Os americanos chegaram a assustar em alguns escanteios e cruzamentos

Os americanos chegaram a assustar em alguns escanteios e cruzamentos

Pedro Lopes
Do UOL, em Nova Jersey (EUA)

O Brasil não teve qualquer problema para derrotar um time misto dos EUA por 2 a 0 nesta sexta-feira (7), no Metlife Stadium, em Nova Jersey. No confronto que marcou a volta de Neymar ao posto de capitão da seleção e o primeiro desafio depois da eliminação na Copa de 2018, Douglas Costa comandou o ataque. Ainda no primeiro tempo, Roberto Firmino e Neymar balançaram as redes e garantiram o triunfo para a equipe de Tite.

Os americanos chegaram a assustar em alguns escanteios e cruzamentos, mas foi pouco diante do domínio brasileiro. A seleção embarca para Washington depois da partida, onde se prepara para enfrentar El Salvador, no Fedex Field, na terça-feira (11).

Destaque na Copa, dupla abre o placar
Em um jogo truncado, mas com poucas dificuldades, uma dupla que deixou a Copa do Mundo em alta abriu os caminhos para a seleção brasileira no novo ciclo. Principais opções ofensivas de Tite no banco de reservas na Rússia, os titulares Douglas Costa e Roberto Firmino trabalharam em conjunto para fazer 1 a 0 em Nova Jersey. O atacante da Juventus explorou sua velocidade, fez boa jogada individual pela direita e cruzou na medida para o goleador do Liverpool escorar para o fundo da rede, logo aos 10 minutos.

Neymar não caiu, mas Fabinho sim

Neymar não chamou a atenção por cair no gramado do Metlife Stadium, mas o lateral direito Fabinho foi ao chão, sofrendo um pênalti que chegou a gerar dúvidas. O camisa 10 e novo capitão da seleção brasileira aproveitou, batendo com categoria, deslocando o goleiro Steffen e abrindo o 2 a 0 no final do primeiro tempo.

Aposta de Tite, Fabinho se junta a Douglas e inferniza na direita
O lateral direito, aliás, foi um dos destaques da seleção no amistoso. Mesmo há mais de dois anos sem atuar no setor, o jogador mostrou que a aposta de Tite foi acertada. Com boas movimentações ao lado de Douglas Costa, fez com que sua região presenciasse as jogadas mais perigosas da seleção. Antes de sofrer o pênalti, já tinha dado bom chute na direção do gol americano, obrigando Steffen a fazer boa defesa. Juntos, os dois infernizaram a vida do americano Antonee Robinson.

Segunda etapa esfria e vira laboratório de Tite com "novatos"
O jogo esfriou na segunda etapa, e Tite aproveitou para fazer algumas experiências, usando todas as seis substituições à sua disposição. Entraram Paquetá, Richarlison, Arthur, Dedé e Everton. O treinador brasileiro também promoveu a entrada de William, que foi titular durante o Mundial da Rússia. Os novatos não tiveram muito tempo para mostrar serviço, e devem ganhar mais minutos na terça-feira, diante de El Salvador.

Douglas Costa: ritmo de velocista e melhor em campo
Sem os problemas físicos que o atrapalharam na Copa do Mundo, Douglas Costa chegou "inteiro" para os primeiros amistosos depois do Mundial. E aproveitou as boas condições para "voar" em campo. No lance do primeiro gol, de acordo com medição do departamento de fisiologia da seleção, o atacante atingiu 34,8 km/h para se livrar da marcação pela direita e cruzar para Roberto Firmino. O jogador da Juventus ainda comandou as ações ofensivas, sendo o grande destaque brasileiro em campo até a sua saída, aos 15min do segundo tempo.

Destaque do Brasil na Copa, Coutinho inicia ciclo apagado

Se Douglas Costa teve grande atuação e Neymar foi participativo, Coutinho esteve apagado em Nova Jersey. Um dos melhores jogadores do Brasil na Copa, o camisa 11 apareceu pouco, não criou jogadas e deixou o gramado aos 25 minutos do segundo tempo para a entrada de Paquetá. Os demais remanescentes da Copa fizeram partidas seguras: Alisson apareceu em defesas seguras, Thiago Silva e Marquinhos foram bem, Filipe Luís soube conter os avanços dos norte americanos pela direita. Casemiro apareceu bem no meio, desarmando e começando a construção das jogadas, e arriscou chutes de fora da área. Firmino deixou sua marca.

Brasil mantém retrospecto avassalador contra os EUA
Com a vitória desta sexta, o Brasil mantém um retrospecto de verdadeiro massacre em confrontos contra os EUA. São 20 confrontos, com 19 vitórias e apenas uma derrota. No total, são 43 gols marcados e apenas 12 sofridos. O duelo em solo americano marcou um início de ciclo de Copa do Mundo pela terceira vez consecutiva. Em 2010, triunfo sobre os donos da casa por 2 a 0. Em 2014, 1 a 0 sobre a Colômbia.

Neymar iguala Pelé em jogos oficiais
Agora capitão definitivo e autor do segundo gol da vitória desta sexta-feira (7), Neymar atingiu importante marca contra os Estados Unidos. O atacante completou 91 jogos oficiais pela seleção brasileira, se igualando a Pelé – que ainda disputou mais 23 duelos não-oficiais. O camisa 10 atual chegou ainda aos 58 gols. Com o mesmo número de partidas, Pelé fez 77.

Foto: Pedro Martins / MoWA Press (via UOL)

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa