GP dos Estados Unidos, em Long Beach. Foram apenas 11 pontos e o 11º lugar no campeonato.
 
O grande aporte financeiro chegou à Williams a partir da temporada de 1979, graças aos petrodólares da família de Osama Bin Laden, e os resultados, na pista, não demoraram para aparecer.
 
A dupla da equipe, formada por Alan Jones e o suíço Clay Regazzoni terminou o ano na terceira e quinta colocações, respectivamente. Jones triunfou em quatro provas e Regazzoni em uma.
 
O momento especial para Alan Jones aconteceu na temporada seguinte, em 1980, quando sagrou-se campeão, com cinco vitórias.
Em 1981, ainda pela Williams, Jones terminou a temporada em terceiro lugar, com duas vitórias, exatamente o ano em que Nelson Piquet conquistou seu primeiro Mundial na Fórmula 1.
 
Sem renovar com a Williams para 1982, Jones ficou sem equipe, mas retornou no ano seguinte, 1983, pela modesta Arrrows, participando apenas de uma prova, em que substituiu o brasileiro Chico Serra, no GP dos Estados Unidos, em Long Beach.
 
Ficou sem guiar na F1 em 1984 e fez apenas três corridas em 1985, pela equipe Lola, a mesma que defendeu em 1986, mas desta vez por toda a temporada. Foi seu último ano na categoria máxima do automobilismo mundial, fechando o ano com quatro pontos (quarto lugar no GP da Áustria e o sexto no GP da Itália). A despedida oficial aconteceu em seu país, no GP da Austrália, em Adelaide. Jones largou em 17º lugar e abandonou na 16ª volta, com problemas no motor Ford-turbo
 
Apesar de não competir mais, Jones permanece ligado ao automobilismo. Em 2011 iniciou seu trabalho na função de comissãio da Fórmula 1, no Grande Prêmio do Japão, em Suzuka.
ver mais notícias

Na Fórmula 1:

Em 116 GPS, Alan Jones venceu 12 (um pela Shadow e 11 pela Williams) e conquistou seis pole-positions.

Venceu o título de 1980 pela Williams-Ford.

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES