Meia uruguaio ficou mais de 100 dias sem jogar, mas ganhou espaço e deu duas assistências nos últimos dois jogos. Foto: Ivan Storti/Santos FC

Meia uruguaio ficou mais de 100 dias sem jogar, mas ganhou espaço e deu duas assistências nos últimos dois jogos. Foto: Ivan Storti/Santos FC

O Santos tem poucos motivos para comemorar nesse momento, afinal, acumula seis jogos sem vitória, só venceu uma das últimas13 partidas, foi eliminado na Copa Sul-Americana, demitiu o técnico Fabián Bustos e está mais perto da zona de rebaixamento do que do G6 no Brasileirão. Mas em meio a tanto problema, uma boa notícia surge na Vila Belmiro: o renascimento de Carlos Sánchez.

Vindo de uma grave lesão no joelho que o afastou dos gramados por quase um ano, Sánchez voltou a jogar na reta final de 2021, participou da pré-temporada, conviveu com alguns problemas musculares neste ano, mas perdeu espaço na equipe. Com o ex-técnico Fabián Bustos, Sánchez ficou encostado e mal era relacionado para as partidas, tanto que o camisa 7 santista chegou a ultrapassar a marca de 100 dias sem jogar.

Nos últimos jogos, no entanto, o meia voltou a ser utilizado e se mostrou decisivo. Sánchez entrou em campo no empate com o Deportivo Táchira, por 1 a 1, na Venezuela, na última semana, depois de 102 dias, e com poucos minutos em campo deu a assistência para o gol de Bryan Angulo, que igualou o marcador para o Peixe. Foram 34 minutos do uruguaio em campo.

Três dias depois, Sánchez voltou a ser relacionado e entrou em campo diante do Flamengo, na Vila Belmiro pelo Brasileirão. O Peixe acabou derrotado por 2 a 1 e o uruguaio atuou por 12 minutos.

Já última quarta-feira (6), o Peixe recebeu o Deportivo Táchira na Vila, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana, Sánchez iniciou a partida no banco e mais uma vez entrou em campo. Foram 22 minutos jogados e mais uma vez uma assistência, dessa vez para Marcos Leonardo, que empatou o jogo, levando a decisão para os pênaltis.

Aos 36 anos, Sánchez tem sido muito elogiado internamente no Santos, especialmente pela postura profissional. O uruguaio seguiu trabalhando em silêncio, sem reclamar e se dedicando intensamente para recuperar espaço. Além disso, o camisa 7 é uma referência no elenco e atua muito próximo dos jovens atletas do clube, conversando e orientando os meninos. Sánchez tem contrato com o alvinegro praiano até o meio de 2023.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa