Modesto Roma Júnior esteve à frente da gestão do Santos de 2015 até o fim de 2017. Foto: Ivan Storti/Santos FC

Modesto Roma Júnior esteve à frente da gestão do Santos de 2015 até o fim de 2017. Foto: Ivan Storti/Santos FC

Em reunião do conselho deliberativo que aconteceu na noite da última terça-feira (05), o Santos tomou decisões importantes na política do clube. Em uma dessas decisões, o ex-presidente Modesto Roma Júnior foi expulso do quadro associativo santista.

A decisão foi tomada pelos próprios conselheiros, em reunião na Vila Belmiro, baseada em dois motivos: a reprovação de contas de 2017, último ano de Modesto à frente do Santos; e a contratação da empresa Quantum Solutions Limited, sediada em Malta – empresa contratada para intermediação com o PSG pelo pagamento do mecanismo de solidariedade referente a Neymar, de 5% em relação ao valor que o clube teria a receber quando o jogador revelado no Peixe trocou o Barcelona pelo clube francês.

A Comissão de Inquérito e Sindicância (CIS) do Santos analisou as contas e a contratação da empresa maltesa e definiu que houve irregularidades suficientes para expulsar o ex-presidente.

Outra importante decisão tomada na reunião foi a anulação de uma portaria publicada no ano passado pelo atual presidente, José Carlos Peres, que diminuía poderes do vice-presidente, Orlando Rollo, nos bastidores do clube. Afastado do cargo de vice-presidente desde janeiro por pedido próprio, Orlando Rollo precisará responder nos próximos dias se voltará ao clube ou seguirá fora do dia a dia do Peixe de vez.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa