Camisa sete brilhou no jogo contra o Junior. Foto: César Greco/Palmeiras

Camisa sete brilhou no jogo contra o Junior. Foto: César Greco/Palmeiras

Chame como quiser: termômetro, referência, centro das atenções, dududependência. O nome não importa. O fato, constatado nesta quarta-feira, no Allianz Parque é o seguinte: o Palmeiras reflete em campo o brilho (ou a falta dele) do seu camisa sete.

Dudu justifica o status de principal jogador do time. O Verdão se ressente de suas boas jogadas, sua velocidade, seu dinamismo, seus dribles. Quando eles não estão o que se vê é o Palmeiras do Campeonato Paulista.

Até por isso, Dudu é cobrado na mesma medida. E por isso, até agora, ninguém entende por que o ídolo da torcida não deu as caras na disputa por pênaltis na semifinal contra o São Paulo.

Na partida contra o Junior, atuando centralizado, o torcedor viu (ou reviu) o Dudu de sempre; participativo, incisivo, contundente, criativo e decisivo. E agora se pergunta: "será que o Dudu voltou? Agora o time engrena".

Segundo Luiz Felipe Scolari, o atacante cresce de rendimento no segundo semestre. O técnico apontou o histórico recente do jogador para garantir que ele vai oferecer mais e brilhará novamente.

Seria um passo gigantesco para o Palmeiras voltar aos melhores dias. E quando falamos de melhores dias estamos falando de quatro meses atrás, quando o Verdão levantava o Brasileiro.

Existe luz neste túnel. Com um sistema defensivo consolidado e com as individualidades funcionando, o Verdão pode dar ao torcedor a resposta para algumas insatisfações.

Em tempo: torcedor é aquele que vibra, canta, grita, sorri, chora, se decepciona, fica p... da vida, mas está sempre junto. Quem apedreja é vândalo.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa